[RESENHA] Saga Crepúsculo, de Stephenie Meyer

Todos os filmes da saga
Resenha: Em 2008, encontrei um blog interessante e assinei para receber as atualizações por e-mail. Não lembro o quê exatamente me chamou a atenção naquele blog mas o fato é que, a partir daquele momento, 9 em cada 10 posts falavam sobre o tal livro "Crepúsculo" e as expectativas em volta do tão esperado filme que sairia no final daquele ano. Eu li algumas coisas, percebi que era um romance entre uma humana e um vampiro mas só tive vontade de assistir ao filme quando reconheci o casal principal: o cara do “Harry Potter” e uma menina que protagonizou um dos filmes mais lindos que já assisti ("O Silêncio de Melinda" - Recomendo!).

Então, fui ao cinema. Gostei do filme. Gostei da história. Bobinha, para adolescentes. Nada de extraordinário mas bacana.

No ano seguinte, saiu "Lua Nova", mas foi um desastre para mim pois o filme estava sendo exibido dublado e o áudio era uma porcaria! Precisei assistir de novo, legendado para, só então, entender o filme. E já não gostei tanto. Não me fez muito sentido aquela história do vampiro ir embora, dela acreditar tão fácil que ele não a amava, a parte do lobisomem, ela gritando... Enfim!

Até que, no Natal desse mesmo ano, ganhei a saga inteira de presente. Li os quatro numa tacada só - uma semana, na verdade. E, bem, vamos ao que interessa...

"Edward e sua turma vão aprontar
todas na sua Sessão da Tarde...
"


ATENÇÃO: Esta resenha sobre os livros e filmes podem conter algum spoiler em algum momento. Caso não queira saber algo que ainda não leu ou assistiu, siga por sua própria conta e risco, ok?

Crepúsculo
"De três coisas eu estava convicta.
Primeira, Edward era um vampiro.
Segunda, havia uma parte dele - e eu não sabia que poder essa parte teria - que tinha sede do meu sangue.
E terceira, eu estava incondicional e irrevogavelmente apaixonada por ele".
"Crepúsculo" é o primeiro livro da série. Somos apresentados à Bella Swan, ao vampiro Edward e, rapidamente, ao seu amigo de infância, Jacob. Descobrimos que os Cullen são vampiros "vegetarianos", mas que também existem vampiros que gostam mesmo de sangue humano. Começa monótono, meio que uma apresentação aos personagens e os acontecimentos bobos que levam a protagonista a se apaixonar.

Só acontece alguma coisa realmente importante da metade para o final: Bella é ameaçada por vampiros que gostam de sangue e um deles, James, quer pegá-la única e exclusivamente por uma questão de honra. Certo. Até aí tudo bem, podemos engolir o enredo. O problema todo do livro é que ele é narrado em primeira pessoa e Bella Swan é um pé no saco! Que menina chata! Sem sal! Cheia de dramas, birras, bicos! É claro que ela é uma adolescente de 17 anos mas são comportamentos que contrariam a descrição de Bella como uma garota adulta e independente para sua idade. Sinceramente, fiquei surpresa porque não a vi cruzar os braços e bater os pés chorando e berrando em algum ponto do livro. Além, é claro, daquele mel todo, o exagero de amor maluco que eu nunca tinha lido antes, nem nos famosos romances mais melosos de "Sabrina".
Edward & Bella
(Robert Pattinson & Kristen Stewart

Há algo que não me sai da cabeça em relação à saga “Crepúsculo”: tomando como verdade absoluta o que Felipe Neto diz em seu antológico vídeo "Não faz sentido: Crepúsculo", Stephenie Meyer conseguiu juntar todas as inseguranças femininas numa única personagem, deixando Bella Swan sem um atrativo sequer. Assim, o que leva um vampiro de mais de 90 anos (não me recordo a idade dele agora) se apaixonar por uma garota dessas? Além de ser deliberadamente pedofilia (vamos combinar, né, gente?). A única coisa que me ocorre é o fato dele não conseguir ler a mente dela e se sentir atraído pela curiosidade, pelo golpe de “ego” que ele leva por não conseguir saber o que ela pensa. Fora isso, não me faz sentido algum que Edward se interesse por Bella, ainda mais naquelas circunstâncias: ele olha pra ela, ela olha pra ele e pronto! Só isso!

(Achei que o Felipe estivesse exagerando mas reli para tirar a dúvida e é mesmo só isso! Isso e o fato do sangue da Bella ter sobre Edward o mesmo efeito que uma torta floresta negra tem sobre mim...)

Não leiam o livro "Crepúsculo"! Assistam ao filme que é bem melhor! Não tem 25% de todo aquele mel e o roteirista - com a ajuda do diretor e de Kristen Stewart, claro - conseguiu deixar Bella menos chata, chegando até a ser engraçada algumas vezes. Além, é claro, do livro ter 355 páginas e de ser bastante monótono. Eu tentei relê-lo quando me encomendaram a resenha, mas, francamente, não consegui passar do terceiro capítulo...

