[LANÇAMENTOS E NOVIDADES#52] Editora Autores Associados

Olá #Impressionautas!!!

Segue mais um lançamento da Editora Autores Associados :



Rip Tide, sequência de Dark Life, tem lançamento previsto para a primeira quinzena de Dezembro 2012!!!

Equipe A.I.L

[RESENHA] Saga Crepúsculo, de Stephenie Meyer

Todos os filmes da saga
Resenha: Em 2008, encontrei um blog interessante e assinei para receber as atualizações por e-mail. Não lembro o quê exatamente me chamou a atenção naquele blog mas o fato é que, a partir daquele momento, 9 em cada 10 posts falavam sobre o tal livro "Crepúsculo" e as expectativas em volta do tão esperado filme que sairia no final daquele ano. Eu li algumas coisas, percebi que era um romance entre uma humana e um vampiro mas só tive vontade de assistir ao filme quando reconheci o casal principal: o cara do “Harry Potter” e uma menina que protagonizou um dos filmes mais lindos que já assisti ("O Silêncio de Melinda" - Recomendo!).

Então, fui ao cinema. Gostei do filme. Gostei da história. Bobinha, para adolescentes. Nada de extraordinário mas bacana.

No ano seguinte, saiu "Lua Nova", mas foi um desastre para mim pois o filme estava sendo exibido dublado e o áudio era uma porcaria! Precisei assistir de novo, legendado para, só então, entender o filme. E já não gostei tanto. Não me fez muito sentido aquela história do vampiro ir embora, dela acreditar tão fácil que ele não a amava, a parte do lobisomem, ela gritando... Enfim!

Até que, no Natal desse mesmo ano, ganhei a saga inteira de presente. Li os quatro numa tacada só - uma semana, na verdade. E, bem, vamos ao que interessa...

"Edward e sua turma vão aprontar
todas na sua Sessão da Tarde...
"


ATENÇÃO: Esta resenha sobre os livros e filmes podem conter algum spoiler em algum momento. Caso não queira saber algo que ainda não leu ou assistiu, siga por sua própria conta e risco, ok?

Crepúsculo
"De três coisas eu estava convicta.
Primeira, Edward era um vampiro.
Segunda, havia uma parte dele - e eu não sabia que poder essa parte teria - que tinha sede do meu sangue.
E terceira, eu estava incondicional e irrevogavelmente apaixonada por ele".
"Crepúsculo" é o primeiro livro da série. Somos apresentados à Bella Swan, ao vampiro Edward e, rapidamente, ao seu amigo de infância, Jacob. Descobrimos que os Cullen são vampiros "vegetarianos", mas que também existem vampiros que gostam mesmo de sangue humano. Começa monótono, meio que uma apresentação aos personagens e os acontecimentos bobos que levam a protagonista a se apaixonar.

Só acontece alguma coisa realmente importante da metade para o final: Bella é ameaçada por vampiros que gostam de sangue e um deles, James, quer pegá-la única e exclusivamente por uma questão de honra. Certo. Até aí tudo bem, podemos engolir o enredo. O problema todo do livro é que ele é narrado em primeira pessoa e Bella Swan é um pé no saco! Que menina chata! Sem sal! Cheia de dramas, birras, bicos! É claro que ela é uma adolescente de 17 anos mas são comportamentos que contrariam a descrição de Bella como uma garota adulta e independente para sua idade. Sinceramente, fiquei surpresa porque não a vi cruzar os braços e bater os pés chorando e berrando em algum ponto do livro. Além, é claro, daquele mel todo, o exagero de amor maluco que eu nunca tinha lido antes, nem nos famosos romances mais melosos de "Sabrina".
Edward & Bella
(Robert Pattinson & Kristen Stewart

Há algo que não me sai da cabeça em relação à saga “Crepúsculo”: tomando como verdade absoluta o que Felipe Neto diz em seu antológico vídeo "Não faz sentido: Crepúsculo", Stephenie Meyer conseguiu juntar todas as inseguranças femininas numa única personagem, deixando Bella Swan sem um atrativo sequer. Assim, o que leva um vampiro de mais de 90 anos (não me recordo a idade dele agora) se apaixonar por uma garota dessas? Além de ser deliberadamente pedofilia (vamos combinar, né, gente?). A única coisa que me ocorre é o fato dele não conseguir ler a mente dela e se sentir atraído pela curiosidade, pelo golpe de “ego” que ele leva por não conseguir saber o que ela pensa. Fora isso, não me faz sentido algum que Edward se interesse por Bella, ainda mais naquelas circunstâncias: ele olha pra ela, ela olha pra ele e pronto! Só isso!

