[AILNEWS] "Record divulga os lançamentos de Setembro/14"

Olá! Como vai o dia? Em mais uma edição da coluna de lançamentos hoje trago para vocês os próximos lançamentos da Record, que traz continuação de série famosa, chick-lit do pseudônimo da bestseller Sophie Kinsella, nova série policial, thrillers, históricos, nacionais e mais. Os livros já estão todos no Skoob e a maioria você já encontra em pré-venda. Além disso quem está em São Paulo já pode comprar os livros na Bienal. Vamos aos lançamentos:

Encontros no Parque, de Hilary Boyd, 336 páginas. Tradução: Eliane Fraga.
Em mais de trinta anos de casada, Jeanie sempre foi uma esposa amorosa e mãe dedicada. E agora é avó –  com muito orgulho. Ela se considera feliz, apesar de George, o marido, ter passado a dormir em outro quarto há vários anos, sem lhe dar qualquer explicação.  Certo dia, enquanto leva a neta para passear no parque, Jeanie conhece Ray, que está ali também na companhia do neto. Ray parece ser tudo o que George não é: compreensivo, bom ouvinte, alguém com quem ela consegue se abrir e sexy. De repente, Jeanie se sente atraente de novo e, sem querer, apaixona-se perdidamente. Ela sabe muito bem que sua nova paixão ameaça tudo o que construiu ao longo dos anos, mas sente que vai ser difícil abrir mão dela. Será que Jeanie teria a coragem necessária para mergulhar no turbilhão de um novo romance e de uma paixão avassaladora a essa altura da vida?
Drinques Para Três, de Madeleine Wickham, 352 páginas. Tradução: Alice França.
Inteligentes e bem-sucedidas, todas trabalham para a mesma revista em Londres e, uma vez por mês, se encontram em um bar para colocar o papo em dia. Mas, apesar de saber que podem contar uma com a outra, preferem guardar certos segredos a sete chaves. A bela Roxanne há anos mantém um relacionamento com um homem casado; a competente Maggie de repente se vê prestes a assumir uma função para a qual não se julga preparada; e a doce Candice, da noite para o dia, resolve que precisa prestar contas com o passado. Só que o que Candice não imagina é que essa resolução vai dar início a uma série de acontecimentos que poderão abalar para sempre a amizade das três.

O Legado, de Katherine Webb, 406 páginas. Tradução: Marilene Tombini.
Após a morte da avó, Erica Calcott e a irmã Beth retornam à sua casa no sudoeste da Inglaterra, uma propriedade imponente onde as duas passavam as férias de verão na infância. Quando Erica começa a mexer nas coisas da avó, é tomada por lembranças do passado e de seu primo Henry, que desapareceu misteriosamente quando criança. Intrigada, ela resolve tentar descobrir o que aconteceu com o primo. Aos poucos, à medida que Erica vasculha os registros fotográficos da avó, um segredo de família vem à tona: algo que tem sua origem no século passado e na história de uma bela herdeira da alta sociedade norte-americana, numa terra selvagem e assombrada. Quando passado e presente são colocados frente a frente, Erica e Beth são obrigadas a enfrentar a realidade de duas traições terríveis e a lidar com o legado desolador que ficou para trás.
Os Diários Secretos de Charlotte Brontë, de Syrie James, 528 páginas. Tradução: Flávia Neves.
Levando uma vida reclusa no interior da Inglaterra com as irmãs Emily e Anne, o irmão viciado em drogas e um pai excêntrico à beira da cegueira, Charlotte Brontë sonha com uma história de amor tão ardente quanto as que cria na ficção. Mesmo sendo uma pessoa pobre, comum e sem amigos influentes, o lado impetuoso de Charlotte Brontë foi revelado nos livros que escreveu, como o famoso Jane Eyre, mas é nas páginas de seu diário que ela expõe seus sentimentos e desejos mais profundos. E também a verdade sobre sua vida, seus triunfos e decepções, a família, a inspiração para toda a sua obra, a paixão secreta e escandalosa por um homem que nunca poderia ser seu e o relacionamento intenso e dramático com o homem que aprendeu a amar: o enigmático Bell Nicholls.

