[RESENHA] "Corações Feridos" de Louisa Reid. Por Eleni Rosa



Sinopse:Hephzibah e Rebecca são irmãs gêmeas, mas muito diferentes. Enquanto Hephzi é linda e voluntariosa, Reb sofre da Síndrome de Treacher Collins — que deformou enormemente seu rosto — e é mais cuidadosa. Apesar de suas diferenças, as garotas são como quaisquer irmãs: implicam uma com a outra, mas se amam e se defendem. E também guardam um segredo terrível como só irmãos conseguem guardar. Um segredo que esconde o que acontece quando seu pai, um religioso fanático, tranca a porta de casa.
No entanto, quando a ousada Hephzibah começa a vislumbrar a possibilidade de escapar da opressão em que vive, os segredos que rondam sua família cobram-lhe um preço alto: seu trágico fim. E só Rebecca, que esteve o tempo todo ao lado da irmã, sabe a verdadeira causa de sua morte...

Editora: Novo Conceito
Ano de lançamento: 2013
Nº páginas: 
Título original: 

  
Resenha: Hephzibah e Rebecca têm 17 anos, filhas do Pastor do Vilarejo onde moram, irmãs gêmeas, mas muito diferentes. Enquanto Hephzi é linda, Reb é feia e mais cuidadosa e sofre da Síndrome de Treacher Collins – que é uma má formação genética dos ossos cranianos. Apesar de suas diferenças, as adolescentes são irmãs bem normais: brigam uma com a outra, mas se amam.



Esta é a trama de Corações Feridos, livro de estréia da britânica Louisa Reid. Nesta narrativa somos convidados a entrar no mundo de duas jovens e conviver com uma história pesada. Mas o início dessa narrativa é sem emoção e o texto não tem dinamismo. O enredo, o fato em si, é muito lento sem criar uma expectativa para a virada da próxima página. Uma leitura um pouco tediosa. Existe a curiosidade, mas não é o suficiente.



As protagonistas poderiam ou pretenderiam chamar atenção para história, devido às características marcantes de ambas, mas se perdem em fatos pouco interessantes, talvez triviais ou postos a normalidade de um cotidiano voltado a religiosidade e/ou a educação rígida de uma família, porém com a novidade da rebeldia fugaz da adolescência, marca a virada do drama. 



Durante dezesseis anos elas viveram presas dentro de casa, com a Mãe, um mulher submissa ao marido, o pastor Roderick Kinsman (Mãe e Pai – são assim que se referem aos seus progenitores). As garotas não conhecem todas as sagacidades do mundo fora da igreja e são forçadas a aprender rapidamente e conviver com outros adolescentes, quando conseguem, finalmente, entrarem para escola. Hephzi se adapta com facilidade, mas para Reb, as coisas são difíceis por causa de sua deformidade.



Elas também guardam um segredo importante e, ao mesmo tempo, abominável. No entanto, quando a ousada Hephzibah começa a enxergar a possibilidade de fugir da vida a que foi destinada, os mistérios que rondam sua família cobram-lhe com seu nefasto fim. Rebecca, que sempre viveu à sombra da irmã, é a única que sabe a verdadeira causa de sua morte... E o que ocorrerá com ela, a ‘fera’ desse conto nada romântico como A Bela e a Fera? É uma incógnita.



Os elementos que ajudam na construção do enredo não variam muito e não tem um desdobramento vigoroso. Porém há detalhes relevantes para a boa compreensão da narrativa, isso é perfeito. O fator 'tempo", tanto cronológico quanto psicológico, é bem delineado. O uso da autora em distinguir cada capítulo em antes e depois para cada protagonista foi muito interessante e eficiente. A narrativa é feita em primeira pessoa. Cada capítulo é narrado por uma delas, uma - Hephzi - narra no passado antes de sua morte e a outra - Rebecca - no presente, depois da morte da irmã. Embora no início eu tenha pensado que meu raciocínio poderia ser confundido. O leitor poderá localizar a ação e imaginá-la com maior facilidade.




Corações Feridos é de fazer o leitor se incomodar com uma situação onde nada pode ser feito, apenas acompanhar e torcer por uma reviravolta. A história aspira ao suspense, com talvez um toque de terror. A montagem dos fatos leva a um mistério, que propõe a uma revelação final que entusiasme o leitor – pura pretensão.