(Achei que o Felipe estivesse exagerando mas reli para tirar a dúvida e é mesmo só isso! Isso e o fato do sangue da Bella ter sobre Edward o mesmo efeito que uma torta floresta negra tem sobre mim...)

Não leiam o livro "Crepúsculo"! Assistam ao filme que é bem melhor! Não tem 25% de todo aquele mel e o roteirista - com a ajuda do diretor e de Kristen Stewart, claro - conseguiu deixar Bella menos chata, chegando até a ser engraçada algumas vezes. Além, é claro, do livro ter 355 páginas e de ser bastante monótono. Eu tentei relê-lo quando me encomendaram a resenha, mas, francamente, não consegui passar do terceiro capítulo...

Lua Nova

"- Bella, eu não quero que você venha comigo. - Ele pronunciou as palavras de modo lento e preciso, os olhos frios em meu rosto, observando-me absorver o que ele realmente estava dizendo.
(...)
- Você... não... me quer? - experimentei dizer, confusa pelo modo como as palavras soava, colocadas nessa ordem.
- Não.
(...)
- Bem, isso muda tudo. - Fiquei surpresa ao ver como minha voz soava calma e razoável
(...)
Então, abri o segundo livro, "Lua Nova", desesperada para ver se encontrava algumas respostas para minhas questões não-resolvidas no filme. Bem, consegui entender que Jacob ainda não era um lobisomem, mas estava ainda em fase de transformação – podem me chamar de estúpida mas não tinha entendido isso assistindo ao filme. Engoli um pouco melhor a história de Edward ir embora, já que percebi que no cinema a coisa aconteceu muito rápida e o livro é bem mais detalhado nesse aspecto – como supus. Também fez mais sentido que ela acreditasse que Edward já não a amava tanto. Ele vai se mostrando indiferente, indiferente... Até que tem seu ápice naquela conversa em que ela sai desesperada em direção à floresta. Mas o livro é insuportável! Eu não aguentava mais todo o "chororô" porque Edward foi embora, suas dores físicas (isso mesmo: físicas!)... E descobri, muito contrariada, que os gritos enquanto ela dormia não eram por causa de seus pesadelos em que via Edward morrer, como eu pensei, mas porque ela sonhava com o "nada" (??).

Tem também mais uma coisa que me faz duvidar da maturidade da protagonista: ela decide quebrar promessas de se manter segura porque Edward quebrou a sua de estar sempre ao lado dela. Então ela se mete em enrascadas: sai com sujeitos pouco confiáveis, pula de penhascos, aprende a andar de moto... Tudo para que ela consiga atrair a atenção do vampiro. Também achei patético o argumento para que Edward acreditasse que ela estivesse morta. Mas, tudo bem. "Lua Nova" foi a história – e o filme – que eu menos gostei, tanto pelos dramas quanto pelos argumentos ridículos. Mas o livro não é de todo ruim. A parte dos lobisomens é divertida. Além disso, gostei de um detalhe bobo que Stephenie Meyer inventou para ilustrar a passagem do tempo no vazio da vida de Bella... Tanto no livro, quanto no filme. E eu me apaixonei pelo Jacob. #ProntoFalei! Sou do #TeamJacob!

Eclipse

Terminei "Lua Nova" descrente da saga. Ainda faltavam mais dois livros e eu estava irritada demais. Mas respirei fundo e peguei "Eclipse". E posso dizer que foi uma bela surpresa!

Apesar do livro começar monótono com Bella e os vampiros demorando várias páginas para tirarem conclusões lógicas, dou nota 9,5. Finalmente acontecem reviravoltas na história e Bella larga de ser tão pé no saco – ela deixa esse papel para Edward e o papo de casamento... É o livro que mais tem história e ação. Uma guerra, efetivamente.