Lua Nova

"- Bella, eu não quero que você venha comigo. - Ele pronunciou as palavras de modo lento e preciso, os olhos frios em meu rosto, observando-me absorver o que ele realmente estava dizendo.
(...)
- Você... não... me quer? - experimentei dizer, confusa pelo modo como as palavras soava, colocadas nessa ordem.
- Não.
(...)
- Bem, isso muda tudo. - Fiquei surpresa ao ver como minha voz soava calma e razoável
(...)
Então, abri o segundo livro, "Lua Nova", desesperada para ver se encontrava algumas respostas para minhas questões não-resolvidas no filme. Bem, consegui entender que Jacob ainda não era um lobisomem, mas estava ainda em fase de transformação – podem me chamar de estúpida mas não tinha entendido isso assistindo ao filme. Engoli um pouco melhor a história de Edward ir embora, já que percebi que no cinema a coisa aconteceu muito rápida e o livro é bem mais detalhado nesse aspecto – como supus. Também fez mais sentido que ela acreditasse que Edward já não a amava tanto. Ele vai se mostrando indiferente, indiferente... Até que tem seu ápice naquela conversa em que ela sai desesperada em direção à floresta. Mas o livro é insuportável! Eu não aguentava mais todo o "chororô" porque Edward foi embora, suas dores físicas (isso mesmo: físicas!)... E descobri, muito contrariada, que os gritos enquanto ela dormia não eram por causa de seus pesadelos em que via Edward morrer, como eu pensei, mas porque ela sonhava com o "nada" (??).

Tem também mais uma coisa que me faz duvidar da maturidade da protagonista: ela decide quebrar promessas de se manter segura porque Edward quebrou a sua de estar sempre ao lado dela. Então ela se mete em enrascadas: sai com sujeitos pouco confiáveis, pula de penhascos, aprende a andar de moto... Tudo para que ela consiga atrair a atenção do vampiro. Também achei patético o argumento para que Edward acreditasse que ela estivesse morta. Mas, tudo bem. "Lua Nova" foi a história – e o filme – que eu menos gostei, tanto pelos dramas quanto pelos argumentos ridículos. Mas o livro não é de todo ruim. A parte dos lobisomens é divertida. Além disso, gostei de um detalhe bobo que Stephenie Meyer inventou para ilustrar a passagem do tempo no vazio da vida de Bella... Tanto no livro, quanto no filme. E eu me apaixonei pelo Jacob. #ProntoFalei! Sou do #TeamJacob!

Eclipse

Terminei "Lua Nova" descrente da saga. Ainda faltavam mais dois livros e eu estava irritada demais. Mas respirei fundo e peguei "Eclipse". E posso dizer que foi uma bela surpresa!

Apesar do livro começar monótono com Bella e os vampiros demorando várias páginas para tirarem conclusões lógicas, dou nota 9,5. Finalmente acontecem reviravoltas na história e Bella larga de ser tão pé no saco – ela deixa esse papel para Edward e o papo de casamento... É o livro que mais tem história e ação. Uma guerra, efetivamente.

A cena da tenda, em que Bella está congelando de frio e Jacob a abraça... Na minha opinião, foi um dos pontos altos do livro. Aliás, eu só percebi um trocadilho de Jacob quando assisti ao filme: Edward não quer deixar que o lobisomem a abrace ao passo que Jacob responde "I'm hotter than you".

A tradução do livro diz "Sou mais quente do que você", numa referência à alta temperatura do corpo dos lobisomens... Mas também podemos traduzir como "Sou mais sexy / gostoso do que você".

(Adorei! Principalmente a carinha safadinha que Taylor Lautner faz nessa cena...)

A história de "Eclipse" é bem melhor, mais cheia de detalhes, mais crível. Aqui vemos Bella se “dividir” entre Jacob e Edward, com o vampiro dando uma de “corno manso”.

E, neste livro, também somos apresentados brevemente à Bree Tanner, uma vampira recém-criada que os Cullen querem adotar, mas... Bem... Não dá muito certo. Stephenie Meyer gostou tanto de Bree que escreveu uma história só para ela: "A curta segunda vida de Bree Tanner"

(Fico devendo a resenha deste. Fica para a próxima...)

Sobre o filme "Eclipse": é bom e não me desapontou. Mas o livro é melhor. Muito melhor... 


Amanhecer

O fogo não era mais de chamas ardendo por minha pele – agora era lento e profundo; e derreteu todo o meu constrangimento, minha tímida incerteza. Tirei a toalha sem hesitar, deixando-a na árvore com as roupas dele, e andei em direção à luz branca; ela também me deixou pálida como a areia alva.
Eu não ouvia o som de meus passos enquanto andava até a beira d’água, mas sabia que ele tinha ouvido. Edward não se virou. (...) Avancei, andando com cuidado pelo solo invisível do mar, mas meu cuidado era desnecessário; a areia continuava perfeitamente lisa, inclinando-se delicadamente até Edward. Atravessei a fraca correnteza até estar ao lado dele e coloquei a mão de leve em sua mão fria, mergulhada na água.
- Lindo – eu disse, olhando a lua também.
- Está tudo perfeito – respondeu ele, sem se impressionar
(Pigarros) Dá para entender o que está para acontecer, não é?

