[CINE AIL] "Ender's Game - O Jogo do Exterminador", de Gavin Hood

Cartaz nacional
(Paris Filmes)
Sinopse: Num futuro próximo, extraterrestres hostis atacaram a Terra. Com muita dificuldade, o combate foi vencido, graças ao heroísmo do comandante Mazer Rackham. Desde então, o respeitado Coronel Graff e as forças militares terrestres treinam as crianças mais talentosas do planeta desde pequenas, no intuito de prepará-las para um próximo ataque. Ender Wiggin, um garoto tímido e brilhante, é selecionado para fazer parte da elite. Na Escola da Guerra, ele aprende rapidamente a controlar as técnicas de combate, por causa de seu formidável senso de estratégia. Não demora para Graff considerá-lo a maior esperança das forças humanas. Falta apenas o treinamento e depois o garoto estará pronto para a batalha épica que decidirá o futuro da Terra e da humanidade.

Data de Estreia: 20/12/2013
Título Original: Ender's Game

Ano de Produção: 2013
Diretor: Gavin Hood
Roteirista: Gavin Hood (baseado no romance de Orson Scott Card)
Elenco: Asa Butterfield, Abigail Breslin, Harrison Ford, Ben Kingsley, Viola Davis, Hailee Steinfeld e Moises Arias.
Gênero: Ação / Ficção Cientifica
País de Origem: EUA
Distribuição: Paris Filmes

>>> Clique aqui para comprar o livro que deu origem ao filme!

O tempo passa...

Gavin Hood é um diretor muito azarado. Ele teve muitos problemas para finalizar "X-men Origens: Wolverine", fatídico filme disposto a contar a origem do mutante mais famoso das histórias em quadrinhos. Dada sua experiência com temas fortes por conta dos filmes Infância Roubada (2005) e O Suspeito (2007), era de se esperar que pelo menos um pouco disso estivesse em seu filme mais comercial. Porém, fortes interferências por parte da produção e de quem financiava o primeiro filme do "carcaju" fizeram com que o resultado não fosse dos mais agradáveis para Hood - e, consequentemente, para o espectador.

Muitos acharam que sua próxima empreitada fosse algo mais voltado pro lado autoral, talvez um roteiro original, quem sabe...? Mas ele decidiu adaptar e dirigir O Jogo do Exterminador, baseado no best-seller de Orson Scott Card. O livro é cultuado a ponto de ser recomendado nas escolas norteamericanas como leitura de apoio aos jovens estudantes de nível secundário...
Ender (Asa Butterfield) e Coronel Graff (Harrison Ford):
aliados mas não exatamente amigos
Essa escolha pode determinar o futuro de Hood no cinema comercial. Não que o filme seja exatamente ruim. Mas é extremamente datado! Muitos farão a comparação óbvia com Matrix (1999) mas há quem se lembre de Jogos de Guerra (dirigido por John Badham e estrelado por Matthew Broderick, no já distante ano de 1983).

O fato do povo norteamericano ser completamente paranóico e acreditar nas conspirações envolvendo a mídia de entretenimento como cinema, desenhos animados ou games, justifica e acaba atualizando um tema tão batido. Quem manipula quem, afinal? Os fins justificam os meios?

Problema atrás de problema!

O problema do filme é justamente seu roteiro básico e o fato da trama ter de ser sustentada por atores muito jovens e sem o talento necessário para tentar salvar o pouco de interesse que possa despertar no espectador comum...

Asa Butterfield (que já comprovou seu talento em filmes como O Menino do Pijama Listrado e A Invenção de Hugo Cabret) não consegue convencer que Ender Wiggin é o gênio estratégico que o exército da Terra necessita para ser salva de um ataque alienígena. Claro que não esperamos diálogos shakespearianos ou algo do gênero, mas apenas algo que fizesse o espectador envolver-se emocionalmente com o personagem e a trama em si.
Bonzo (Moises Arias) enfrenta Ender (Asa): bons momentos,
ainda que caricatos
Mesmo que pareça mais caricato que o normal, o único ator que entendeu o recado da trama foi, surpreendentemente foi Moises Arias (que interpreta Bonzo, um antagonista militar que leva a Academia de Defesa muito a sério e não acredita que Ender é o líder estrategista que todo muito prega). Arias vem de seriados de TV (ele era o Rico de Hannah Montana) e filmes cômicos mas acaba se destacando por trazer alguma emoção - ainda que por pouco tempo -, deixando a exibição menos tediosa...

Nem mesmo Harrison Ford - que aparenta um cansaço incomum com seu Coronel Graff e atua no piloto automático - ou Ben Kingsley - que faz um papel que poderia pertencer a qualquer ator de sua idade sem haver necessidade de participar deste embaraço em sua carreira - fazem jus ao carisma que possuem pois estão completamente apagados.
Ben Kingsley: visual bacana, papel enigmático e sem carisma
Talvez se este filme fizesse sua estreia na TV, em formato de minissérie, para poder explorar melhor o que reza a trama do livro, o resultado seria bem diferente.

Existe uma clara intenção de se formar uma franquia de novos filmes por conta de ser baseado numa série de livros - o próximo seria "Ender's Name" - e por conta do final, que deixa margem a uma continuação. Não sei se o público infanto-juvenil vai investir para que isso aconteça. Temos o exemplo de "A Bússola de Ouro" que não me deixa mentir.
A equipe de Ender, aguardando suas ordens!
Infelizmente, esse não foi um bom ano para a ficção-científica nos cinemas. Mas tirem suas próprias conclusões. Afinal, de onde menos se espera é que não surge nada mesmo...

Kal J. Moon é um cadete que sempre leva laser paralisante na cabeça e fica vagando pelo centro de treinamento em gravidade zero... Igual a Sandra Bullock!

Confira o trailer oficial (legendado em português)

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...