A cena da tenda, em que Bella está congelando de frio e Jacob a abraça... Na minha opinião, foi um dos pontos altos do livro. Aliás, eu só percebi um trocadilho de Jacob quando assisti ao filme: Edward não quer deixar que o lobisomem a abrace ao passo que Jacob responde "I'm hotter than you".

A tradução do livro diz "Sou mais quente do que você", numa referência à alta temperatura do corpo dos lobisomens... Mas também podemos traduzir como "Sou mais sexy / gostoso do que você".

(Adorei! Principalmente a carinha safadinha que Taylor Lautner faz nessa cena...)

A história de "Eclipse" é bem melhor, mais cheia de detalhes, mais crível. Aqui vemos Bella se “dividir” entre Jacob e Edward, com o vampiro dando uma de “corno manso”.

E, neste livro, também somos apresentados brevemente à Bree Tanner, uma vampira recém-criada que os Cullen querem adotar, mas... Bem... Não dá muito certo. Stephenie Meyer gostou tanto de Bree que escreveu uma história só para ela: "A curta segunda vida de Bree Tanner"

(Fico devendo a resenha deste. Fica para a próxima...)

Sobre o filme "Eclipse": é bom e não me desapontou. Mas o livro é melhor. Muito melhor... 


Amanhecer

O fogo não era mais de chamas ardendo por minha pele – agora era lento e profundo; e derreteu todo o meu constrangimento, minha tímida incerteza. Tirei a toalha sem hesitar, deixando-a na árvore com as roupas dele, e andei em direção à luz branca; ela também me deixou pálida como a areia alva.
Eu não ouvia o som de meus passos enquanto andava até a beira d’água, mas sabia que ele tinha ouvido. Edward não se virou. (...) Avancei, andando com cuidado pelo solo invisível do mar, mas meu cuidado era desnecessário; a areia continuava perfeitamente lisa, inclinando-se delicadamente até Edward. Atravessei a fraca correnteza até estar ao lado dele e coloquei a mão de leve em sua mão fria, mergulhada na água.
- Lindo – eu disse, olhando a lua também.
- Está tudo perfeito – respondeu ele, sem se impressionar
(Pigarros) Dá para entender o que está para acontecer, não é?

Então, com as minhas esperanças renovadas em Mrs. Meyer, pego o quarto e último livro da série: "Amanhecer". Bem, mais ou menos... Pela sinopse, eu esperava um livro tão meloso e dramático quanto "Crepúsculo" e fico muito feliz em dizer que estava errada. Apesar de "Amanhecer" retratar a lua de mel de Edward & Bella, mais a história de sua gravidez, Stephenie Meyer conseguiu encontrar um equilíbrio na narrativa, colocando os sentimentos da protagonista na medida certa, mesclando-o perfeitamente bem com o desejo que eles sentem um pelo outro.

(aliás, concordo com E. L. James, a autora de “Cinquenta Tons de Cinza”, quando diz que “Crepúsculo” é muito erótico)

E então, de repente, Jacob começa a narrar a história. É claro que podemos ver as semelhanças entre as narrações de Bella e Jacob. Afinal, tudo está na cabeça de Meyer. Mas a narrativa de Jacob é bem diferente daquela feita por Bella e tudo é muito melhor de ler sob sua perspectiva. Mas ao final, Stephenie volta ao ponto de vista de Bella.

Amanhecer” tem uma trama diferente... Enquanto “Crepúsculo”, “Lua Nova” e “Eclipse” têm como argumento James e Victoria, este livro tem como pano de fundo um mal-entendido. Patético, é verdade, mas com uma conexão muito fraca com os argumentos dos livros anteriores. Aqui, parece que Meyer sentiu falta de ter algo para movimentar a história e não deixá-la com cara de lua de mel e pegou um fiozinho de um livro anterior para criar esse enredo.  

A família reunida...
Preciso dizer que aqui a autora conquistou, definitivamente, meu respeito em termos técnicos. Sua narrativa amadureceu muito em relação aos primeiros livros e posso considerá-la uma boa escritora. O capítulo em que Bella se transforma em uma vampira é... Fantástico! O "julgamento" no final também foi muito, muito bem descrito! São quatro capítulos argumentando contra os Volturi e eu não me senti entediada em nenhuma linha! Ao contrário! Consegui visualizar e sentir toda a tensão da cena. Este é o melhor dos quatro livros, sem dúvida alguma, muito embora seja extremamente previsível. Mas não havia como ter um final diferente. Afinal, é um romance voltado para adolescentes.

