[RESENHA] "Fala Sério, Pai! de Thalita Rebouças"

Sinopse: Para quem se divertiu com a série Fala sério, bestsellers de Thalita Rebouças, chegou a vez de conhecer e dar boas risadas com o jornalista esportivo e peladeiro convicto Armando, pai da amiga de todas as horas – e micos! – Maria de Lourdes, ou melhor, Malu, em "Fala sério, pai!". 
As desventuras e percalços de um pai de primeira viagem, desde a descoberta de que estava “grávido” até a saída de sua primogênita de casa, aos 21 anos – nada escapa ao texto leve, descontraído, bem-humorado e antenado com a juventude típico da autora carioca.
Na primeira metade do livro, a história é conduzida por Armando. Mas é Malu quem assume a narrativa na outra metade, após um episódio marcante em sua vida – um rito de passagem comum a toda mulher, quer dizer, garota, e no qual todo pai percebe que a “menininha-dos-seus-olhos” cresceu. Seja na voz de Armando ou na de Malu, a autora dosa emoção e risadas na medida certa em diálogos sobre fraldas, namorados, viagens, beijos, festas, sutiãs, entre tantos outros temas que atormentam e aborrecem todo pai, sem exceção,  mas sem os quais ele não viveria – afinal, mesmo “burra velha” e criada, toda filha será sempre a “menininha-dos-seus-olhos”. Um presentão de pai para filha e de filha para pai!



Título: Fala Serio, Pai
Autora: Thalita Rebouças
Infanto juvenil | 256 páginas | 
Ed. Rocco | Clique AQUI para comprar

Trecho:
" - Sua filha vai ser menina!- Como você sabe?- Sabendo. Coisa de mãe.- Você não é mãe ainda.- Você que pensa. Sou mãe desde que descobri que tô carregando nosso amor na barriga.    Caramba! Taí uma frase de efeito que me deixou bobo. Ela era mãe, mas eu ainda não me sentia pai. Nada no meu corpo mudaria nos próximos nove meses, nenhum ser se desenvolveria dentro de mim, se alimentaria do que eu me alimentasse e me daria chutes que me emocionariam. Acho que os homens só entendem o que é paternidade depois que veem a carinha dos filhos. Já as mulheres... Angela estava certa. Fiquei com inveja dela."

Dizem que "ser mãe é padecer no paraíso". Mas o que é ser pai mesmo? Ser pai é quase uma obrigação... "Não basta ser pai... Tem que participar!", dizia o slogan de um creme contra contusões, que acabou sendo adotado pela população como verdade absoluta.

Tive a oportunidade de assistir uma palestra da escritora Thalita Rebouças durante uma das edições do evento literário Flupp (Confiram a matéria aqui). Foi quando li um trecho de "Fala Sério, Pai!", fui "conquistado" pelo texto ágil, divertido e, claro, tive de ler o livro inteiro.

Eu (à esquerda), Thalita (ao centro) e Mac (à direita) na FLUPP

Confesso que sou um leitor lento e relapso. Por diversas vezes em minha vida, me vi deixando um livro lá, jogado, pegando poeira durante muito tempo, para que, quando me desse na telha, eu pudesse desfrutar - ou desistir completamente dele.

Mas o texto de Thalita é tão envolvente que acabamos nos reconhecendo nele, seja por conta das situações descritas, pela fala de alguns personagens ou mesmo por nos fazer ter uma imensa vontade de fazer parte daquela família maluca - como tantas famílias por aí, claro, mas a família dos outros sempre parece melhor e mais divertida que a nossa, não é mesmo?

Como também sou pai, passei por algumas situações que Armando, o pai de Maria de Lourdes - digo, Malu! - descreve durante deliciosas 256 páginas que passam num estalar de dedos e que nos deixam com saudades de cada querido personagem quando chegamos ao derradeiro capítulo da história.

Mas, ainda que não tenha ficado muito claro, "Fala Sério, Pai!" é uma das tramas mais engraçadas já escrita nesse país e sua natureza episódica já deveria ter sido adaptada pro cinema ou pra TV há muito tempo...

E falo isso sentindo que os pais do Brasil estão muito bem representados neste texto carioquíssimo!
Recomendado para pais de todas as idades e filhos de todos os tipos. Trará um sorriso ao fim da leitura e a certeza de que, se não acabou de ler um clássico, chegou-se muito perto disso.

Kal J. Moon deseja um ótimo dia dos pais a todos aqueles que o são realmente... E participam!

2 comentários :

  1. A Thalita Rebouças é uma fofa. Tive a oportunidade de ler alguns livros dela e gosto muito da sua escrita e de como ela consegue expor esse lado jovem dela em seus livros. Ainda não tive a chance de ler Fala Sério, Pai mas se for tão bom e divertido quanto os outros, tenho certeza que vou adorar *-*

    ResponderExcluir
  2. Sempre ouvi ótimos elogios a Thalita Rebouças. E o seu livro Fala Serio Pai não foge a regra. Mesmo ainda não conhecendo pessoalmente a escrita de Thalita me considero um fã, pois, todo escritor/autor brasileiro que consegue se firmar no mercado é porque realmente possui talento, já que nosso amado público brasileiro tende a escolher literaturas internacionais, abandonando a própria sorte produções brasileiras.
    Acredito que assim como você mesmo escreveu este livro deveria ser adaptado para o cinema, recentemente o país descobriu o talento necessário para boas produções, e um enredo que não apenas diverte, mas também informa e esclarece dúvidas devia sim ser aclamado e oferecido aos carentes de leitura.
    Parabéns pela ótima resenha, e também por se permitir falar sobre literatura brasileira.

    Julielton Souza

    http://dialeticaproposital.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...