Corações Feridos é um trailer psicológico onde o leitor deve estar preparado para encarar uma história revoltante, porém, pela lentidão em cada linha, em cada parágrafo, em cada página somos levados ao desespero. Afinal, o que pode acontecer ou o que aconteceu que não é mostrado logo..."estão me enrolando?" Essa é a questão.


O clímax, o momento chave da narrativa, trecho dinâmico e emocionante, onde os fatos se encaixam para chegar ao desenlace, ocorre - pontualmente - nas últimas cinquenta páginas do livro, infelizmente. A partir dessa possibilidade final, tão bem construída, é possível perguntar: por que a narrativa não ocorreu com esse perspectiva,  desde o primeiro capitulo?


O desenlace, a conclusão da narração, onde tudo que ficou pendente durante o desenvolvimento do texto é explicado, e o “quebra-cabeça” da história é montado, tem um ápice, mas, ao mesmo tempo, deixa a desejar. 



A leitura poderia ser recomendada mas... não o faço pois não é um bom drama como suspense, onde todas as reviravoltas são surpreendentes, apesar de personagens marcantes.



Desculpem-me, por ser tão dura, mas não há possibilidade para quem já leu: Dan Brown, Agatha Christie, José Saramago, Jorge Amado, entre outros. 

Eleni Rosa

Sobre a Autora: 

Louisa Reid formou-se em Inglês pela Hertford College, em Oxford. 

Além de escritora, é também professora em Cambridge. 

Casada, e com duas filhas, ainda assim costuma acordar e dormir pensando em livros.


[DIVULGAIL]"Ministério da Cultura e PNLL lançam editais para apoiar iniciativas de fomento à leitura e à produção literária"

O Ministério da Cultura, através da Diretoria de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB) e da Secretaria do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) lança editais para apoiar iniciativas de fomento à leitura e à produção literária.

O investimento total é de R$6,6 milhões, valor que será dividido em 4 eixos de ação:


1) PRÊMIO BOAS PRÁTICAS E INOVAÇÃO EM BIBLIOTECAS PÚBLICAS

Objetivos: Premiar e fomentar iniciativas reconhecidas como boas práticas, ou inovadoras, que vêm sendo aplicados em bibliotecas públicas e são voltadas para a qualificação dos serviços oferecidos e a sustentabilidade desses equipamentos culturais, bem como para difusão e compartilhamento das metodologias e das iniciativas premiadas no SNBP – Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas.

O Investimento é de R$ 1.700.000,00 para premiar 52 projetos com R$ 32.000,00

2) PRÊMIO LEITURA PARA TODOS: PROJETOS SOCIAIS DE LEITURA

Objetivo: Reconhecer e fomentar iniciativas da sociedade civil que realizam projetos sociais de fomento à leitura em espaços e contextos diversos, cujo histórico de atuação demonstrem resultados efetivos na formação de leitores, na inclusão social e construção da cidadania por meio do livro e da leitura.

O Investimento é de R$ 1.500.000,00 para premiar 30 projetos de R$ 50.000,00

Linhas de ação:

1. Iniciativas Sociais de Promoção da Leitura

2. Formação e mediação de leitura:

3) BOLSAS DE FOMENTO À LITERATURA

Objetivo: Promover e fomentar a literatura brasileira, por meio de concessão de bolsas de apoio ao desenvolvimento de projetos voltados para a criação, a produção, a difusão, a formação e a pesquisa literária.

Investimento é de R$ 1.900.000,00 e forneceremos 100 bolsas

4) CIRCUITO NACIONAL DE FEIRAS DE LIVROS E EVENTOS LITERÁRIOS

Objetivo: Apoiar a realização de feiras de livros e de eventos literários existentes no país, voltados para o fomento da economia do livro, a promoção da leitura e difusão da literatura no âmbito do Calendário Nacional de Feiras de Livros e Eventos Literários.

Investimento: R$ 1.500.000,00 para apoiar até 15 projetos

Durante a cerimônia de lançamento dos editais (confira aqui), a ministra da Cultura, Marta Suplicy, ressaltou que "as ações destes editais, no geral, seguem a estratégia de fomentarem iniciativas já existentes e bem sucedidas e, com isso, ampliá-las. Os editais estimulam as duas pontas da cadeia produtiva do livro: formam público e apoiam escritores. Com isso, desenvolvem todo o setor."