Vamos aos filmes: “Amanhecer – Parte 1” mostra o casamento de Bella & Edward, a lua de mel e a gravidez, correspondentes no livro à primeira parte onde Bella narra, seguida por toda a sequência de fatos sob a perspectiva de Jacob. “Amanhecer – Parte 2” já é a última parte, onde a recém-criada vampira volta a narrar.

O primeiro filme é extremamente fiel ao livro, alterando um ou outro detalhe. E é um dos meus argumentos para sustentar minha opinião de que não havia necessidade alguma de dividi-lo em duas partes – a não ser, é claro, o fato de Hollywood querer faturar com a história...

Quando assisti à primeira parte no cinema, fiquei um pouco frustrada por perceber que havia sobrado muito pouco para a segunda parte da história e achei que os roteiristas teriam muito trabalho para fazer um filme interessante...
Cartaz nacional

Acredito que “Amanhecer – Parte 2” seja um filme para ser analisado sob três pontos de vista: de quem não leu, mas assistiu aos filmes por assistir; de quem não leu, mas amou os outros filmes; e, finalmente, de quem leu o livro.

Para quem não leu o livro e foi assistir aos filmes apenas por assistir, “Amanhecer – Parte 2” vai decepcionar. Pelo ponto de vista de roteiro cinematográfico, posso lhe dizer, caro amigo, que é pobre, previsível, sem reviravoltas e que, tirando a cena final, não acontece praticamente nada. Sem dúvida, vai achar chato e a culpa é toda de Hollywood: se a história não tivesse sido dividida em duas partes, o filme ficaria mais interessante para estas pessoas.

Para quem não leu o livro, mas se apaixonou por Bella & Cia. nos cinemas, vai concordar comigo quando eu digo que “Amanhecer – Parte 2” não é nem de longe o melhor filme da Saga, mas também vai concordar que foi um final digno para Bella, Edward e Jacob.

Talvez ache o filme monótono, mas vai se contentar com as descobertas de Bella sobre sua nova vida de vampira, se apaixonar por Renesmee e, ficar embasbacado com a cena final.

Para quem leu o livro, “Amanhecer – Parte 2” vai surpreender.

Os acontecimentos que se arrastam no livro foram mais dinâmicos na versão cinematográfica e não ficou chato de assistir. Porém, posso dizer que senti falta de algumas coisas como, por exemplo, todo o cuidado que os Cullen têm no livro para ajudar nos primeiros momentos de Bella como vampira. Quero dizer, para os dois grupos que não leram o livro, mas assistiram ao filme “Eclipse” e estão familiarizados com as características dos recém-criados, vão achar que as coisas foram fáceis demais para ela. Também achei que alguns personagens foram mal explorados, algumas figuras mal explicadas... Eu, que já tinha lido o livro, fiquei meio perdida no meio de tantos vampiros que, no filme, aparecem sem dizer uma só palavra.

(Não quero fazer nenhum spoiler, mas é importante dizer ao grupo que leu o livro: não vá ao cinema sabendo o que vai acontecer. O final foi alterado e ficou muito... mas muito melhor! Mesmo para aqueles que, como eu, acharam as cenas do livro interessantes e bem escritas. Fiquei simplesmente boquiaberta quando... Bem, assistam ao filme e vocês saberão exatamente o ponto em que minha boca se abriu em choque e eu gritei um “O quê”?)

Falando agora, aos três grupos citados: quero dizer que achei muito sem graça a vida dos vampiros centrais da saga! Eles passam o dia sorrindo, ouvindo música, brincando com Renesmee e sendo gentis uns com os outros. Chatice! Não acreditei que Bella tivesse mesmo trocado sua vida cheia de possibilidades para aquela tranquilidade sem fim.
Renesmee
(
Mackenzie Foy)

Mackenzie Foy, a pequena atriz que faz Renesmee, a filha meio mortal e meio imortal de Bella & Edward é uma fofa! Dá vontade de pegá-la no colo e enchê-la de beijos o filme todo - provavelmente foi essa a intenção da produção e me senti altamente manipulável por isso... Rs.

