[CINEAIL - Especial OSCAR 2015] "O Juiz" de David Dobkin por Mac Batista"


Sinopse: Advogado de muito sucesso, Hank Palmer (Robert Downey Jr.) volta à cidade em que cresceu para o velório de sua mãe, que há muito não via. É recebido de forma hostil pela família e resolve ficar um pouco mais quando seu pai, veterano juiz, é apontado pela polícia como responsável pela morte de um homem que condenou há vinte anos. Mesmo não se entendendo com o pai, Hank debruça-se sobre o caso, mas os dois não conseguem conviver amigavelmente e a possibilidade de condenação aumenta a cada revelação.

O JUIZ (THE JUDGE)
Direção: David Dobkin
Elenco: Robert Downey Jr., Robert Duvall e Billy Bob Thornton.
Origem: EUA,  2014, 16 anos.


Indicado a categoria de "Melhor Ator Coadjuvante" 

Por Mac Batista


No filme "O Juiz" o telespectador é apresentado ao advogado de sucesso Hank Palmer (Robert Downey Jr.) que é obrigado a retornar a sua cidade natal para o velório de sua mãe. Percebe-se logo que a relação de Palmer com sua família é bastante conturbada. Apesar de  seu sucesso profissional, a vida pessoal de Hank é quase desastrosa, exceto pelo relacionamento que ele tem com a própria filha. 

O reencontro com seu pai (Robert Duvall) não é bom, pois eles não conseguem se dar bem. Quando Hank resolve deixar a cidade, após o velório de sua mãe, ele é surpreendido com uma notícia: seu pai, um juiz renomado, é acusado de homicídio. Então, Hank permanece na cidade para fazer a defesa do próprio pai, o que transforma a convivência entre eles numa grande prova de fogo.

Conforme a trama vai se desenrolando, percebemos o quanto Hank busca pela aprovação de seu pai em tudo que ele faz. No entanto, nunca é bem sucedido. As brigas entre eles são bastante acaloradas, até que Hank faz uma nova descoberta sobre o seu pai, e este fato o faz repensar e reavaliar a sua postura com o seu pai. 

O filme também  esboça o retorno  do gênero "tribunal", muito apreciado pelo público, na década de 90. E junto com esta característica, o telespectador pode apreciar todo o suspense do gênero que muitos já tiveram a oportunidade de conferir nos filmes  "Tempo de Matar" (1996), "A Jurada" (1996), "O Juri" (2003) dentre outros. No entanto, este tema fica como um plano secundário, já  que a proposta do filme é outra.

O elenco fica muito a contento.  Billy Bob Thornton sempre foi um ator fantástico e, neste filme, Thornton é Dwigth Dickham - o promotor que enfrenta Hank no tribunal.  

Robert Downey Jr. é o tipo de ator que passa emoção sem ter a necessidade de emitir uma palavra sequer. Ele consegue dar vida a Hank Palmer na medida certa. Vai do tom dramático ao cômico num piscar de olhos. É lógico que ele não deixa de imprimir o tom sarcástico no personagem, sua marca registrada. Tanto que , em alguns momentos, conseguimos perceber certas características do playboy milionário, Tony Stark de "O Homem de Ferro". 

Robert Duvall está excepcional com seu personagem teimoso, arrogante, porém muito honesto. E, é claro, que sua indicação à categoria de "Melhor Ator Coadjuvante" foi muito merecida. 

Ao contrário do que muitos possam pensar,  "O Juiz" não é um filme que apenas aborda as questões que envolvem um homicídio, mas as relações entre pais e filhos. O quanto isso pode afetar decisões futuras. O quanto os filhos se espelham em seus pais e vice-versa.  Com um final emocionante, este filme trasmite uma grande lição de vida.


Assistam ao trailer:




O post  [CINEAIL - Especial OSCAR 2015] "O Juiz, de David Dobkin, Por Mac Batista" apareceu primeiro em  APENAS Impressões Literárias.

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...