Os objetivos dos editais têm relação direta com a metas do Plano Nacional de Cultura, entre elas a meta 20, que se refere ao aumento do número de livros lidos anualmente por uma pessoa, para além dos que lê no aprendizado formal; a 29, que determina 100% de bibliotecas públicas, museus, cinemas, teatros, arquivos públicos e centros culturais atendendo aos requisitos legais de acessibilidade e desenvolvendo ações de promoção da fruição cultural por parte das pessoas com deficiência"; também, a meta 34, que estabelece 50% de bibliotecas públicas e museus modernizados:

Confira a íntegra dos editais, participe!


- Edital de Apoio ao Circuito Nacional de Feiras de Livros e Eventos Literários
Edital , Anexo I , Anexo II , Anexo III , Anexo IV , Anexo V


- Prêmio Boas Práticas e Inovação em Bibliotecas Públicas
Edital , Anexos I a IV


- Edital  Bolsas de Fomento à Literatura
EditalAnexo I , Anexo II , Anexo III


- Edital Prêmio Leitura para Todos: projetos sociais de leitura

[DIVULGAIL] "A Primavera dos Livros está de volta a São Paulo"

A Primavera dos Livros está de volta a São Paulo. E é recebida, em parceria com a Biblioteca Mario de Andrade e a Prefeitura da cidade, onde seu coração pulsa mais forte, o centro, na praça Dom José Gaspar.
Com esse evento, que conta com ampla participação dos poetas da cidade - uma quinzena de coletivos de poesia da periferia se apresentam em saraus abertos ao público -, os editores reunidos em torno da Libre expõe e celebram o livro e a leitura. Mas, mais do que isso, aprofundam uma ideia central para o debate democrático e pluralista na sociedade brasileira: a bibliodiversidade.

Nas últimas décadas, os brasileiros tiveram a coragem de pôr em pé um país muito mais democrático, em que as dificuldades nacionais pudessem ser não apenas expostas e debatidas, mas também aprofundadas. Num país que tinha (e que infelizmente ainda não resolveu totalmente a questão) altos índices de analfabetismo, uma série de editores e editoras se empenhou em difundir desde livros para leitores iniciantes até teses acadêmicas complexas, passando por uma literatura que se libertava de muitas amarras.

E, quase sempre, foram pequenas e médias empresas, distantes do grande capital, que cumpriram essa função.

Esse espírito democrático norteou a criação da Libre – Liga Brasileira de Editoras –, após a primeira edição da Primavera dos Livros, em 2001, no Rio. Além desse evento de divulgação, a Libre organiza uma atuação conjunta dos editores junto ao mercado livreiro e ao governo, e também a cooperação entre essas empresas, sempre com a ideia de promover a diversidade de leituras, de autores, de editores e de livrarias: quanto mais gente envolvida nesse processo, acredita a Libre, mais livre e democrático será o país.

Assim, lutamos contra o fenômeno de “best-sellerização” da cultura, mas também por compras governamentais justas e plurais, que valorizem a bibliodiversidade que o leitor encontra nas Primaveras dos Livros.

A Primavera dos Livros de 2014, em sua décima edição em São Paulo, conta com o apoio fundamental do BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. É com satisfação que o recebemos, mais um sinal de reconhecimento pelo governo federal do papel fundamental de difusor livre de ideias e, ao mesmo tempo, de atividade econômica importante para o país que o mercado livreiro tem.

Fonte: Libre.org

[DIVULGAIL] Desvendado misterioso viral da Editora Novo Conceito!

Após muitos dias dando pistas insolúveis em seus perfis de redes sociais, a nossa #parceira Editora Novo Conceito finalmente divulgou do que se tratava todo o marketing viral que deixou a blogosfera em polvorosa...

Trata-se de seu novo livro fantástico "O Lado Mais Sombrio", escrito por A. G. Howard, onde vemos o desenrolar de uma trama envolvendo a tataraneta de Alice - sim, aquela do País das Maravilhas...

Uma pequena descrição foi revelada: "Olá! Meu nome é Alyssa Victoria Gardner. Sou filha de Alison, neta de Alícia, tataraneta de Alice Liddel, a garota que inspirou a Alice de Lewis Carroll. Coleciono insetos para silenciar seus sussurros e meu iPod é essencial pra tudo o que faço na vida. Ouço pensamento de plantas e animais. SIM! A insanidade faz parte da minha família há anos, mas... talvez nossas histórias não sejam tão fantasiosas assim... Bem-vindo a minha vida. Bem-vindo ao verdadeiro País das Maravilhas!"