(Aliás, uma pausa para um pequeno comentário: francamente, como alguém pôde sequer cogitar que a filha do casal adolescente mais amado da atualidade poderia ser um monstro?)

Ainda para os três grupos: apesar de mostrar Taylor Lautner sem camisa em uma cena (e arrancar gritinhos no cinema), o filme não é apelativo, nem mesmo na cena de sexo de Bella e Edward. Aliás, foi o primeiro dos cinco filmes em que consegui gostar de Edward! O vampiro ficou, de repente, muito carismático. Kristen Stewart ficou tão bem produzida que sua beleza se sobressaiu, ela ficou linda de vampira.



Aro (Michael Sheen)
Jane (Dakota Fanning)
Estendendo, agora, o comentário para os outros personagens, posso dizer que estou cada dia mais apaixonada por Michael Sheen, o ator britânico que interpreta Aro. O cara é um camaleão! Perfeito!

Já Dakota Fanning, uma das minhas atrizes preferidas em Hollywood, foi muito mal aproveitada. É verdade que sua personagem, Jane, tem uma participação pequena no livro, mas honestamente, Dakota é um dos nomes de maior peso em toda a saga “Crepúsculo” e não merecia falar uma única frase em todo o filme. Já que o final foi alterado, também poderia ter sido aumentada sua participação. 

Vampiras brasileiras..
Para finalizar o comentário em relação aos personagens, quero que alguém me ajude a entender aquelas índias vampiras da Amazônia. O que foi aquilo? Não entendi nem mesmo o figurino delas! Talvez, por ser brasileira. Se eu fosse americana, certamente teria entendido...


Sobre os erros... 

Há erros de tradução no filme, ao menos na fila em que veio para o cinema em que assisti e, se alguém for detalhista o bastante, vai se lembrar do que Alice diz sobre suas visões do futuro envolvendo os lobisomens e, bem... Vai perceber a contradição.
Jacob
(Taylor Lautner)


No geral, gostei de “Amanhecer – Parte 2”. Mas, pessoalmente, um detalhe me fez valer a pena: há uma cena do livro em que Jane tenta atacar Bella, mas esta se protege. A Volturi fica irritada e a recém-criada sorri, em triunfo. Desde o momento em que li essa cena, imaginei-a com Kristen Stewart e Dakota Fanning e foi muito, mas muito bom ver que saiu EXATAMENTE como eu pensei... Parecia que meus pensamentos estavam diretamente conectados aos pensamentos do diretor.
O filme termina como esperávamos: todos felizes para sempre e não tinha como fazer diferente. Mas achei interessante e um toque muito delicado, que os créditos finais mostrem o elenco da saga inteira e não apenas os do último filme, num clipe lindo, que me emocionou. Consegui dar um adeus digno à Bella, Edward e Jacob.


Saga Crepúsculo

Bom, olhando a saga completa, não há como negar que Stephenie Meyer seja uma pessoa criativa. Ela alterou totalmente as lendas dos vampiros e dos lobisomens, pegou um pouco aqui, mexeu um pouco ali, bateu no liquidificador e saiu uma coisa até... Interessante, apesar de todos os clichês.

Eu poderia ter dispensado uma boa parte de “Crepúsculo” e 90% de “Lua Nova”, mas afirmo que, quando se olha para a saga completa, é possível gostar do triângulo amoroso entre uma humana adolescente, um vampiro centenário e um lobisomem. Quem não gosta de romance água-com-açúcar, não se dê ao trabalho de ler. Fazendo comparações entre a saga literária e a saga cinematográfica, posso dizer sem medo de ser feliz: odeio Bella no livro e gosto dela no cinema. Gosto de Edward no livro, mas detesto-o no cinema.

E amo Jacob de qualquer jeito.


E, ainda fazendo comparações, um conselho que vai contrariar toda a minha existência: quem quiser conhecer a história da saga, assistam aos filmes "Crepúsculo" e "Lua Nova" e leiam "Eclipse" e "Amanhecer". Será melhor assim!