Então, com as minhas esperanças renovadas em Mrs. Meyer, pego o quarto e último livro da série: "Amanhecer". Bem, mais ou menos... Pela sinopse, eu esperava um livro tão meloso e dramático quanto "Crepúsculo" e fico muito feliz em dizer que estava errada. Apesar de "Amanhecer" retratar a lua de mel de Edward & Bella, mais a história de sua gravidez, Stephenie Meyer conseguiu encontrar um equilíbrio na narrativa, colocando os sentimentos da protagonista na medida certa, mesclando-o perfeitamente bem com o desejo que eles sentem um pelo outro.

(aliás, concordo com E. L. James, a autora de “Cinquenta Tons de Cinza”, quando diz que “Crepúsculo” é muito erótico)

E então, de repente, Jacob começa a narrar a história. É claro que podemos ver as semelhanças entre as narrações de Bella e Jacob. Afinal, tudo está na cabeça de Meyer. Mas a narrativa de Jacob é bem diferente daquela feita por Bella e tudo é muito melhor de ler sob sua perspectiva. Mas ao final, Stephenie volta ao ponto de vista de Bella.

Amanhecer” tem uma trama diferente... Enquanto “Crepúsculo”, “Lua Nova” e “Eclipse” têm como argumento James e Victoria, este livro tem como pano de fundo um mal-entendido. Patético, é verdade, mas com uma conexão muito fraca com os argumentos dos livros anteriores. Aqui, parece que Meyer sentiu falta de ter algo para movimentar a história e não deixá-la com cara de lua de mel e pegou um fiozinho de um livro anterior para criar esse enredo.  

A família reunida...
Preciso dizer que aqui a autora conquistou, definitivamente, meu respeito em termos técnicos. Sua narrativa amadureceu muito em relação aos primeiros livros e posso considerá-la uma boa escritora. O capítulo em que Bella se transforma em uma vampira é... Fantástico! O "julgamento" no final também foi muito, muito bem descrito! São quatro capítulos argumentando contra os Volturi e eu não me senti entediada em nenhuma linha! Ao contrário! Consegui visualizar e sentir toda a tensão da cena. Este é o melhor dos quatro livros, sem dúvida alguma, muito embora seja extremamente previsível. Mas não havia como ter um final diferente. Afinal, é um romance voltado para adolescentes.

Vamos aos filmes: “Amanhecer – Parte 1” mostra o casamento de Bella & Edward, a lua de mel e a gravidez, correspondentes no livro à primeira parte onde Bella narra, seguida por toda a sequência de fatos sob a perspectiva de Jacob. “Amanhecer – Parte 2” já é a última parte, onde a recém-criada vampira volta a narrar.

O primeiro filme é extremamente fiel ao livro, alterando um ou outro detalhe. E é um dos meus argumentos para sustentar minha opinião de que não havia necessidade alguma de dividi-lo em duas partes – a não ser, é claro, o fato de Hollywood querer faturar com a história...

Quando assisti à primeira parte no cinema, fiquei um pouco frustrada por perceber que havia sobrado muito pouco para a segunda parte da história e achei que os roteiristas teriam muito trabalho para fazer um filme interessante...
Cartaz nacional

Acredito que “Amanhecer – Parte 2” seja um filme para ser analisado sob três pontos de vista: de quem não leu, mas assistiu aos filmes por assistir; de quem não leu, mas amou os outros filmes; e, finalmente, de quem leu o livro.

Para quem não leu o livro e foi assistir aos filmes apenas por assistir, “Amanhecer – Parte 2” vai decepcionar. Pelo ponto de vista de roteiro cinematográfico, posso lhe dizer, caro amigo, que é pobre, previsível, sem reviravoltas e que, tirando a cena final, não acontece praticamente nada. Sem dúvida, vai achar chato e a culpa é toda de Hollywood: se a história não tivesse sido dividida em duas partes, o filme ficaria mais interessante para estas pessoas.

Para quem não leu o livro, mas se apaixonou por Bella & Cia. nos cinemas, vai concordar comigo quando eu digo que “Amanhecer – Parte 2” não é nem de longe o melhor filme da Saga, mas também vai concordar que foi um final digno para Bella, Edward e Jacob.

Talvez ache o filme monótono, mas vai se contentar com as descobertas de Bella sobre sua nova vida de vampira, se apaixonar por Renesmee e, ficar embasbacado com a cena final.

Para quem leu o livro, “Amanhecer – Parte 2” vai surpreender.

Os acontecimentos que se arrastam no livro foram mais dinâmicos na versão cinematográfica e não ficou chato de assistir. Porém, posso dizer que senti falta de algumas coisas como, por exemplo, todo o cuidado que os Cullen têm no livro para ajudar nos primeiros momentos de Bella como vampira. Quero dizer, para os dois grupos que não leram o livro, mas assistiram ao filme “Eclipse” e estão familiarizados com as características dos recém-criados, vão achar que as coisas foram fáceis demais para ela. Também achei que alguns personagens foram mal explorados, algumas figuras mal explicadas... Eu, que já tinha lido o livro, fiquei meio perdida no meio de tantos vampiros que, no filme, aparecem sem dizer uma só palavra.