Além disso, também foram revelados a capa nacional e o book trailer. Confira:




Não foi revelado o valor e muito menos a data de lançamento. Aguardem maiores informações...

Fonte: Editora Novo Conceito

[AILNEWS] "J.K. Rowling anuncia novo livro para Junho"










 Olá, boa tarde... #impressionautas!!!

Hoje, trazemos uma maravilhosa notícia direto no mundo literário! E tenho certeza que muitos de vocês irão adorar a "new".... Confiram!!!


J.K. Rowling, sob pseudônimo de Robert Galbraith, anunciou a sequencia de "O Chamado do Cuco", lançado em Abril 2013 pelo Brown Book Group.

"The Silkworm" é um novo romance policial protagonizado por Cormoran Strike – o detetive de “O Chamado do Cuco". O livro tem previsão de lançamento em 19 de Junho 2014, no Reino Unido. No entanto, não sabemos quando será lançado no Brasil.


Sinopse: O investigador particular Cormoran Strike retorna em um novo mistério de Robert Galbraith, autor do bestseller # 1 "O Chamada do Cuco".  Quando o romancista Owen Quine desaparece, sua esposa chama o detetive particular Cormoran Strike. Num primeiro momento, a Sra. Quine apenas acha que seu marido tenha viajado sozinho por alguns dias, como ele fez antes e ela quer que Strike o encontre e o traga para casa. Mas com a investigação de Strike, torna-se claro que há mais para o desaparecimento de Quine do que sua esposa percebe. O romancista acaba de completar um manuscrito com retratos venenosos de quase todo mundo que ele conhece. Se o romance fosse publicado, seria arruinar a vida de todos - o que significa que há um monte de pessoas que possam querer manter Quine em silêncio. Quando Quine é encontrado brutalmente assassinado em circunstâncias bizarras, torna-se uma corrida contra o tempo para entender a motivação de um assassinato cruel, um assassino diferente de qualquer um que Strike tenha encontrado antes... Um romance policial compulsivamente legível com reviravoltas a cada passo.

The Silkworm é o segundo volume da aclamada série com Cormoran Strike e sua determinada jovem assistente, Robin Ellacott. E o terceiro livro publicado pela autora, antecedido por "Morte Súbita" e "O Chamado do Cuco". O quê os fãs de J.K. Rowling podem esperar deste novo romance? Bem, agora, somente nos resta aguardar a tão esperada estréia,no Brasil.

                 
Fonte:Robert Galbraith

[AIL NEWS] Assista o trailer do novo filme das Tartarugas Ninja!

Divulgado o trailer completo do filme "As Tartarugas Ninja", estrelado por Megan Fox.


Com ela, estarão no elenco Alan Ritchson, Jeremy Howard, Pete Ploszek, Noel Fisher, entre outros.
O filme, produzido por Michael Bay, estreia nos EUA em 06 de junho de 2014.

Confira:



Fonte: CBMTrailers

[RESENHA] "O Começo de Tudo" de Robyn Schneider. Por Mac Batista

Sinopse: O garoto de ouro Ezra Faulkner acredita que todo mundo tem uma tragédia esperando ali na esquina – um encontro fatal depois do qual tudo o que realmente importa vai acontecer. Sua tragédia particular esperou até que ele estivesse preparado para perder tudo de uma vez: em uma noite espetacular, um motorista imprudente acabou com a perna de Ezra, com sua carreira no esporte e com sua vida social. Depois que perdeu o favoritismo ao posto de rei do baile, Ezra agora almoça na mesa dos losers, onde conhece Cassidy Thorpe. Cassidy é diferente de qualquer pessoa que Ezra tenha encontrado antes – melancólica e com uma inteligência mordaz. Juntos, Ezra e Cassidy descobrem flash mobs, tesouros enterrados e um poodle que talvez seja a reencarnação do Grande Gatsby. À medida que Ezra mergulha nos novos estudos, nas novas amizades e no novo amor, aprende que algumas pessoas, assim como os livros, são difíceis de interpretar. Agora, ele precisa considerar: se uma tragédia já o atingiu, o que poderá acontecer se houver mais infortúnios? O Começo de Tudo é um livro poético, inteligente e de cortar o coração sobre a dificuldade de ser o que as pessoas esperam, e sobre começos que podem nascer de finais trágicos.