Eu, Stéf Rhoden, estou juntando o troco do pão para assistir "Amanhecer - Parte 2"... Pela terceira vez, claro!


Trailer Amanhecer Parte 1



Trailer Amanhecer Parte 2

[OPINAIL] Literatura Hot ou Erótica: o "BOOM" do momento!!!

É incrível como, ultimamente, estão se comentando sobre Literatura Hot por aí. Algo que já existe há décadas mas parece - pela reação das pessoas - que "surgiu" ontem.

Fazendo uma pesquisa para a minha estante Hot (kkk) fiquei maravilhada com a quantidade de Editoras que resolveram apostar no novo "boom" do momento. Muitas embarcaram no sucesso dos "Cinquenta Tons..." para publicar e republicarem alguns títulos que não fizeram muito sucesso outrora mas que agora vem despertando o interesse do público-alvo.

Um bom exemplo é o "Toda Sua" de Sylvia Day, lançado pela Companhia de Letras.

Neste livro, os leitores são apresentados à história de Eva Tramell, uma mulher de 24 anos que acaba de conseguir um emprego numa das maiores agências de publicidade dos Estados Unidos. Tudo parece correr de acordo com o plano, até que ela conhece o jovem bilionário Gideon Cross, o homem mais sexy que ela — e provavelmente qualquer outra pessoa — já viu. Gideon imediatamente se interessa por Eva, que faz tudo o que pode para resistir à tentação. Mas ele é lindo, forte, rico, bem-sucedido, poderoso e sempre consegue o que quer — e é claro que Eva acaba se entregando.

Uma relação intensa começa. O sexo é incrível. Capaz de levar os dois a extremos a que jamais tinham chegado. E, então, eles se apaixonam — o que pode ser tanto a chave para um futuro feliz quanto a faísca que trará de volta os traumas do passado.
A Editora Record está relançando um livro de 1996, que, na época, não foi bem recebido pela crítica e gerou muita polêmica em uma sociedade brasileira politicamente correta e chauvinista.
Em "Falsa Submissão", de Laura Reese, o leitor é jogado no universo dos chicotes, roupas justas de vinil negro, um cachorro dinamarquês... E é assim que inicia-se a trama deste livro. O prazer bizarro do sadomasoquismo não fazia muito sentido para Nora Tibbs, jornalista de uma cidadezinha da CalifórniaIsto até o brutal assassinato da irmã. Obcecada pela ideia de encontrar o criminoso, Nora se deixa conduzir pelo misterioso M. por um mundo de jogos perversos, sem regras ou limites, descobrindo os desejos mais primitivos e sensações antes inimagináveis. Atraída pelo magnetismo excêntrico de M., ela só não desconfia que a morte acompanha seus passos e pode até estar ao seu lado, na cama. Suspense com altas doses do mais inusitado tipo de erotismo estão em "Falsa Submissão".
Já a Editora Digerati lançou a série "A Irmandade da Adaga Negra", de J.R. Ward, que também faz muito sucesso. A mesma tem a sua dose de erotismo mas, dizem as boas línguas, que o terceiro volume é o suprassumo quando o quesito é o tal Hot!!! 
E, sim, é mais uma série vampiresca! A mesma é ambientada em Caldwell - Nova Iorque. Sem que o restante da humanidade saiba, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre vampiros e seus caçadores. Interagindo em favor dos vampiros, existe uma Irmandade secreta, formada pelos seis vampiros mais fortes e poderosos, defensores de sua raça. E nenhum deles deseja a aniquilação de seus inimigos mais que Wrath, o líder da Irmandade da Adaga Negra
Wrath é o vampiro de raça mais pura e, ao perder um de seus mais fiéis guerreiros, que deixou órfã uma jovem mestiça - filha de pai vampiro e mãe humana - ignorante de sua herança e destino, não terá outra saída senão cuidar da bela garota e levá-la ao mundo dos não-mortos. Ela, Beth Randall, vê-se impotente em tentar resistir aos avanços desse desconhecido, incrivelmente atraente e sensual, que a visita durante a noite, envolto em sombras. As histórias dele sobre a Irmandade e o mundo dos vampiros a aterrorizam,  fascinam, e seu simples toque faísca um fogo que pode acabar consumindo a ambos.  Ainda não li esta série mas podem ter certeza que a mesma já faz parte da minha listinha toda especial de leitura.

