[RESENHA] "Os Adoráveis" de Sarra Manning

Sinopse: Eles não têm medo de ser quem são...

Jeane é blogueira. Seu blog, o Adorkable, é um blog de estilo de vida — na verdade, o estilo de vida dela — e já ganhou até prêmios na categoria “Melhor Blog sobre Estilo de Vida” pelo e Guardian e um Bloggie Award. Adora balas Haribo, moda (a que ela cria, comprando em brechós) e colorir (ou descolorir totalmente) os cabelos. Cheia de personalidade e meio volúvel, ainda assim Jeane é bacana — mesmo nos momentos em que se transforma numa insuportável. Mas, certamente, ela não olharia duas vezes para Michael. Porque Michael é o oposto de Jeane. Ele é o tipo de cara que namoraria a garota mais bonita da escola. E compra suas roupas na Hollister, na Jack Wills e na Abercrombie. Além disso, diferente de Jeane, que é autossuficiente, Michael é completamente dependente do pai, o Clínico Geral que condena açúcar, e ainda permite que sua mãe compre suas roupas! (Embora, para Jeane, o pior mesmo sobre Michael é que ele baixa música da internet e nunca paga por isso). Jeane e Michael têm pouco em comum, além de algumas aulas e uma maçante dupla de “ex” — Scarlett e Barney. Mas, apesar disso, eles não conseguem se desgrudar desde que ¬ ficaram pela primeira vez.

Resenha: Quando eu li a sinopse deste livro, pensei "Arf! mais um livro teen, mostrando o cotidiano teen... a tendência teen.. teen.. teen!!!". Confesso que não fiquei muito animada, mas este romance estava na lista de leitura do mês e eu não tinha alternativa. No entanto, protelei o máximo que pude. Adiantei outras leituras  que - aos meus olhos - eram mais interessantes. Resolvi algumas questões pessoais e quando me senti psicologica e espiritualmente preparada para ler "Os Adoráveis" dediquei os momentos mais propícios para isso, por exemplos, trens lotados, engarrafamentos... Bem nestes momentos a gente dorme, ouve música ou ler um livro. E foi o que fiz: li o danado do livro!rs

Assim que iniciei a leitura, meu cérebro - maldosamente - não parou de me enviar cenas do seriado "Glee". Isso me irritou bastante porque eu não queria fazer nenhum tipo de associação, maaaas isto é algo quase impossível quando somos apresentados à alguns fatos repetitivos. E, assim, percebi que "Os Adoráveis" daria um ótimo "Glee" britânico, sem a parte da cantoria! Isto é se um dia resolverem adapatar o romance para série de Tv.

Em "Os Adoráveis" o leitor é apresentado ao tema "Dork" pela perspectiva de Jean, uma adolescente de 17 anos completamente aversa a ditadura da moda. Jean tem seu próprio estilo de vida e abomina tudo que não se adequa a isto. Ao contrário da maioria dos adolescente de sua idade, Jean tem sua própria fonte de renda. É emancipada pelos pais e mora sozinha desde os 15 anos. Possui um estilo oposto aos adolescentes de sua idade, o quê a torna uma garota totalmente excêntrica e, a princípio, "odiada" por todos de sua escola. Bem a maioria tem,na verdade, uma certa aversão a Jean.


Além disto, Jean é uma blogueira famosíssima e dona do Adorkable. Aos seus olhos e, na medida do possível, sua vida é perfeita e ela sente muito orgulho disto. Até que ela conhece Michael: o garoto mais queridinho e desejável da escola. Ele é o oposto de Jean: o típico "boy magia" que está sempre na moda. Usa roupas de grife, tem seu próprio carro, as melhores cias, as meninas fazem fila para conseguir sua atenção e - aos olhos de muitos meninos - ele tem a garota mais linda do colégio como namorada. E apesar de ser um rapaz muito inteligente, ele vive e dependende financeiramente dos pais, o quê o faz cair drasticamente no conceito de Jean.

Após uma reviravolta que faz Jean e Michael se aproximarem, o leitor começa a entender toda a dinâmica que envolve os protagonistas. A história é conduzida de maneira a despertar no leitor a curiosidade em saber um pouco mais sobre os dois. E, também, a se questionar como pessoas tão diferentes, em suas particularidades, conseguem completar um ao com tanta perfeição, levando em consideração que eles não são perfeitos! Que eles erram mais do que acertam, mas - mesmo assim - eles se completam! E partir daí o leitor não consegue mais imaginar a história sem Jean e Michael como um casal! E torçem para que um final clichê aconteça.

É lógico que todo o dramalhão adolescente que já conhecemos e vivenciamos anos atrás é muito explorado neste livro, mas na medida certa. De forma que não deixa a leitura massante. Além disso, o romance em si é despretencioso e pode ser lido em dois dias (se o leitor estiver de férias é claro!rs). No entanto, não acrescenta muita coisa na concepção de vida de quem os está lendo, além de apresentar a Cultura Dork.  

Não poderia deixar de ressaltar a construção dos protagonistas e dos personagens secundários que ficou muito a contento. Sem exageros, sem encheção de linguiça. É bom e gratificante ver o amadurecimento de Jean e Michael. A forma como era a vida deles  antes de se conhecerem e transformação que sofreram depois que passaram a fazer parte um da vida do outro faz o leitor abrir um sorrisinho no canto da boca. Enfim, no balanço geral, o leitor percebe que até mesmo os personagens secundários tiveram seu desenvolvimento adequado. Cada um recebeu a fatia de bolo merecida e todos ficaram muito felizes.

Eu, Mac Batista, li este livro e fiquei encantada com a "adorável" Jean e sua singularidade. O mesmo aconteceu em relação ao "boy magia" Michael. E no final da leitura, compreendi o porque do título "Os adoráveis"

Para os interessados neste tipo de leitura, recomendo!

3 comentários :

  1. "Quero os 16 livros+brindes diversos que a PromoAIL #NatalLiterário no @aimpresliter12 @eumaislivros vão me dar"

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem?

    Não conhecia o livro. Fiquei com certa curiosidade, mas creio que o enredo não fará meu gênero e então decidi que não pretendo adquiri-lo. Parabéns pela sua resenha!

    Até mais,
    Sérgio H.

    www.decaranasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. O livro parece ser muito bom, trama envolvente, fiquei bastante interessada em ler.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...