Editora: Novo Conceito/ Ano de Lançamento: 2013/2014


Título Original: "The Beginning of Everything"/ Número de Páginas: 288


Resenha: Em meio a várias remessas de livros, das editoras, para leitura e análise crítica, recebi este livro da Novo Conceito. Quando li a sinopse percebi logo que se tratava de mais um livro do gênero "Sick-Lit" (Literatura de Doença)

Um termo muito estranho, mas que justifica muito esta modalidade que, a cada dia que passa, vem conquistando mais e mais os jovens e alguns adultos, no mundo. Um bom exemplo é ganhador de vários prêmios "O lado bom da vida" de Matthew Quick e "A culpa é das estrelas" de John Green. E não poderia deixar de citar um dos percussores deste gênero: "Um Amor para Recordar" de Nicholas Sparks.

Em "O Começo de Tudo", conhecemos Ezra Faulkner, um rapaz de 16 anos, jogador de tênis,  representante do grêmio estudantil, muito popular e namora a garota mais bonita da escola, Charlotte. Em suma, Ezra tem a vida perfeita. A vida que muitos, em sua faixa etária, pedem a Deus... até que um acidente muda sua vida para sempre.

Ele vê sua vida ser colocada de "pernas para o ar" e não sabe o que fazer. De popular e futuro astro do tenis ao cara estranho, "com aspecto de vampiro" e que usa uma bengala para se locomover. 

Para piorar, ele percebe que aqueles que considerava seus amigos, aos poucos, se transformaram em verdadeiros estranhos. E, no momento em que achava que enfrentaria sozinho este novo desafio, ele conquista novas amizades e um novo amor de pessoas que ele menos esperava.

"O Começo de Tudo" vai além de uma história que envolve típicios adolescentes norteamericanos e suas atitudes tão massivamente retratadas em séries, filmes e livros. Não que isso não seja citado no livro. Na verdade, estas características são fatos secundários na história  já que ela aborda a questão da superação, recomeço e tomada de decisões que, não somente muda os rumos da vida de qualquer pessoa, como também a transforma para sempre... e para melhor.  

O livro tem uma narrativa despretensiosa e envolvente, instigando a curiosidade do leitor em saber o quê vai acontecer na próxima página. Contudo, ao contrário da maioria dos livros Sick-Lit, "O Começo de Tudo" passa a idéia de "superação" nas entrelinhas, sendo complemente subjetivo  Como? Somente lendo o livro para saber!rss. Além disso, ninguém precisa fazer uso de antedepressivos para lê-lo até a última página! O que é muito gratificante!rss. No entanto, recomendo a leitura somente para aqueles que gostam do gênero. 

Bjins e inté... Mac Batista. 

*InfoAilBook: Este livro entrou para o rank dos 21 melhores livros, na categoria Young Adult, do site BuuzzFeed Books, conquistando o 3º lugar.


**Um pouco sobre a autora:  ROBYN SCHNEIDER é escritora e atriz. Ela passou a adolescência em uma cidade parecida com a que serve de cenário para O Começo de Tudo.

Formou-se em Escrita Criativa e em Ética Médica. Robyn vive em Los Angeles, mas também vive na internet. 

Você pode encontrá-la no YouTube, no Twitter, no Facebook, no Tumblr, no Instagram...

[AIL NEWS] EXCLUSIVOOOO:"George R.R. Martin libera trecho do sexto volume de Game of Thrones!"

O autor George R.R. Martin liberou um trecho do sexto livro da saga Game of Thrones (ainda em produção) em seu site pessoal. 

Para ilustrar o post, Martin usou a imagem do "Titã de Braavos" (reproduzida acima) e disse que "o novo capítulo na verdade é antigo. Mas não, ainda não publiquei ele em lugar nenhum, nem acho que tenha lido em alguma convenção. Ele é novo no sentido de que não foi lido por ninguém além dos meus editores e antigo pois foi escrito há muito tempo"

Para ler o trecho (em inglês), clique aqui.

Fonte: George R.R. Martin

[AILNEWS] "Lançamentos de Histórias em Quadrinhos - Março/2014" Editora Nemo

EditoraNemo_logo_ch 

 Bom dia, #impressionautas!

