[CINEAIL - Especial OSCAR 2015] "Birdman" de Alejandro González Iñárritu por Kal J. Moon"

Sinopse: Birdman é uma comédia de humor negro que conta a história de um ator (Michael Keaton) – famoso por interpretar um icônico super-herói – enquanto ele faz de tudo para montar uma peça na Broadway. Às vésperas da estreia, ele vai lutar com seu ego e tentar recuperar sua família, sua carreira e ele mesmo.
Direção: Alejandro González Iñárritu
Roteiro: Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Armando Bo  e Alejandro González Iñárritu
Elenco: Michael Keaton, Edward Norton, Emma Stone, Naomi Watts, Zach Galifianakis, Andrea Riseborough
Data de estreia: 29/01/2015
Distribuição: Fox Filmes do Brasil
Indicado a 9 Oscars, incluindo Melhor Filme, Diretor, Ator, Ator Coadjuvante, Atriz Coadjuvante e Roteiro Original...
Clique AQUI para assistir o trailer!




Ousado. Audaz. Inusitado. Revigorante. Soberbo. Magnífico. Surpreendente. Estupendo. Inigualável.
Todos esses adjetivos tem sido usados incessantemente para descrever o filme "Birdman - ou A Inesperada Virtude da Ignorância", dirigido por Alejandro González Iñárritu (de "Babel" e "21 Gramas") e estrelado por Michael Keaton (de "Os Fantasmas se Divertem" e "Batman") e grande elenco.Tal qual uma personagem crítica de teatro retratada na trama, dizer tudo isso dessa obra não poderia ser mais errado.


O óbvio ululante
Ok. Há de se admitir que a ideia principal por trás da trama de "Birdman" é realmente ousada.
Afinal, usar o teatro - reconhecidamente um local onde temos "melhor" dramaturgia - para elucidar os principais problemas da atual indústria do entretenimento poderia render um ótimo roteiro.
Mesmo que tais querelas já tenham sido expostas ao grande público de forma satisfatória em filmes como "A Rosa Púrpura do Cairo" e o recente "O Artista", nada contra voltar ao tema, desde que a criatividade possa entregar uma história coerente e bem contada.

E ESSE é O problema de "Birdman": criatividade.
Iñárritu se utiliza de mil artifícios para esconder os maiores defeitos de sua obra. Vamos fazer com que o filme PAREÇA ter sido filmado como um plano contínuo? Então, força-se a perspectiva, filma-se em alguns locais escuros para fazer os cortes e voilà!

Com isso, temos blocos gigantescos com falas quilométricas e os atores terão de dar duro para não errar uma vírgula? Nada tema. Desvie a câmera a um espaço vazio e deixe apenas a voz deles - já que isso pode ser resolvido com dublagem na pós-produção.

A trama é bem óbvia e copia descaradamente trechos de clássicos das histórias em quadrinhos como "Watchmen" - a cena inicial parece reproduzir o personagem Dr. Manhattan em Marte - e os quadrinhos adultos de Will Eisner, como "Um Contrato com Deus".

Mas textualmente "Birdman" é raso e fugaz. E até arrogante, eu diria. Nada do que é dito no filme tem real importância à trama vazia e sem sentido. A impressão que se tem é que "Birdman" é um grande ensaio, cheio de improvisos por parte dos atores.

E assim como muitos espetáculos de stand up comedy, esse formato talvez já tenha dado o que tinha de dar.

Mas ruim mesmo é saber desde o início o que ocorrerá no final e, mesmo assim, ouvir de muitos que "Birdman" é um filme surpreendente.

Em uma palavra: decepcionante.

Kal J. Moon nunca soube diferenciar  a realidade da ilusão. E a vida nunca foi tão boa...

O post  [CINEAIL - Especial OSCAR 2015] "Birdman, de Alejandro González Iñárritu por Kal J. Moon" apareceu primeiro em  APENAS Impressões Literárias.

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...