[CINEAIL] "Amores Inversos" de Liza Johnson por Kal J Moon


SinopseJohanna Parry (Kristen Wiig), uma mulher muito tímida e sem vaidade, é contratada pelo Sr. McCauley (Nick Nolte) para trabalhar em sua casa e tomar conta de sua neta, Sabitha (Hailee Steinfeld). Apesar de sua natureza extrovertida, Sabitha carrega feridas profundas da morte de sua mãe anos antes, agravadas pelo fato de seu avô culpar seu charmoso pai, Ken (Guy
Pearce), um viciado em drogas em reabilitação. Em um ato mesquinho de rebeldia, Sabitha usa a tecnologia para promover um pseudo-relacionamento entre Johanna e seu pai, sem levar em conta o mal em potencial que isso pode causar a ambos. A interferência da garota provoca em Johanna o desejo de perseguir algo perdido em sua vida: o sonho de um futuro e uma casa que seja sua. 

Data de estreia: 28/08/2014
Direção: Liza Johnson
Roteiro: Mark Poirier (baseado num conto de Alice Munro)
Elenco: Kristen Wiig, Nick Nolte, Hailee Steinfeld, Guy Pearce, Jennifer Jason Leigh, Sami Gayle e Christine Lahti
Distribuição: Paris Filmes


Só quem já recebeu uma carta de alguém muito querido sabe o que é a ansiedade em torno da correspondência da mesma.

Esse objeto tão desprezado hoje em dia - a carta - sempre representou algo valioso seja na literatura ou no cinema. E por conta de uma verdadeira "trollagem", a personagem de "Amores Inversos" - filme dirigido por Liza Johnson, baseado num conto da ganhadora do Pulitzer Alice Munro - tem sua vida completamente modificada. Mas de uma forma bem plausível.

Pé no chão

É muito interessante quando o espectador pode presenciar um texto tão enxuto e baseado no que se pode ver na vida real que até chega a surpreender.

A personagem Johanna Parry - aqui defendida com esmero exemplar pela atriz Kristen Wiig, mais conhecida de filmes como "Missão Madrinha de Casamento" e o recente "A Vida Secreta de Walter Mitty" - é pobre, uma cuidadora que parece deixar claro, desde sua primeira aparição, que não tem espaço para emoções em sua vida. Tempo e dinheiro é sempre muito pouco em sua vida, ao ponto dela parecer não ter dinheiro para uma refeição decente durante uma viagem, preferindo comer - com as mãos, sem talheres - uma lata de pêssegos em calda... A frieza com que trata da morte de sua paciente é completamente coerente com sua profissão e seu estilo de vida.


Ao se mudar para um novo emprego - tomar conta de uma neta e seu avô, num misto de cuidadora e governanta -, o que poderia facilmente se transformar na real oportunidade para criar vínculos afetivos, logo se mostra apenas uma mudança de cenário e coadjuvantes, uma vez que Sabitha - a neta adolescente em questão, interpretada por Hailee Steinfeld (Ender'sGame - O Jogo do Exterminador) -, não permite que se meta em sua vida como normalmente acontece.
A pegadinha de se fingir corresponder com Johanna, de forma amorosa, como se fosse Ken, pai de Sabitha, parte de Edith, uma amiga - interpretada por Sami Gayle (do seriado "BlueBloods"), adequada no papel da típica adolescente irritante -, mesmo correndo o risco de ferir os sentimentos. 

Coisa da inconsequência bem própria da falta de maturidade.

O fato de Johanna "cair" na pegadinha e acreditar no amor correspondido só mostra o quão inocente a personagem é, mesmo não tendo vida fácil. Afinal, todo mundo tem seus planos e projetos. O melhor é sempre o objetivo.

A partir daí, a trama ganha subtextos que revela muito dos personagens em si, sem a costumeira pressa imposta por Hollywood para nem se dar o trabalho de desenvolver personagens, ainda que secundárias.

Composição

Kristen Wiig faz de sua Johanna um verdadeiro exercício de composição pois a personagem parece tentar ser aceita pela sociedade - e até mesmo por si própria - por meio do trabalho braçal, seja esfregando o chão ou limpando algo. E mesmo quando se é pedido sua opinião, a resposta mais dada é que o assunto "não é da sua conta", como supostamente "cabe" à criadagem. Ela só se permite ao sorriso com o canto dos lábios, talvez para ninguém saber. Esperamos grandes notícias por conta desse papel. Até, quem sabe, uma indicação ao Oscarde Melhor Atriz, o que seria merecido e nada exagerado...


Outro que está muito bem em cena é o veterano Nick Nolte (de "O Príncipe das Marés" e do recente "Parker"), que vive o Sr. McCauley, avô de Sabitha. Outro que pode receber indicação ao Oscar como Melhor Ator Coadjuvante pois seu personagem é comedido, modesto e segue crendo que o acidente que matou sua filha foi culpa de seu genro Ken (Guy Pearce, de "TheRover - A Caçada"), que é viciado em drogas e tenta se reerguer ao reformar um motel e, junto, sua vida.

A surpresa foi encontrar Jennifer Jason Leigh (de "Mulher Solteira Procura" e "Estrada paraPerdição") como uma drogada que se envolve com o personagem vivido por Guy Pearce.

Um elenco afiado e muito bem disposto a contar uma história que não tem final feliz hollywoodiano mas sim um final... possível.



Kal J. Moon se correspondia com o Brasil inteiro através da chamada "carta social", que custava um centavo...

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...