Conheçam os lançamentos do mês de março da Editora Nemo:

O Mundo de Edna 3 – A Deusa (edição especial, formato 24 x 32 cm, 88 páginas, capa dura, R$ 49,00, distribuição em livrarias e comic shops), por Moebius
Aâma Volume 1 – O cheiro da poeira quente (edição especial, formato 20 x 28 cm, 88 páginas, R$ 39,00, distribuição em livrarias e comic shops), por Frederik Peeters
Garfiel Volume 1 (edição especial, formato 17 x 26 cm, 112 páginas, R$ 29,90, distribuição em livrarias e comic shops)
Garfiel Volume 1
Aâma Volume 1 - O cheiro da poeira quenteO Mundo de Edna 3 - A Deusa


Fonte: Editora Nemo

[AILNEWS]"Novo livro de Harlan Coben será adaptado para o cinema"


O novo livro de Harlan Coben, Missing You (ainda sem tradução para o Português), mal chegou nas livrarias americanas e teve seus os direitos de adaptação comprados!

Destava vez, a Warner Bros e RatPac Entertainment saíram na frente para adquirirem o direitos, tendo com Brett Ratner como produtor e John Cheng e James Packer como produtores executivos, respectivamente.

Neste livro, o leitor se depara com a história de uma detetive (do departamento de polícia de Nova York) chamada Kat Donovan

Numa pesquisa um site de encontros, ela descobre o perfil e foto de seu ex-noivo que a deixou dezoito anos atrás. Kat logo começa a desvendar um esquema intricado, liderado por um assassino brilhante e calculista.

Outros livros de Coben também serão adaptados como: "Não Conte a Ninguém", por Argo e roteiro de Chris Terrio da Universal e direção de Gavin O’Connor; e "Six Years" será adaptado pela Paramount com produção de Mark Gordon e Hugh Jackman estrelará. 

Coben vendeus os direitos do livro Stay Close ("Fique Comigo", em Português) para o time de Lawrence Kasdan para , mas esse projeto ficará em standby até Kasdan terminar a adaptação do novo filme de Star Wars.

O autor vem ao Brasil para a 23ª edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, no primeiro final de semana.

O Ail também já publicou resenha  do livro "Cilada" de Harlan Coben, por Mac Batista. Confiram!!!

Equipe AIL. 

[AILNEWS] EXCLUSIVO: "Cidade de Papel" de John Green vai ganhar adaptação para o cinema!!!

 Exclulsivo: O site Deadline confirmou esta semana que o livro Cidades de Papel, do John Green, vai ganhar uma adaptação nos cinemas. O autor fechou contrato com a Fox e o projeto já começa a tomar forma. John planeja trazer, não só os produtores e roteiristas de A Culpa é das Estrelas, como também alguns dos atores do elenco.

O protagonista Quentin Jacobsen será interpretado por Nat Wolff, que faz o Isaac emA Culpa é das Estrelas. Scott Neustadter e Michael H. Weber farão a adaptação, Wyck Godfrey e Marty Bowen são os produtores. Os roteiristas serão produtores executivos ao lado de John Green.

Um pouco sobre a trama: 

Cidades de Papel se passa em Orlando e retrata a vida de Quentin, um jovem que passa por uma experiência um tanto memorável na infância com sua vizinha Margo. Eles acabam crescendo e seguindo caminhos diferentes, mas o sentimento que Quentin nutre por Margo permanece o mesmo. 

Em uma noite, a ex-amiga aparece no quarto de Quentin com um plano de vingança contra aqueles que a machucaram. Eles se reaproximam e a história começa a ser traçada a partir daí.


Importante:
 
Ainda não foram divulgadas informações sobre o resto do elenco e o início das gravações.

E então, qual atriz gostariam de ver interpretando Margo Roth Spiegelman?


Fonte: DeadLine

[AILNEWS] "Sick-lit: a literatura que não subestima o adolescente"

Pacientes com graves doenças físicas e psicológicas substituem vampiros e bruxos no gosto infantojuvenil e dão espaço para reflexões sobre a vida e a morte, sem fantasiar a realidade a seus leitores

Raquel Carneiro
Detalhe da capa do livro 'As Vantagens de Ser Invisível' com os atores da adaptação cinematográfica
Detalhe da capa do livro 'As Vantagens de Ser Invisível' com os atores da adaptação cinematográfica (Reprodução)
 
A literatura é feita de ciclos. Isso se observa na alternância de estilos e escolas que atravessa os séculos, mas também, de maneira bem mais prosaica, nas mudanças rápidas por que passa o mercado de livros - mais ainda, o voltado aos adolescentes. Até pouco tempo encantados pelas fantasias de bruxos, vampiros e anjos, os leitores infantojuvenis estão agora tomados pela dura realidade das vítimas de câncer, transtornos alimentares, automutilação e depressão. São os representantes daquela que a imprensa americana já apelidou de sick-lit (literatura de doença), expressão derivada de chick-lit (a literatura feita para mulherzinha). Mas esse filão, que é um fenômeno comercial – nesta semana, três livros estão entre os mais vendidos de VEJA – poderia ser definido ainda de outra forma: como a literatura que não subestima o adolescente. E que o adolescente não subestima.