(Não quero fazer nenhum spoiler, mas é importante dizer ao grupo que leu o livro: não vá ao cinema sabendo o que vai acontecer. O final foi alterado e ficou muito... mas muito melhor! Mesmo para aqueles que, como eu, acharam as cenas do livro interessantes e bem escritas. Fiquei simplesmente boquiaberta quando... Bem, assistam ao filme e vocês saberão exatamente o ponto em que minha boca se abriu em choque e eu gritei um “O quê”?)

Falando agora, aos três grupos citados: quero dizer que achei muito sem graça a vida dos vampiros centrais da saga! Eles passam o dia sorrindo, ouvindo música, brincando com Renesmee e sendo gentis uns com os outros. Chatice! Não acreditei que Bella tivesse mesmo trocado sua vida cheia de possibilidades para aquela tranquilidade sem fim.
Renesmee
(
Mackenzie Foy)

Mackenzie Foy, a pequena atriz que faz Renesmee, a filha meio mortal e meio imortal de Bella & Edward é uma fofa! Dá vontade de pegá-la no colo e enchê-la de beijos o filme todo - provavelmente foi essa a intenção da produção e me senti altamente manipulável por isso... Rs.

(Aliás, uma pausa para um pequeno comentário: francamente, como alguém pôde sequer cogitar que a filha do casal adolescente mais amado da atualidade poderia ser um monstro?)

Ainda para os três grupos: apesar de mostrar Taylor Lautner sem camisa em uma cena (e arrancar gritinhos no cinema), o filme não é apelativo, nem mesmo na cena de sexo de Bella e Edward. Aliás, foi o primeiro dos cinco filmes em que consegui gostar de Edward! O vampiro ficou, de repente, muito carismático. Kristen Stewart ficou tão bem produzida que sua beleza se sobressaiu, ela ficou linda de vampira.



Aro (Michael Sheen)
Jane (Dakota Fanning)
Estendendo, agora, o comentário para os outros personagens, posso dizer que estou cada dia mais apaixonada por Michael Sheen, o ator britânico que interpreta Aro. O cara é um camaleão! Perfeito!

Já Dakota Fanning, uma das minhas atrizes preferidas em Hollywood, foi muito mal aproveitada. É verdade que sua personagem, Jane, tem uma participação pequena no livro, mas honestamente, Dakota é um dos nomes de maior peso em toda a saga “Crepúsculo” e não merecia falar uma única frase em todo o filme. Já que o final foi alterado, também poderia ter sido aumentada sua participação. 

Vampiras brasileiras..
Para finalizar o comentário em relação aos personagens, quero que alguém me ajude a entender aquelas índias vampiras da Amazônia. O que foi aquilo? Não entendi nem mesmo o figurino delas! Talvez, por ser brasileira. Se eu fosse americana, certamente teria entendido...


Sobre os erros... 

Há erros de tradução no filme, ao menos na fila em que veio para o cinema em que assisti e, se alguém for detalhista o bastante, vai se lembrar do que Alice diz sobre suas visões do futuro envolvendo os lobisomens e, bem... Vai perceber a contradição.
Jacob
(Taylor Lautner)


No geral, gostei de “Amanhecer – Parte 2”. Mas, pessoalmente, um detalhe me fez valer a pena: há uma cena do livro em que Jane tenta atacar Bella, mas esta se protege. A Volturi fica irritada e a recém-criada sorri, em triunfo. Desde o momento em que li essa cena, imaginei-a com Kristen Stewart e Dakota Fanning e foi muito, mas muito bom ver que saiu EXATAMENTE como eu pensei... Parecia que meus pensamentos estavam diretamente conectados aos pensamentos do diretor.
O filme termina como esperávamos: todos felizes para sempre e não tinha como fazer diferente. Mas achei interessante e um toque muito delicado, que os créditos finais mostrem o elenco da saga inteira e não apenas os do último filme, num clipe lindo, que me emocionou. Consegui dar um adeus digno à Bella, Edward e Jacob.


Saga Crepúsculo

Bom, olhando a saga completa, não há como negar que Stephenie Meyer seja uma pessoa criativa. Ela alterou totalmente as lendas dos vampiros e dos lobisomens, pegou um pouco aqui, mexeu um pouco ali, bateu no liquidificador e saiu uma coisa até... Interessante, apesar de todos os clichês.

Eu poderia ter dispensado uma boa parte de “Crepúsculo” e 90% de “Lua Nova”, mas afirmo que, quando se olha para a saga completa, é possível gostar do triângulo amoroso entre uma humana adolescente, um vampiro centenário e um lobisomem. Quem não gosta de romance água-com-açúcar, não se dê ao trabalho de ler. Fazendo comparações entre a saga literária e a saga cinematográfica, posso dizer sem medo de ser feliz: odeio Bella no livro e gosto dela no cinema. Gosto de Edward no livro, mas detesto-o no cinema.

E amo Jacob de qualquer jeito.


E, ainda fazendo comparações, um conselho que vai contrariar toda a minha existência: quem quiser conhecer a história da saga, assistam aos filmes "Crepúsculo" e "Lua Nova" e leiam "Eclipse" e "Amanhecer". Será melhor assim!

