[LANÇAMENTOS & NOVIDADES#15] "GIZ Editorial"

Olá, #impressionautas!!!


Confiram os lançamentos deste mês da GIZ Editorial:


 























Fragmentos é uma obra composta por diversos textos, em sua maioria contos e poemas, além de um artigo que aborda a possibilidade de alternâncias rítmicas nas narrativas. Um trabalho heterogêneo à primeira vista, Fragmentos mostra um elo comum: a paixão pela literatura fantástica, que inspira ideias, histórias, versos.Como toda expressão cultural, a literatura não deve se prender a paradigmas.Ela é como uma tela em branco, que clama por experimentações. É por esta razão que – na opinião do autor – poemas, textos dissertativos, descritivos ou narrativos, além de outras formas de arte, podem coexistir na mesma obra. As miscigenações e rupturas de linearidade são sempre bem–vindas.
Fragmentos é isso: harmonia no caos, produzindo uma obra coesa. 

 






















Deixe–se encantar pelas fantásticas narrativas dos Irmãos Grimm. Neste livro você encontrará sete contos repletos de magia, mistério, fantasia e aventura, traduzidos e adaptados por Georgette Silen (autora de Fábulas ao Anoitecer” e As crônicas de Kira”). Estamos diante de uma variedade de histórias, que nem sempre são as mais populares entre os leitores brasileiros e por isso mesmo já capazes de despertarem um grande interesse. Indo beber na fonte dos irmãos Grimm, a autora encontrou um veio criativo e próprio para contar as histórias de modo potente e único.

 
















 
 
 



Vida de professor não é fácil. Que o digam o Professor Clodoberto e Dona Clarinha. Agora que o aluguel ficou muito alto, terão que se mudar... de novo. Eles encontraram um apartamento, mas fica muito longe da escola onde o velho professor ainda trabalha. Chegou a hora de se aposentar.
Entre problemas do presente, questionamentos sobre o passado e apreensão pelo futuro, o casal descobre algo extraordinário: As plantas deixadas pelo antigo morador do novo apartamento aos poucos ganham consciência. No começo, são sussurros. Não demora a surgirem diálogos.
O estranho apartamento do professor Clodoberto é onde se encontram personagens ternos e reais, que vivem situações comuns, mas de formas extraordinárias. É a simples história de pessoas com coragem, amor e, principalmente, esperança. 

 



















 


Este livro de contos de alumbramento assusta pelo impacto das obviedades da vida: o adolescer, por si só, já é um espanto difícil de ser entendido. Entrar na adolescência, segundo os contos de Aluado, significa perder–se em galopes furtivos pelas noites de si mesmo, em metamorfoses que podem variar entre lobo e boi. Assim, em atitudes de perplexidade e pasmação, o adolescente se vê entre promessas de amizade e amor eternos que podem facilmente se perder na primeira esquina. É preciso, parece, uma boa dose de coragem para entrar no mundo adulto e enfrentar a angústia, o lobo negro”. É fato que ficamos todos aluados alguma vez na vida. Estranhe–se também com estes inusitados contos de passagem. 

 






















Na memória de Reynaldo Domingos Ferreira há um Brasil de fazer inveja. É o que a gente pensa depois de ler seu livro, As Raparigas da Rua de Baixo. Ele fala de um Brasil que não conheci, mas morri de saudade. Reynaldo fez um bonito livro de memórias de sua Minas, da velha casa em Uberaba, das avós, da escola, das primeiras leituras e da iniciação na vida adulta. Mas não se enganem com o título, pois as raparigas são apenas circunstanciais. Reynaldo mostra um menino descobrindo o mundo..”

 






















Nos primeiros dias após a fundação da vila de São Paulo de Piratininga, o Padre Jesuíta José de Anchieta tenta acalmar um indiozinho aflito que se escondera no pequeno barracão do colégio. O medo do maléfico demônio Anhangá é o motivo do pavor do menino de pele avermelhada. Com todo o carisma que possuí, o jesuíta acolhe o pequenino enquanto a natureza, lá fora, demonstra toda a sua fúria através de uma tempestade que castiga impiedosamente a vila, sem saberem que o Mal está bem próximo.

 






















Anardeus nasce feio, cresce ignorado e se torna um adulto desagradável. Sente muito frio, o tempo todo, e só desfruta o conforto do calor quando testemunha tragédias e horrores. Ele odeia tudo e todos, menos sua irmã gêmea, Isabel, sua antítese: linda, amável e cheia de calor.
Anardeus, com a sua personalidade detestável, é um anti–herói incomum e, por isso mesmo, tão interessante. O mundo não deseja Anardeus. Anardeus não deseja o mundo. Mas terão que viver juntos até o final apocalíptico e perturbador.
Anardeus. No calor da destruição tem como cenário São Paulo e seus personagens cínicos, loucos, egoístas. Um romance sem rótulos ou lugar–comum, para ler e sentir tudo – menos indiferença. 

 





















Todos nós temos lembranças sobre alguma estória sobre bruxas de nossas infâncias. Desde crianças, acostumamos a ler nos livros ou ver em algum fillme antigo, velhinhas mas com grandes e amassados chapéus, mexendo em seu caldeirão de maldades enquanto lançam ardentes gargalhadas sobre o mundo. Como todo símbolo que evolui com o tempo, elas se transformaram em pessoas comuns, lindas ou feias, boas ou más; mas com o eterno fascínio da luta do bem contra o mal. Algo que nos enche de sonhos e alucinações da beleza que a magia produz em nossos corações.
Assim é o livro As Bruxas de Westteld”, um conto mágico, onde as aventuras acontecem em cada página contagiando aquele que o lê. Os encontros e desencontros do cotidiano de jovens adolescentes que se deparam com o poder da magia e vi–venciam deliciosas e intrigantes aventuras com o objetivo único de fazer o bem e vencer o mal. Típico livro de aventuras que temos uma imensa vontade de darmos uma pequena olhada no final para saber o seu fim, tamanho o suspense gerado pelo lindo texto da escritora Gabriela. Um livro escrito com carinho para aqueles que ainda não tomaram o gosto pela magia da lei–tura, como para aqueles que já se enfeitiçaram por ela.




0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...