A Vingança da Amante, de Tamar Cohen, 336 páginas. Tradução: Juliana Romeiro.
Sally e Clive viviam uma grande paixão proibida. Por cinco anos, Sally orquestrou sua rotina de jornalista freelancer e mãe de dois filhos para conciliar suas obrigações com os encontros tórridos e casuais com Clive. Daniel, seu marido, nunca desconfiou que a mulher tivesse um caso com um amigo da família. Um dia, sem mais nem menos, o amante resolve pôr um fim ao relacionamento extraconjugal na tentativa de salvar o casamento de mais de vinte anos, mas Sally não aceita o término. Ela fica obcecada pelo amante e não tem ideia de que essa obsessão pode levá-la a um caminho sem volta. A vingança da amante expõe os efeitos colaterais de um caso amoroso de forma perturbadora.
A Rebelde, de Valeria Montaldi, 391 páginas. Tradução: Joana Melo.
Em 1254, numa época em que as mulheres têm como destino apenas o casamento ou a vida religiosa, Caterina de Colleaperto ousa se dedicar totalmente ao estudo da arte médica. Seu empenho e sua competência levam-na a trabalhar no hospital mais importante de Paris, o Hôtel-Dieu. Aos poucos se destaca em sua carreira, mas seu espírito livre, forte e decidido torna-se alvo das intrigas de uma instituição exclusivamente masculina. Por isso, quando um crime ameaça manchar o bom nome do hospital, todas as acusações são lançadas contra ela. Para se esquivar das denúncias, Caterina é obrigada a uma fuga precipitada para Milão, sua terra natal. Ao chegar, encontra uma cidade onde a fome e as doenças exterminam os mais necessitados. Mais uma vez a injustiça parece dominar, mas Caterina está determinada a ajudar o próximo e retomar o controle da própria vida.

Herança de Sangue, de Mark Billingham, 392 páginas. Tradução: Mauro Pinheiro.
Enquanto cumpria pena por ter matado sete mulheres, o assassino em série Raymond Garvey foi diagnosticado com um tumor cerebral e morreu na prisão. Quinze anos depois de ele ter aterrorizado a Inglaterra com seus crimes bárbaros, os filhos de suas vítimas começam a ser assassinados. As mortes estão conectadas por uma pista: uma série de fragmentos de radiografia ensanguentados, encontrados na palma da mão de cada um dos cadáveres. O inspetor Tom Thorne precisa agir rápido e proteger os que ainda estão na lista do criminoso, mas nada e ninguém são o que parecem ser. Não quando se está lidando com um dos assassinos mais desequilibrados que já existiu.
Tutancâmon, de Nick Drake, 364 páginas. Tradução: Ricardo Silveira.
Com apenas 18 anos, o jovem rei Tutancâmon está disposto a pôr um fim à instabilidade política do Egito. Ao lado da esposa, a rainha Ankhesenamon, ele é o herdeiro de um império que deveria estar no auge de seu poder e glória, mas sofre com guerras e conspirações internas. Porém, o plano de reafirmar a autoridade de sua dinastia fica seriamente ameaçado quando “presentes” bizarros começam a aparecer no Palácio Real. Agravando ainda mais a crise, vários corpos brutalmente mutilados são encontrados nos arredores da cidade de Tebas. Para investigar esses estranhos eventos, o experiente detetive Rahotep é convocado pela rainha. Mas, quando as conexões entre os crimes o levam a descobrir segredos no obscuro coração do poder, a vida de Rahotep e de todos a quem ama serão colocadas em grande risco.

O Último Filho, de John Hart, 476 páginas. Tradução: Francisco Innocêncio.
Um ano após o desaparecimento de sua irmã gêmea Alyssa, Johnny Merrimon, de 13 anos, ainda acredita que ela esteja viva. O problema é que ele parece ser o único a acreditar nisso. O pai, sentindo-se culpado pelo que aconteceu, abandona a família, enquanto a mãe do menino cai numa depressão profunda que piora ainda mais quando ela passa a usar drogas. O detetive Hunt, responsável pelo caso, assiste a tudo de longe, preocupado e sentindo-se impotente. Mas Johnny está certo de que a irmã ainda vive e fará de tudo para encontrá-la, nem que para isso tenha de procurar em cada rua e vasculhar cada casa suspeita. Quando uma segunda menina é raptada e um homem à beira da morte afirma ter encontrado novas pistas, que Johnny acredita estarem relacionadas à irmã, o inesperado pode acontecer.
Em Nome do Mal, de James Oswald, 336 páginas. Tradução: Marilene Tombini.
A violência paira sobre Edimburgo. O corpo mutilado de uma jovem, vítima de um ritual macabro ocorrido há sessenta anos, repousa no porão de uma mansão. Os braços abertos, as mãos pregadas no piso de madeira, os órgãos removidos e dispostos em seis recipientes de vidro em torno da vítima. Além disso, uma proeminente figura local é brutalmente assassinada, um imigrante ilegal corta a própria garganta em um bar no centro da cidade, uma mulher se joga na linha do trem e outras quatro pessoas são mortas de forma violenta. O inspetor Anthony McLean tem certeza de que há uma ligação entre os assassinatos, os suicídios e o ritual no porão, mas não consegue encontrar uma explicação racional para os fatos. Na medida em que as coincidências aumentam, ele é forçado a considerar uma explicação sobrenatural. Poderia existir algo diabólico rondando a cidade que ele jurou proteger? Se sim, como detê-lo? As respostas que McLean procura logo farão com que se depare com a própria essência do mal.