Antecedentes

Ainda que os livros façam sucesso, o termo sick-lit não agrada a boa parte dos editores e escritores, para os quais o termo reduz as obras. “São livros que levam uma mensagem legal, que não tem nada a ver com a ideia que se forma quando ouvimos o termo sick-lit”, defende Danielle Machado, editora de livros jovens da Intrínseca, responsável por trazer para o Brasil as obras A Culpa É das Estrelas e Extraordinário, de R.J. Palacio. “Ambos estão envolvidos em um contexto maior. Como o caso do Extraordinário, sobre um garoto com deformidade facial. O dilema que ele vive no livro é algo além da doença, é um dilema comum a jovens sadios que é o bullying.”

Apesar do apelido, mal utilizado ou não, a literatura marcada por males e doenças e a iminência de uma morte quase datada – de preferência nos braços de uma pessoa amada –, não é exatamente uma novidade. Novo é ter tantos livros conquistando leitores ao mesmo tempo – o que denota uma tendência de mercado. “Desde Homero, a questão da morte é forte na literatura”, conta João Ceccantini, professor de Literatura Brasileira da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Assis. “Mas o livro deve ter qualidade e não apelar para o lado piegas da doença, senão será apenas mais um modismo que alguns autores usam para vender livros. Se a obra tem soluções estéticas boas, então a leitura vale a pena.”

“Esses livros vão além do entretenimento”, diz Fernando Baracchini, presidente da editora Nova Conceito, responsável por trazer para o Brasil em 2012 o título Garotas de Vidro, sobre uma jovem com anorexia, e também um dos “avós” do filão, Um Amor para Recordar, de Nicholas Sparks, livro lançado em 1999 e já vertido para o cinema, que fala sobre uma adolescente careta que descobre ter leucemia e se envolve com o badboy da cidade. Ciente da força que o filão adquiriu nos últimos tempos, Baracchini, que o chama de “nova tendência” e “aposta do mercado”, já tem outros três títulos engatilhados para este ano. O único deles que adianta é A Menina que Semeava, do autor americano Lou Aronica, sobre uma garota de 14 anos que teve câncer na infância e criou em sua mente um mundo fantasioso para lidar com a doença.

O câncer também aparece naquele que é o carro-chefe do filão, o best-seller A Culpa É das Estrelas (Intrínseca, 288 páginas, 29,90 reais), do americano John Green. Na história, a jovem Hazel Grace, de 16 anos, convive com um câncer na tireoide que já tomou parte de seu corpo e a mantém na expectativa da morte. O livro tem parentesco com Antes de Morrer, de Jenny Downhan, sick-lit sobre uma garota com câncer que monta uma lista de coisas para fazer antes de morrer, com a diferença de que Hazel não tem a intenção de viver cada dia como se fosse o último, e se relaciona com a ideia da morte do modo direto, sem filtros. 

O livro de Green, que saiu em 2012 e vendeu mais de 1 milhão de cópias pelo mundo, tem agora um roteiro encaminhado para o cinema, assinado pelo próprio autor em parceria com dois roteiristas. Pode seguir a mesma trilha de O Lado Bom da Vida, sobre o romance entre dois pacientes psiquiátricos, que virou filme e rendeu um Oscar à atriz Jennifer Lawrence neste ano. Outro representante do grupo que em breve estará em cartaz é Extraordinário (Intrínseca, 320 páginas, 24,90 reais), da escritora americana estreante R.J. Palacio. O livro, que chegou ao Brasil em fevereiro, é um drama com tons de reflexão sobre um garoto de 10 anos que possui uma síndrome genética causadora de deformidade facial. Narrado pelo próprio protagonista, o livro apresenta o ponto de vista de uma criança que, ciente de sua estranheza e de seu deslocamento no mundo, cria um manifesto em favor da gentileza e contra o bullying, temática comum entre adolescentes que nem precisam de uma doença grave para experimentar esse tipo de violência. 