Romances de Banca
Dando uma guinada na minha pesquisa, lembrei dos livrinhos chamados, vulgarmente, de "água-com-açúcar" mas que fica mil vezes melhor sendo citados como Romances de Banca! Os mesmos também contêm sua dose de erotismo que agrada muito aos leitores que curtem o gênero. Já li tantos que perdi a conta mas vou citar apenas dois que não consigo esquecer de forma alguma:
"A Esposa Virgem" e "O Lobo Domado", de Deborah Simmons, lançados pela Editora Romances Nova Cultural e, alguns anos depois, relançados pela Halerquin Books. Ah e o Lobo Domado é  bem conhecido e faz parte da série O Clã De Burgh! Amantes de romances de banca sabem do que estou falando :D
Mas de todos os livros de Literatura Hot que já li, a série que mais me chamou a atenção foi a "The Lords of Satyr" de Elizabeth Amber
A mesma não teve seus direitos comprados por nenhuma editora brasileira e só foi publicada, até o momento, pela Editora Kensington Aphrodisia. Está listada na categoria Literatura Fantástica mas. em todos os livros, encontramos muitas cenas de erotismo, que, aliás, é a marca registrada da autora. E quando você pensa que é impossível se surpreender... É exatamente isso que acontece!

Se vocês curtem Literatura Fantástica e, também, a Erótica... Eis uma série que contém os dois gêneros!!! 

Portanto, eu recomendo!!! Ah! E se alguém tiver o interesse em lê-la é só deixar email de contato que envio os e-books!
 Resenhas: "Nicholas" e "Raine"
E finalmente cheguei onde queria:


Eu poderia passar uma semana falando sobre Literatura Hot - que, aliás, eu adoro!!! - mas preferi apenas citar alguns livros que estão mexendo com o imaginário da mulherada (inclusive o meu, ha-ha), deixando os pelos da nuca das feministas ouriçados e fazendo muitos machistas torcerem o nariz. Tais reações são tão hilárias que só aumentam o interesse e a busca por este tipo de leitura... #ficadica!
E, falando em reações, gostaria de compartilhar a minha opinião - e a de muitos - a respeito desse "torcer de narizes"...
Poderia explanar horas e horas o quê a mulherada acha dos muitos machistas - alguns mal amados e insatisfeitos com o rumo que suas vidas tomaram - vivem dizendo que homens como Christian Grey (protagonista de "Cinquenta Tons de Cinza", resenha aqui) não existem! No entanto, "o cara" da música de Roberto Carlos se faz presente "firme e forte", né?! Ha-ha!  
Ou, poderia, simplesmente, dizer o que realmente penso de algumas feministas que, no fundo, são mil vezes mais machistas do que muitos homens!!! (kkk) No entanto, isso é algo que não vem ao caso!

Mas posso replicar, para alguns machistas e feministas, o questionamento em relação ao interesse de algumas mulheres por homens como Grey, usando a seguinte frase:
"Príncipes encantados ou "esse cara sou eu" está para fábulas assim como Christian Grey, Nicholas, Raine e Dustan estão para o mundo real". 
Em outras palavras, do que adianta ter um príncipe encantado como um Gentleman, se na hora de suprir "algumas necessidades" ele se transforma num sapo?! É preciso ter um ponto de equilíbrio, entendem?! Algumas pessoas têm a péssima mania de ficarem presas a dogmas porque têm medo das opiniões alheias! Consequentemente, elas têm medo de se arriscarem. Ou, simplesmente, elas são os próprios dogmas: feitas de madeiras e inanimadas em sua forma de ver a vida.
Não precisam transformar suas vidas literárias num "Bataclan" ou "9¹/² semanas de amor", mas se permitam a leitura sem amarras, despidos de preconceitos... No entanto, se não quiserem, tudo bem! Só não critiquem os adeptos pois apontar dedinhos não é legal!
Sempre digo que só me permito a não gostar de determinada coisa, depois de experimentá-la, vivência-la. Ficar de achismo não é muito enriquecedor. Mas se "acham" que assim podem evitar muitas coisas, tudo bem. Cada um com o seu cada um. 
E, outra, parem com essa mania de ficar dizendo que "isso ou aquilo" é leitura de mulherzinha! Isso é feio, chato e depreciativo! Podem não gostar do gênero, mas precisam respeitar as pessoas que o curtem!
Sendo assim, chega desse "me-me-me"!!! Eu não pedi para ninguém queimar sutiãs em praça pública por mim! Aliás, eu não faria isso. Sutiãs custam caro e os meus foram comprados com outro propósito! Eu não vejo ninguém torcendo o nariz para as "saladinhas de frutas" que rebolam por aí! Muito pelo contrário, se puderem colocar chantilly por cima fica até melhor, né?!(kkk).