Todas As Cores da Escuridão, de Peter Robinson, 378 páginas. Tradução: Carlos e Anna Duarte.
Enquanto corriam por um bosque, quatro garotos foram surpreendidos pela terrível descoberta de um corpo suspenso, no galho de uma árvore. Trata-se de Mark Hardcastle, um bem-sucedido cenógrafo e figurinista. O caso fica com a detetive Annie Cabbot, que não consegue entender por que um cenógrafo tão bem-sucedido como Mark, cuja última produção, Otelo, foi tão elogiada, se mataria. Seria mesmo um suicídio? Pouco depois, o corpo de Laurence, o companheiro de Mark, também é encontrado, revelando um crime com requintes de crueldade. Diante dessas circunstâncias Annie tem que interromper as férias do inspetor-chefe Alan Banks e chamá-lo para ajudar a resolver o caso. E quanto mais ele investiga, mais se vê preso em um mundo de sombras onde nada é o que parece. Motivado a descobrir a veracidade dos fatos, desafia autoridades, coloca a própria vida e o emprego em risco e se depara com inimigos inimagináveis.
Cura, de Robin Cook, 364 páginas. Tradução: Renato Prelorentzou.
A Dra. Laurie Montgomery-Stapleton, patologista do Instituto Médico-Legal de Nova York, volta da licença-maternidade insegura quanto a suas habilidades como profissional e mãe. Então se depara com um caso de morte natural muito misterioso, a oportunidade perfeita para provar suas competências. O cadáver, um asiático que parece perfeitamente saudável, caiu em plena plataforma do metrô de Nova York, sem nenhum bem ou documento de identificação. Porém, Laurie não imagina que tentar encontrar a causa da morte a coloca numa complexa rede internacional de crimes e atrai o perigo para dentro de sua casa.

O Homem Mais Procurado, de John Le Carré, 364 páginas. Tradução: Marcelo Schild.
Após o 11 de Setembro, Hamburgo tornou-se uma cidade suspeita, depois que alguns dos autores do atentado se mudaram para lá. A fim de evitar novos hóspedes indesejados, impôs aos imigrantes estado de emergência. Um dia, na calada da noite, um jovem checheno faminto entra clandestinamente na cidade. Em uma bolsa pendurada ao pescoço ele carrega uma quantidade expressiva de dinheiro. Trata-se de um muçulmano devoto que afirma chamar-se Issa. Constantemente vigiado, ele mudará a vida de todos com que mantiver contato, principalmente a de Annabel, uma jovem e idealista alemã especializada em direitos humanos, e a de Tommy Brue, um banqueiro influente, que descobre que o banco de sua família mantém uma conta em nome do pai de Issa, um líder militar cruel que acumulou riquezas por meio de práticas desumanas. Motivados por diferentes ideais, Tommy e Annabel acabam se aliando e se unem para defender Issa, acusado de colaborar com o terrorismo. Considerado o melhor romance de John le Carré.
Por Onde Você Anda?, de Mary Higgins Clark, 352 páginas. Tradução: Carlos Alberto Bárbaro.
Mesmo após dez anos, o sumiço de Charles MacKenzie Jr., mais conhecido como Mack, permanece um mistério. Curiosamente, no entanto, ele liga todos os anos para casa, sempre no Dia das Mães, para assegurar à família que está bem. Após um longo período de angústia, sua irmã, Carolyn, resolve descobrir seu paradeiro. Mas na manhã seguinte em que declara para o irmão sua intenção de localizá-lo a qualquer custo, ela recebe uma mensagem rabiscada em uma tira de papel em que Mack a avisa para não procurá-lo. Apesar do misterioso bilhete, Carolyn vai em frente e segue todas as pistas que ele possa ter deixado. Mas, enquanto persegue os rastros do irmão, ela precisa encarar a possibilidade de ele ter se tornado um serial killer e sua apaixonada busca pela verdade a levará a um confronto mortal com alguém muito próximo.

