[CINE AIL] "Questão de Tempo", de Richard Curtis

Cartaz oficial
(Universal Pictures do Brasil)
Sinopse: Após outra desastrosa festa de Ano Novo, o pai de Tim diz a seu filho que os homens de sua família sempre tiveram a capacidade de viajar através do tempo. Tim não pode mudar a história, mas pode mudar o que acontece e aconteceu em sua própria vida. Tim decide fazer o seu mundo um lugar melhor... conseguindo uma namorada! Infelizmente, tudo que envolve viagens no tempo pode não ser tão fácil como se poderia pensar.

Data de estreia: 20/12/2013

Título original: About Time
Roteiro e Direção: Richard Curtis
Elenco: Domhnall Gleeson, Bill Nighy, Rachel McAdams e grande elenco
Gênero: Drama / Comédia / Ficção Científica
Distribuição: Universal Pictures do Brasil


A voz da experiência

Como convencer a juventude que tem acesso a um monte de informação de que a vida deve ser vivida em momentos pausados? Como dizer a quem não quer ouvir nada a respeito de si próprio que observar pode ser tão valioso quanto agir? "E se cada momento da vida viesse com uma segunda chance?", como diz o slogan do filme... A única forma de prender a atenção desse público - que "sabe tudo" mas no fundo continua tão inseguro quanto seus pais - é o elemento fantástico.

Tudo o que me traz lembranças boas no cinema está no filme "Questão de Tempo", escrito e dirigido pelo ótimo Richard Curtis (do estupendo "Simplesmente Amor"). Ótimas falas, elenco afiado, direção precisa, fotografia funcional, ritmo esperto, tilha sonora adequada e, claro, interpretações fabulosas.

Fiquei muito surpreso quando assisti. É um tanto raro nos roteiros dos filmes de hoje em dia utilizar o elemento fantástico de viagem no tempo de forma tão crível e, talvez por isso mesmo, algo que deva ser um tanto "desprezado" em função da história.

O filme não trata duma aventura desvairada para salvar o planeta ou em benefícios mundanos como enriquecer rapidamente. Se vocês, caros leitores, tivessem o poder de viajar no tempo, acredito que a grande maioria se esforçaria pra ser uma pessoa melhor. Até porque quando o pai de Tim Lake (Domhnall Gleeson) diz quais são as "regras" dessa "bênção", deixa bem claro que "nunca viu uma pessoa rica que fosse realmente feliz" ou "veja o que aconteceu com seu tio fulano". É um alerta vindo de uma pessoa muito querida, seu pai (o veterano ator Bill Nighy, roubando a cena, como sempre) assim que Tim Lake completa sua maioridade. Para os homens, é um alerta moral de que não são mais crianças. E isso oficialmente. Portanto, não podem ser irresponsáveis.

Mas o que Tim queria mesmo era uma namorada. Algo simples, certo? Nunca é simples para aqueles que acham que nunca vencerão... A vida ensina na base dos pontapés que o mais forte deve ser o vencedor. Mas isso não se aplica àqueles que tem o poder de viajar no tempo, heheheh...

(curiosidade: o protagonista chama-se Tim, nome óbvio para um viajante no tempo - tempo em inglês é "time" e basta retirarmos o "e" do final e temos o nome do nosso "heroi")

O que me comove neste filme - que é, de longe, um dos melhores roteiros de 2013 e que deveria ao menos ser indicado a algum prêmio (fato que infelizmente não ocorreu) - é que TUDO, sem exceção, corrobora para o espetacular roteiro. Não temos um figurino exuberante, não temos efeitos especiais de encher os olhos - só para terem uma ideia, a viagem no tempo é realizada da forma mais simplória possível - muito menos precisamos de tragédias anunciadas para serem impedidas.

OK, algumas coisas mais dramáticas até acontecem - e uma delas pode levar lágrimas aos seus olhos - mas lembre-se que assim como grandes histórias nascem de ideias simples, também são necessárias encerrá-las de forma a não deixar o espectador insatisfeito.

Não posso contar mais por receio de estragar a diversão de vocês. Procurem o cinema mais próximo e assistam - até porque, embora torça muito para que esse filme se popularize, não sei se cairá no gosto do público comum. É uma frase clichê mas vocês vão rir, chorar e, acima de tudo, se emocionar. Mesmo. Talvez como nunca antes aconteceu.

Só pense no que vocês fariam se tivessem a oportunidade de consertar erros em suas vidas. O filme explica tudo isso e ainda te mostra que, se fosse possível, seria exatamente como mostrado...

Kal J. Moon gostaria de voltar no tempo e... Não! Melhor não...

Confira abaixo o trailer oficial (legendado em português)

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...