Eu, Stéf Rhoden, estou juntando o troco do pão para assistir "Amanhecer - Parte 2"... Pela terceira vez, claro!


Trailer Amanhecer Parte 1



Trailer Amanhecer Parte 2

16 comentários :

  1. Oi Mac!
    As resenhas ficaram perfeitas, eu amo a saga crepúsculo, principalmente os livros, claro! Quantos aos filmes gostei, o ultimo começou entediante mas o final me surpreendeu...
    Beijos
    Amanda
    leiturahot.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Amanda, obrigada pelas palavras...mas a resenha é de autoria da Stéf Rhoden (nossa mais nova colunista) ehehehe...

    Tb adorei a resenha e concordo com tudo que foi dito... Adoro o ator que interpreta o Aro - Michael Sheen! Por mais que eu tente, não consigo ver outro ator interpretando o personagem!!!rsss... Ele colocou a dramaticidade na dose certa!!! Até mesmo nos momentos de afetações..simplesmente "Magníiifico", como Aro costuma dizer!!! ehehehe E a Dakota?! Bem, sem comentário...a menina é fera, mesmo!!! Para quê falas?! Ela não precisa!!! :D

    Tb concordo com o que foi dito em relação a caracterização dos figurinos das vampiras amazônicas (que estavam mais para vampiras africanas!!!)...Os Norte-americanos tem a péssima mania - ou uma dificuldade MOR - em achar que tudo que não faz parte de seu país ou de seu cotidiano, se resume em um bloco (os não americanos). Assim, eles acham que a capital do Brasil é Buenos Aires (agora, talvez, isso tenha mudado um pouco já que que sediaremos as próximas Olimpíadas e a Copa...e eles estejam fazendo o dever de casa kkkk)E que todos aqui andam de tanguinhas, que animais selvagens andam soltos pelas ruas e que o território brasileiro É a Floresta Amazônica!!! Arfiiiii

    A falta de cuidado para esses detalhes, às vezes, chega ser irritante e o resultado é esse: um equívoco gritante, com erros absurdos de caracterização!!! Mas como isso acontece com bastante frequência...eu já nem ligo mais...não vale muito a pena! kkk

    Juro que na cena em Edward e Bella dão "uma passadinha" pela Lapa, achei que apareceria todos de tanguinha, arco e flecha e dizendo "Mim não gostar de Vampiro!!!" kkkkkk Okay isso não aconteceu...mas colocaram aquela musiquinha ridícula que, até hoje, não consigo entender a letra!!!Preferia, mil vezes, ouvir "Garota de Ipanema" versão remix...kkkk já que ela está tão batida em Hollywood!!!

    No mais...a saga me agradou...as adaptações deixou a desejar em algumas partes (detalhes importantes)que não entraram no filme...mas ainda bem que tenho os livros...e quem só assistiu aos filmes...bem nunca saberá do que estou falando ehehehe...

    bjins, Stéf Rhoden...e parabéns pela resenha...ficou ótima!!!
    Mac Batista

    ResponderExcluir
  3. Que bom que vocês gostaram!

    Michael Sheen é mesmo "Magnífico". Adoro o cara, em todos os filmes que já assisti com ele. É um camaleão, simplesmente! E não apenas em suas interpretações, mas parece que ele muda de cara também!

    Mas, pôxa, a Dakota TINHA que ter sido melhor aproveitada. A única coisa que ela disse foi "Pain" no filme todo... Bem, achei um desperdício.

    É verdade cada linha o que você falou sobre as vampiras, Mac... Como eu disse, se fosse americana, talvez tivesse entendido melhor qual era a delas... hahahahaha... Mas eu não me lembro da música que toca quando eles vão à Lapa, lembro mesmo da visão panorâmica do Rio, que foi linda! :)

    E também é algo que eu deveria ter enfatizado: os detalhes bobos que são importantes para entender a história e foram cortados. Minha mãe e alguns amigos só conseguiram entender totalmente a história e as reações da Bella porque eu fui a única quem leu o livro. Mas, enfim. Adaptação cinematográfica nunca sai perfeita, não é? Preciso ter isso em mente quando escrever meu roteiro... hehehe...

    Beijinhos, Mac! Obrigada pelas palavras.

    ResponderExcluir
  4. Adorei a resenha. O último filme foi o melhor de todos, os personagens se destacaram pela primeira vez, todos.

    Adorei sua matéria, esta perfeita.

    Bjão!

    http://livronasmaos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Sei não. Li todos os livros, assisti os filmes, mas a saga não tem nenhuma trativo para mim. Acho muito água com açúcar e não acho uma boa influencia para a juventude, não acho uma leitura saudável (estranho, porque li todos na esperança de gostar...)
    Olha, suas resenhas são fantásticas, e se eu tivesse que escolher um personagem favorito seria o Jacob, e sinceramente porque ele é bonito, e nada mais.

    http://pepperbubblegum.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Muito obrigada pelas palavras, Markos. Fico feliz por ter gostado.