Doença sem tabu na literatura juvenil

As obras abaixo fazem parte do filão da sick-lit e estão avaliadas em uma escala de vai de 0 a 5, sendo 5 a nota máxima e 0 a mínima

A Culpa É das Estrelas

(Tradução de Renata Pettengill, Intrínseca, 288 páginas, 29,90 reais) No best-seller lançado em 2012 pelo americano John Green, dois adolescentes se conhecem em um grupo de apoio para jovens com câncer. Hazel tem 16 anos e convive há três com a doença que começou na tireoide e atacou seus pulmões. Desenganada pelos médicos, a garota ainda sobrevive por causa de um tratamento experimental que tem funcionado. Já Augustus, 17 , teve osteossarcoma e amputou uma das pernas. Os dois vivem um romance tão sincero quanto as falas e os pensamentos criados por Green. “Apenas tentei escrever uma história honesta sobre o câncer”, disse o autor em entrevista à revista VEJA.
Repleto de frases filosóficas, mas sem cair nos clichês de autoajuda, o livro estreou direto no primeiro lugar na lista infantojuvenil de best-sellers do jornal The New York Times, e já soma mais de 1 milhão de exemplares vendidos no mundo, 90 000 deles no Brasil. A história será adaptada para o cinema, ainda sem data de estreia, com a jovem atriz Shailene Woodley (Os Descendentes) no papel principal.
Classificação: 5
 
Empatia – Para a escritora Bruna Vieira, 18 anos, esses livros propõem que o leitor se projete numa realidade muitas vezes difícil, mas sempre intensa – e esse é um dos segredos de seu sucesso. “Gosto de ler um livro e pensar que a personagem poderia ser minha melhor amiga”, diz. Não é difícil. Muitos personagens, ameaçados pela morte, procuram viver cada dia como se fosse o último – e intensidade é uma palavra-chave na adolescência. Ela pauta tudo, para os personagens e para os leitores que os acompanham: o primeiro amor, os laços de amizade, o medo do futuro e o medo da morte.

“As pessoas dizem que a adolescência é a fase mais gostosa da vida de uma pessoa, mas é também aquela em que somos mais frágeis. Tudo é novo e forte. Livros como As Vantagens de Ser Invisível mostram isso”, afirma Bruna, que é autora do blog Depois dos Quinze, do site da revista CAPRICHO (da Editora Abril, que também edita VEJA). Hit entre adolescentes, a página, criada por ela em 2009 para falar da tristeza de levar um fora do namorado, deu origem a um livro homônimo no ano passado. “Acredito que a vida é assim. Temos de aprender com as coisas ruins que acontecem e seguir em frente”, diz a jovem, que encontrou nos livros e no blog uma forma de encarar seus problemas. Apesar de tratar de um momento de superação, o livro de Bruna não pode ser classificado como sick-lit, já que é feito de crônicas pessoais sem um personagem fictício enfermo. Por enquanto, não existem representantes brasileiros da tendência.

Aprendizado – Ainda que o adolescente reconheça o valor desses livros, há sempre uma tropa de choque de plantão disposta a barrá-los. As Vantagens de Ser Invisível, que saiu pela primeira vez em 1999 e ganhou reedição no ano passado, de carona no filme de mesmo nome, conquistando um espaço que mantém até hoje na lista dos mais vendidos, já vendeu mais de 3 milhões de exemplares pelo mundo. Mas isso não impediu que o título enfrentasse resistência.

Em entrevista ao site de VEJA, o autor, o americano Stephen Chbosky conta que o livro chegou a ser proibido em algumas escolas dos Estados Unidos a pedido de associações de pais e educadores. O motivo seria o teor “pesado” da obra, que trata abertamente do abuso de álcool e drogas, e traz como personagem principal um adolescente depressivo com um amigo que se suicida. “Acho que pais e educadores têm responsabilidade em tentar filtrar o que é consumido pelos adolescentes. Porém, não creio que esse tipo de proibição seja eficaz. Se eles não estiverem lendo As Vantagens de Ser Invisível, vão ler coisas na internet que podem ser realmente inadequadas”, diz Chbosky. “Eu, como pai, quero proteger minha filha de várias coisas, mas no fundo sei que não é possível. Creio ser mais eficiente manter diálogo em casa. Que os pais conversem com os filhos sobre o que leem e debatam em vez de proibir.” 

Outras opiniões sobre o assunto, cliquem aqui  e aqui.

Fontes: Veja.com 
              Globo.com
              Infoescola.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...