[CINE AIL] "A Vida Secreta de Walter Mitty", de Ben Stiller

Sinopse: Um sonhador escapa de sua vida anônima ao desaparecer num mundo de fantasia, repleto de heroísmo, romance e ação. Quando seu trabalho ao lado de sua colega é ameaçado, Walter decide enfrentar o mundo real e embarca em uma jornada global que transforma-se numa aventura mais extraordinária do que poderia ter imaginado.

Estreia: 20/12/2013
Direção: Ben Stiller
Roteiro: Steve Conrad (baseado no clássico conto de James Thurber)
Elenco: Ben Stiller, Sean Penn, Adam Scott, Kristen Wiig, Shirley MacLaine, Kathrin Hahn
Distribuição: 
Fox Films do Brasil



O filme mais hipster do ano!

Infelizmente, o que poderia ser algo muito bom para Ben Stiller - e para o cinema também, diga-se de passagem! -, acabou se tornando algo um tanto superestimado e incensado por grande parte das pessoas que afirmam ter gostado muito do filme "A Vida Secreta de Walter Mitty", novo filme dirigido pelo comediante.
Walter (Ben Stiller) num de seus devaneios
É um tanto estranho escrever uma crítica sobre um filme com um roteiro tão raso e sem vida.

Digo isso pois é, talvez, a grande decepção do ano de 2013, uma vez que houve um primeiro trailer muito bem trabalhado que vendia uma história digna dos norteamericanos, sobre um perdedor - sempre é um perdedor, né? - que teve de largar a vida "irresponsável" após a morte do pai e leva uma vida insignificante como responsável pelos negativos das fotos que entram nas edições da revista Life.
A fenomenal direção de fotografia
mantém o interesse no filme
E quando o principal e premiado fotógrafo (Sean Penn) manda o último rolo de negativos escolhidos para entrar na última edição. Porém, a foto escolhida não estava entre os negativos e a "missão" de Mitty é achá-la antes que se esgote o prazo para o fechamento da edição. Enquanto isso, tenta arranjar alguma coragem para convidar a colega de trabalho (Kristen Wiig) pra sair (enquanto tem devaneios onde geralmente é mais interessante do que ele acha que é) e é atormentado pela pressão do novo chefe (Adam Scott, que está com um visual medonho, usando uma barba falsa) para achar o negativo.

(Quem conhece um pouco de História, sabe que a Life é uma das revistas mais importantes dos Estados Unidos, sendo referência para quem estuda marketing, política, economia etc...)

Vida ordinária, destino extraordinário... (ou quase!)

O que irrita no filme é sua falta de ritmo. O que vemos é um suceder de tentativas e erros crassos embalados numa belíssima direção de fotografia - cortesia do sempre criativo Stuart Dryburgh, de filmes como Máfia no Divã e O Piano), condensados numa trilha sonora moderninha, feita para encher os olhos e ouvidos, mas distante da dramaturgia, da emoção.

O que deveria ser uma fábula sobre o homem moderno, atolado em trabalho e rotinas, sem amor, tornou-se apenas mais um filme, uma quase-comédia, sem vida e sem atrativos maiores...
Walter Mitty (Stiller) e Sean (Sean Penn): talento desperdiçado
com falas que não servem ao roteiro
Mesmo que cercado de astros e estrelas do quilate de Sean Penn e Shirley MacLaine, Stiller tenta parecer deslocado - e até consegue, só que pelos motivos errados. E o filme não se decide em momento algum. Não é um road-movie, não é um romance, não é um drama, não é uma comédia... É um engodo e um apelo desesperado de Stiller para ganhar algum prêmio importante. E não, não deve nem concorrer ao Oscar, como prevemos...

Se alguém está indo ao cinema pensando que este filme será uma das comédias rasgadas de Stiller, é melhor ficar em casa. Ou vá, por sua própria conta e risco. Quem avisa, amigo é...

Kal J. Moon costuma ficar fora do ar sempre que pode. E a vida não poderia ser melhor...

Trailer Oficial (legendado em português)

1 comentários :

  1. Kal,
    Não li nenhuma crítica sobre este filme. Mas, infelizmente, ontem – feriadão de 1º de janeiro, o assisti. Minha intuição, às vezes, é certeira, ela assoprava em meus ouvidos que não era para prestigiar tal película...mas fazer o que, quando a curiosidade é superior a razão? Fiquei imaginando que o filme pudesse ser parecido com prestigiado ‘Fosrrest Gump’, não sei o motivo, de repente foi o trailer que foca o personagem central sentado em uma parada de metrô lembrando a cena em que Forrest, está sentado na parada de ônibus... ou, sem nenhuma explicação lógica, fui remetida ao magnífico ‘O Show de Truman’, no qual o protagonista é Jim Carrey, ator conhecido por seus papeis em comédias – assim como Bem Stiller. O roteiro mostra a vida de ‘Truman Burbank’, um homem que inicialmente não sabe que está vivendo uma realidade construída em um programa da televisão, um verdadeiro reality show – Truman começa a desconfiar da realidade e principia a buscar a verdade. Nesta segunda opção eu segui as pistas deixadas quando o trailer nos remete a situações imaginárias/fantasiosas do personagem.

    Realmente fiquei incomodada... parecia que o tempo não passava e o filme não acabava nunca. Mesmo com astros celestiais, e a fotografia deslumbrante...não convenceu. E o final é pior ainda...

    Porém, mesmo com tantos fatores negativos, no fim ainda achei que poderia ser um filme utilizado na área de RH, pois é. Podemos perceber a importância de uma função que poderia pequena em uma organização. Também é possível encarar o novo panorama para a mídia impressa, grandes jornais e revistas estão saindo do papel para a telinha do computador – novos tempos, e assim muitas pessoas são descartadas. O retorno da reengenharia – sistema criado no início da década de 1990. Sobre outro foco, vejo um personagem que expressa as pessoas que estão acostumadas a permanecerem em sua zona de conforto, mas que de repente são obrigadas a se mexer, a mudar algo em suas vidas.

    É possível tirar leite de pedra.
    Eleni Rosa

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...