    :)

    ResponderExcluir
  7. Hum, ponto de vista interessante o seu, Amanda. Não o fato de não ter atrativos pra você, gosto é gosto e ponto final. Mas achei interessante o fato de você não achar uma leitura saudável para os jovens. Não consigo deixar de me perguntar o porquê.
    E concordamos que Jacob é o melhor personagem da série, embora, pra mim, não seja exatamente por ele ser bonito, mas pela personalidade dele. Jacob faz o que tem que fazer. Ponto. Adoro isso!

    Bem, obrigada pelos elogios às resenhas. Fico feliz por estar agradando.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  8. De nada, Stéf...também esqueci de dizer que achei hiper fofa a Mackenzie Fox!!! E que o sou do time Jacob!!!kkkk

    Agora você disse algo sobre a Dakota que é verdade...ela foi mal aproveitada em todos os filmes...mas acho que no livro ela também tem poucas falas...

    E como nas adaptações cortes absurdos costumam ocorrer, acredito que as poucas falas que ela tinha foram cortadas para dar ênfase em algum outro detalhe :/ O que é uma pena...

    Enfim, mais uma vez, parabéns pela resenha... bjins
    Mac Batista

    ResponderExcluir
  9. É, eu pensei a mesma coisa. Achei que algumas falas dela foram cortadas no decorrer do filme. Uma pena mesmo...

    Obrigada pelas palavras! :)

    ResponderExcluir
  10. Renata Karla05 dezembro, 2012

    Sou colega de trabalho do Kal, e ele me indicou essa resenha para ler, por saber o quanto esta saga me agradou.
    Acho que você foi totalmente infeliz em quase tudo que escreveu, em minha opinião ou você não entendeu a história, ou lemos livros diferentes.

    Costumo ler em media ¾ livros por mês (obrigado kal por ter um novo livro a cada segunda feira e por não me cobrar o “Deus da guerra”), e eu particularmente nunca vi um filme adaptado que tenha sido, em minha opinião, melhor que o livro.
    Sobre a saga “Crepúsculo” até o filme Eclipse primeiro eu assisti ao filme para depois ler o livro, pois sabia que o filme me decepcionaria. Então sempre deixei o melhor por ultimo, mas no caso amanhecer eu li mesmo sem ver o filme, pois não aguentaria aguardar!

    Acho que você já começou a leitura com pré – conceito já formado e não se dedicou a leitura, quer ver ação vai ver anjos da noites, ou velozes e furiosos! Só de ler o resumo da história vc vê que não é esse tipo de livro! Mas acho sinceramente que vc deve ler toda a saga novamente com toda atenção! Porque na minha opinião você não entendeu o livro!

    Crepúsculo:
    A intenção do livro, acredito, foi apresentar os personagens. Praticamente todos eles são apresentados neste primeiro livro, o livro explica como ela chegou ali, o que levou todos a serem como são, por que dos poderes, como e a transformação, o motivo de ter sido feita as transformações!

    Sério? Para quem só viu o filme eu entendo achar que ela se interessou por ela da noite para o dia! Mas no livro antes de chegar ao ponto de se declararem, eles vivem varias situações, e eu acho a Bela muito mais interessante no livro, muito mais sarcástica. Acho q é exatamente isso que o atrai, o modo como às atitudes dela são diferentes do que a maioria teria, as reações que ela tem como relação aos acontecimentos, ele deixa claro por diversas vezes, que ela sempre o surpreende! Sem falar que as opções dele também não são as melhores né, ele devia se interessar por quem pela Jessica, por exemplo?

    Sobre a maturidade dela, ela tem 17 anos!!! Fato de às vezes ela dar crise não significa imaturidade, minha mãe bate o pé às vezes, quantas vezes ela por pirraça não deixou eu fazer alguma coisa, quantas vezes eu mesma não faço uma pirraça com meu marido! A parte do pedófilo eu prefiro até não comentar, ri muito do Felipe, super engraçado, mas não é algo que eu me dei ao trabalho de considerar (vivemos em um tempo onde as mulheres se casam com homens 40 anos mais velhos, que são horrorosos, mas ricos, ele esta paralisado nos 17 e ainda é virgem e luta pra não dar um beijo na garota, então pelo amor de Deus...).

    Tem informações vitais no livro, que fizeram muita falta no filme, por exemplo, o filme passa a impressão de o foco da perseguição ser Eduard e Bella, e não é, até tem essa parte de honra, mas a honra pelo sangue da Alice (o que não tem nos filmes, como a Alice foi transformada, que é explicado no final de crepúsculo). Em minha opinião é o melhor dos 3 livros!

    ResponderExcluir
  11. Renata Karla05 dezembro, 2012

    Lua Nova
    Também não é meu preferido, mas o livro é muiiito melhor do que o filme, também tem varias informações vitais para se entender a relação Jake e Bella, sobre a transformação dos lobos, de como acontece, das consequências, acho que o mais interessante é ter mais humor.

    “Tem também mais uma coisa que me faz duvidar da maturidade da protagonista: ela decide quebrar promessas de se manter segura porque Edward quebrou a sua de estar sempre ao lado dela. Então ela se mete em enrascadas: sai com sujeitos pouco confiáveis, pula de penhascos, aprende a andar de moto... Tudo para que ela consiga atrair a atenção do vampiro.”

