[RESENHA] "Enquanto a Chuva Caía", de Christine M., por Stef Rhoden

Sinopse: "Erik não procura mais a garota dos seus sonhos. Vive em busca de adrenalina e de uma razão para continuar cumprindo tarefas obscuras. Ele sabe que é muito bom no que faz e não vê nada que possa ser melhor do que os seus dias repletos de perigo. O que Erik não esperava é que sua paixão por correr riscos seria a sua ruína. Ameaçado, ele precisa fugir para o exterior e viver disfarçado de cidadão comum, trabalhando como advogado em uma grande empresa. 

Marina comanda o império da família depois de seu pai ter sucumbido ao mal de Alzheimer. Precisa suportar ver os pais tombarem diante da ação implacável do tempo, enquanto ainda carrega a ferida provocada pela morte do jovem marido. Com o comando das empresas nas mãos, ela percebe que nem todas as atividades da corporação obedecem aos manuais de boa conduta. 
Quando ambos se encontram, presente e passado se misturam, dando início a um mistério arrebatador que os atrai a uma paixão incontrolável. No entanto, os segredos, cedo ou tarde, virão à tona e os colocarão em lados opostos da balança. Nenhum dos dois é inocente, mas será que eles aceitarão as verdades que tanto se empenham em esconder? É possível construir um futuro mesmo depois de descobrir que nesta história não há mocinha nem herói?"

Trecho: "A temperatura está agradável, e o clima, nada solidário à minha tristeza. Comigo é sempre assim, meio do avesso. Não me lembro de um momento bom acontecendo em um dia ensolarado. As coisas mais importantes da minha vida sempre aconteceram com o céu cinza, trovejando, com meu cabelo pingando e a roupa molhada, colando no corpo. Estranhamente, a chuva é minha amiga e se tornou sinônimo de bom presságio. Por isso, olho para o céu com vontade de mostrar a língua para o sol, que sempre serve de testemunha para os meus dias difíceis". 

Título: Enquanto a Chuva Caía 
Autora: Christine M. 
Ed. Novas Páginas | 2014 | Brochura | 288 páginas | Adquiria o seu livro, aqui.


Olivia Wilde ficaria perfeita como Marina
Resenha: Sabe aqueles livros que a gente lê e pensa que adoraria ter escrito? Este é, definitivamente, um deles. Apesar da história não ser exatamente o que eu esperei ao ler a sinopse - ela é mais leve e menos densa -, o livro é MARAVILHOSO e eu indico muito. 

Uma das coisas que eu mais gostei foi o fato de que cada capítulo é narrado por um dos protagonistas, Erik ou Marina. E eu, de cara, me apaixonei pelo estilo de Christine M. Em nenhum momento confundimos a narração. A autora conhece tão bem seus personagens que seus estilos próprios deixam muito claro para o leitor quem está falando. Além disso, durante todas as 288 páginas do livro, houve apenas um único parágrafo - UM PARÁGRAFO - em que percebi que Erik era escrito por uma mulher. Ela deu um estilo bastante masculino ao personagem e não fugiu da personalidade sarcástica e cínica dele em momento algum. Eu ria muito com Erik e totalmente o perdoo por não ser um homem melhor... 

Jesse Williams, o Erik que grudou na minha cabeça
Já com relação a Marina, consegui sentir todas as pendengas dela. A luta entre a razão e a insanidade em visitar o túmulo do marido todos os dias. A dor de ver o pai padecer pelo Alzheimer e tentar superar as expectativas da mãe ao ficar a frente dos negócios da empresa - os legais e os ilegais também... Uma mulher realmente forte. E nada ingênua. 



Um toque bastante interessante: cada capítulo do livro começa com um trecho de música brasileira que dá todo o contexto das próximas linhas. Achei de muito bom gosto e muita sensibilidade. Dá a impressão de que Christine M. vivenciou intensamente cada linha dessa história enquanto escrevia...  

O que eu posso dizer que me deixou apenas 95% satisfeita, foi perceber que a história não era exatamente o que eu esperava. Achei que o livro tivesse mais ação, mais segredos obscuros, mas, ao invés disso, é um romance. Um bom romance, bem escrito, bem amarrado, minuciosamente planejado... Mas, ainda assim, um romance. Porém, é bom destacar que, talvez, o erro seja meu por abrir um livro com expectativas. Preciso parar com isso... 

Resumindo: recomendo! É um romance nada água com açúcar, com personagens nada mocinhos, que te prendem do início ao fim. E eu adoraria ver um filme deste livro! Muito embora eu não fosse ficar tão feliz com a escolha do elenco porque imagino Erik, brasileiro, como Jesse Williams, o doutor Avery de Grey's Anatomy, enquanto a americana Marina e seus cabelos de uma cor indecifrável, imagino como Olivia Wilde (sim, eu adoro a Olivia e sei que já é a segunda vez que eu a indico para uma interpretação...). 

É isso! Grande beijo e até a próxima! 

Stef Rhoden

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...