Três Macacos, de Stephen Mendel-Enk, 160 páginas. Tradução: Dina Lund.
O ano é 1987 e o 13º aniversário de Jacob se aproxima. Logo após a comemoração de seu bar mitzvah, seus pais anunciam o divórcio; sua mãe, na verdade, trocou o marido por um goy, fato que choca a pequena congregação judaica a qual pertencem em Gotemburgo, na Suécia. Enquanto os mais velhos alternam entre falar sobre a situação alarmante de Israel, invejar o estilo de vida dos judeus norte-americanos e se preocupar em manter as tradições, Jacob precisa lidar com o árduo processo do amadurecimento.
Uma Ladeira Para Lugar Nenhum, de Marco Carvalho, 160 páginas.
As ladeiras do Morro do Castelo abrigam a paixão proibida entre Padre Ernesto e a mulata Rosário. Enquanto Padre Ernesto luta para manter-se fiel à Igreja, assistimos aos últimos dias do Morro do Castelo, posto abaixo em 1921 e 1922 pelo afã modernizador que expulsaria milhares de moradores do centro do Rio de Janeiro. Marco Carvalho recria as cores, os cheiros e os sons de um Rio perdido e traz de volta personagens que, embora fictícios, representam os homens e as mulheres que viveram nas ladeiras que hoje levam a lugar nenhum.

As Fantasias Eletivas, de Carlos Henrique Schroeder, 111 páginas.
Na turística Balneário Camboriú, Renê, um recepcionista noturno de hotel, tenta reconstruir sua vida e encontra na amizade de Copi, um travesti obcecado por fotografias, uma alternativa para sua vida destruída. Renê lerá o que Copi escreve e será o único que terá acesso a suas fotos de surpreendente beleza. É quando um livro se abre dentro do livro, e tudo se torna um grande ensaio da alma humana. As fantasias eletivas une prosa, poesia e fotografia para refletir sobre a solidão e a criação literária, e mostra como a literatura, a de verdade, é sobretudo feita de sangue.
As Garras do Cisne, de Roberto Lopes, 462 páginas.
Os objetivos dos almirantes do Brasil de constituir uma força naval de valor estratégico, capaz não apenas de proteger o litoral do país, ou defender suas plataformas de petróleo, mas também de garantir aos brasileiros a exploração mineral do leito marinho, em águas internacionais do Atlântico Sul, e de cooperar no combate à pirataria marítima na costa ocidental africana. O texto do experiente jornalista Roberto Lopes – autor de trabalhos reveladores sobre a indústria bélica brasileira e a Guerra das Malvinas – mostra os principais planos do “Cisne Branco” (ave que dá título ao hino da corporação) e também descreve situações constrangedoras pouco divulgadas pela mídia, como o porta-aviões comprado da França que não consegue navegar e a fragata que está sendo “canibalizada” para que outras do mesmo tipo possam operar. Uma reportagem de referência, corajosa, informativa e questionadora.
Não É A Mamãe, de Guilherme Fiuza, 384 páginas.
A história do atual governo contada em crônicas publicadas no jornal O Globo e na revista Época, entre 2010 e 2014, nas quais Guilherme Fiuza repercute e opina sobre a gestão de Dilma Rousseff como presidente da República. Com rara capacidade de observação, humor singular e escrita leve e atraente, o autor reúne textos de cujo conjunto se extrai retrato definitivo – cômico e perplexo – do Brasil em que vivemos.
O Filósofo Peregrino, de Marcos Bulcão, 376 páginas.
Quatro países, 77 cidades, 86 dias e 2.065 quilômetros percorridos a pé. Foi essa a empreitada de Marcos Bulcão na Via Francígena, uma rota de peregrinação europeia até hoje pouco conhecida e explorada. Com uma narrativa saborosa, repleta de curiosidades históricas e culturais, esta obra nos deleita com os relatos de um peregrino interessado em testar seus limites a fim de conhecer o mundo, as pessoas e suas histórias.

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...