    Han??? Você manteria a promessa? Atrair a atenção do vampiro como? Ele nem sabia o que ela estava fazendo! Ela se sentia melhor por ter a sensação de ele estar perto dela, o que ela explica no final deste mesmo livro quando eles estão correndo pela floresta ate a casa dele! Já acho que ai é exatamente o contrario, ela se mantém viva, e inteira por outras pessoas, pelo pai, pela mãe, depois pelo amigo (Jake), ela era um pessoa com o descontrole perfeito de suicida!! Não acho que ela se manteve por ele, pois ela realmente acreditava que ele a havia a abandonado para sempre!

    “Também achei patético o argumento para que Edward acreditasse que ela estivesse morta.“

    Qual argumento? Que desde o inicio as chances nunca foram as melhores? Realmente no caso dela foi mesmo incrível que ela se mantivesse viva.

    Achei que tanto no filme quanto no livro, ela foi muito egoísta, só pensou nela quando a Alice voltou, mas no livro foi mais detalhado o que mostrou nela um pouco de sentimento, no filme ela foi desnecessariamente cruel com a única pessoa que a ajudou quando ela mais precisou. E a única parte realmente muiiito interessante do Lua Nova foi a partir do momento que eles saíram da sala dos Volturi, e eles simplesmente pularam tudo, e o que colocaram foi tão resumido, que perdeu o sentido!

    Eclipse
    Eclipse é melhor pelo simples fato de que eles mudaram a personalidade da Bela no filme!

    As cenas em que ela sai de moto com o Jake, e do beijo foi uma ofensa à personagem! O Eduard ficou corno no filme, na historia real a Bella tem de fugir para se encontrar com o Jake, e o Eduard quase vai atras dela, ele ficar na porta da escola com cara de bobo! E a cena do beijo, pelo amor de Deus o que foi aquilo, como havia dito antes, os 3 primeiro livros eu vi primeiro o filme, e neste momento eu fiquei revoltada, não queria mais assistir, como foi fácil ela pedir a ele um beijo! Tomei nojo da Bella no filme, mas quando li o livro tudo ficou mais simples.

    As informações mais importantes para se entender toda a historia estão dentro deste livro, todo o ressentimento da Rosalie, o porque a autora colocou toda a historia do imprinting, todo o sentido mesmo, não aquele resumo que e feito no lua nova, o porque dele se transformarem e lobos e na realidade não serem lobisomens, a despedida da Bella e do Jacob, o que é aquilo no livro, perfeita, as dúvidas do Eduard, o sofrimento dela... A sem comentários, o filme também deixa muito a desejar!

    Amanhecer
    Os 3 primeiro filmes foram uma preparação para essa batalha final, ela não pegou um fiozinho de lugar nenhum, essa batalha vem desde o Lua Nova, tudo no amanhecer são nós que explicam qualquer ponto de interrogação dos 3 primeiros livros.
    No Eclipse também tem vários momentos em que essa batalha é anunciada.

    O trio James, Victória e Laurent, foram mais uma preparação, uma forma de expor o mundo que a autora criou, pra demonstrar toda imaginação e inteligência da autora.

    É o único filme que não me decepcionou em nada!!!
    Acho que se não tivesse sido dividido, não seria tão fiel ao livro, ainda tinha umas cenas que eu adoraria ter visto, todos da óptica do Jacob.

    Acho que você já começou a leitura com pré–conceito já formado e não se dedicou a leitura, Mas acho sinceramente que vc deve ler toda a saga novamente com toda atenção! Porque, na minha opinião, você não entendeu nada da história!

    ResponderExcluir
  12. Olá, Renata.
    Bem, eu não acho que tenhamos lido livros diferentes ou que eu não tenha entendido a história. Acho apenas que nós somos pessoas diferentes, com visões diferentes e expectativas diferentes. É bem verdade que li os quatro livros há um tempo e que alguns detalhes me fugiram da memória, mas eu simplesmente não gostei de muitas coisas. Tanto que, como eu disse, contrariei toda a minha vida ao afirmar que um filme é melhor do que o livro. Foi a primeira vez que tive a impressão, já que sempre, sempre, prefiro o livro. “Crepúsculo” e “Lua Nova” são exceções à regra... Na minha opinião, claro! Você já deixou claro que discorda de mim... :)
    Também gostaria de dizer que não comecei a ler a saga com pré-conceito ou preconceito. Como disse na resenha, assisti “Crepúsculo” e “Lua Nova” antes de ler os livros e gostei da história. Peguei “Crepúsculo” para ler porque, como eu disse, sempre acho os livros melhores do que os filmes e queria assimilar melhor aquilo que o filme não me contou. Já “Lua Nova”, peguei querendo entender alguns pontos que não entendi no filme. Mas me decepcionei. Simples assim. Não gostei dos livros, preferi os filmes.
    E de jeito nenhum eu estava esperando “Anjos da noite” – o que eu adoro, a propósito. Eu vi que era um romance, tanto pelo filme, quanto pela sinopse do livro. E, talvez, tenha faltado na resenha o fato de que a monotonia do primeiro livro seja totalmente perdoável, já que ele tem a missão de apresentar os personagens. Achei que tivesse deixado isso claro, mas nunca é tarde para frisar.
    Você falou bem: antes de chegarem ao ponto de se declararem eles passam por muitas coisas. Mas não passam por tantas coisas quando começam a se interessar um pelo outro. Eles só se olham. Ele sente o cheiro dela. Ela fica desconfortável. E pronto. Ela já fica obcecada, reparando que ele não vai à escola, na cor dos olhos dele e fica querendo saber isso e aquilo... Bem, talvez eu seja insensível – e não, não acredito de jeito nenhum em amor à primeira vista –, mas achei muito pouco para que eles se interessassem um pelo outro daquela forma. Não tanto ela, já que Edward é lindo e age um feito um doido nos primeiros momentos, mas por ele. Imagine que Edward tenha a mesma idade do recém-falecido Oscar Niemeyer e analise a coisa sob esse ponto de vista. O que chamou a atenção dele para ela, além do fato de ficar intrigado por não conseguir ler a mente dela? Agora, as opções dele NAQUELE MOMENTO não eram as melhores. Edward tinha 17 anos no começo do século e quantas meninas de 17 anos ele já não conheceu ao longo desse tempo? E quantas não conheceria depois de sair de Forks? Edward tem o corpo de um garoto de 17 anos, mas a mente de um homem centenário. Ele pode facilmente se sentir atraído por uma menina adolescente, linda, com corpinho bonito, (o que, a propósito, não é nada da Bella), mas até quando ele aguentaria a conversa? A convivência? E isso não é apenas em “Crepúsculo” que eu vejo esse problema, mas em todos os outros filmes/livros/séries em que um vampiro se apaixona por um humano. E, aliás, o fato de Edward ainda ser virgem é simplesmente inacreditável pra mim. Honestamente. Eu ri muito quando li isso no livro, mas até relevei o fato. É um romance para adolescentes... Enfim, não quero me estender sobre isso.
    Sobre as informações vitais que o filme não passa... Verdade! Acho que até comentei com a Mac aqui na parte dos comentários. E, sobre a parte do sangue da Alice... Vou ter que reler isso. Eu não me recordo dela.
    Bem, você pergunta se eu manteria a promessa... Claro que eu manteria! Se eu prometo uma coisa, eu cumpro, afinal, que moral eu teria para brigar com o vampiro e acusá-lo de quebrar suas promessas, se eu não cumprisse a minha parte? :x

    ResponderExcluir
  13. Quando falo do argumento que achei patético, mas não quis falar por ser mais um spoiler, foi o telefonema que Edward faz para Charlie e Jacob diz que ele estava num enterro. Foi o suficiente pra ele querer se matar, sem nem mesmo checar direito a informação. Achei patético mesmo todo esse mal-entendido...
    E “Lua Nova” é chato de ler justamente por isso: porque ela mostra sentimentos. Demais até. Por isso eu dispenso 90% do livro.
    Quando eu falo que Stephenie pegou um fio, eu me refiro ao fato de que os Volturi queriam uma desculpa para acabar com os Cullens e ficarem “bem na foto”. E ela achou a desculpa perfeita: um bebê. Pronto. Taí a história. E não achei que os três primeiros filmes tenham sido uma preparação para essa batalha final – que, aliás, nem existe.
    E é fato que, se “Amanhecer” não tivesse sido dividido em duas partes, não teria sido tão fiel ao livro. Mas a questão é que o filme é BASEADO no romance de Stephenie Meyer. Quando um filme é baseado em uma história, o roteiro não tem obrigação de ser fiel... Por isso eu digo que não havia necessidade de ter dois filmes. A mensagem de “Amanhecer” poderia ser passada em um único filme. Mas fico feliz por você que, ao que me pareceu, é uma fã incondicional de “Crepúsculo”, tenha gostado do filme. Acredito que ele deva ter sido feito para pessoas que gostaram tanto da história quanto você... :)
    Mas... Talvez um dia eu leia a saga toda novamente. Quem sabe com outros olhos, em outro momento da vida, com outras expectativas. Talvez eu até mude de ideia. Mas agora, honestamente, eu não teria paciência. Como disse, peguei “Crepúsculo” para ler de novo e não consegui passar do terceiro capítulo.
    E é sempre um sinal de sucesso, não é? Pessoas criticando e pessoas defendendo a história...
    Beijão!

    ResponderExcluir
  14. eu amo vcs voce não saber p amor que eu tenho por vc eu acho que ate morreria se eu não conhecer vc tomara que o meu sonho realizar neh

    ResponderExcluir
  15. eu amo vcs voce não saber p amor que eu tenho por vc eu acho que ate morreria se eu não conhecer vc tomara que o meu sonho realizar neh

    ResponderExcluir
  16. Falando de vampiros, Crepúsculo não é a melhor proposta sobre esta questão. Ele termina com a essência desses seres tão formidáveis para se tornar personagens românticos. Muito recomendar a serie True Blood, produzido com uma história mais original que irá pena rever.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...