Portanto, sinceramente, torço para que a Literatura Hot ou Erótica continue quebrando paradigmas. Que sirva de divisor de águas para muitos. Que ensine outros. Enfim, que faça as pessoas enxergarem que o quê realmente importa é elas encontrarem satisfação naquilo que mais lhe agradam, sem desrespeitar as preferências alheias.
Editoras: Este é o momento!!! Publiquem e republiquem suas obras porque existe nicho para isso!!!
Ah! Não poderia finalizar sem indicar o link de um blog voltado para Literatura Erótica: Leitura Hot!!! Dicas, resenhas, novidades... Tudo vocês encontram neste blog. É claro que existem outros mas esse é especial. E não, não estou ganhando nada por esta indicação, mas apenas reconhecendo o trabalho bem feito por este blog!!! 
Bjins e inté 
Mac Batista

[AILNEWS] Vejam os livros virarão filmes em 2013!!!

Olá  #Impressionautas!!! E a caixa de Pandora foi aberta...

Pois é... Trago mais algumas notícias a respeito das adaptações de livros para o cinema em 2013. Tudo indica que serão muitas adaptações devido ao sucesso de seus originais já bem conhecidos entre os leitores de plantão!!! :D

Mas, por enquanto, selecionamos alguns - aparentemente - interessantes:

FILME: Sangue Quente
ESTREIA: 01/02/2013
GÊNERO: Ação, Drama, Romance
DIREÇÃO: Jonathan Levine
ROTEIRO: Isaac Marion, Jonathan Levine
COM: Nicholas Hoult, Teresa Palmer, Rob Corddry 

(Curiosidade: O título deste filme no Brasil será "Meu Namorado é um Zumbi")
Sinopse: Em um cenário pós-apocalíptico, o zumbi R (Nicholas Hoult) passa por uma crise existencial e criando laços de amizade com uma humana chamada Julie (Teresa Palmer), uma de suas vítimas por quem acaba se interessando amorosamente. O problema é que este relacionamento acaba causando uma reação em cadeia em outros mortos-vivos, mas o general Grigio (John Malkovich) não está interessado neste tipo de mudança e sim no total extermínio da ameaça zumbi.


Trailer:





FILME: Um Porto Seguro

ESTREIA: 05/04/2013

GÊNERO: Drama, Romance

DIREÇÃO: Lasse Hallström

ROTEIRO: Dana Stevens, Nicholas Sparks

COM: Julianne Hough, Josh Duhamel, Cobie Smulders 


Sinopse: Quando uma misteriosa mulher chamada Katie (Julianne Hough) se muda para a pequena cidade de Southport, Carolina do Sul, seus novos vizinhos começam a levantar questões sobre seu passado. Bela e discreta, ela evita qualquer tipo de laço pessoal com os outros habitantes da região até que conhece o charmoso Alex (Josh Duhamel), um homem gentil, viúvo e pai de dois filhos e a sincera Jo (Cobie Smulders), que se torna sua amiga. Katie começa a se interessar por Alex e se sente cada vez mais afeiçoada a ele e sua família. Ela acaba se apaixonando mas um segredo de seu passado a impede de ser plenamente feliz.


Trailer:


FILME: Jogos Vorazes - Em Chamas

ESTREIA: 22/11/2013

GÊNERO: Ação, Aventura, Ficção, Thriller

DIREÇÃO: Francis Lawrence

ROTEIRO: Michael Arndt, Simon Beaufoy, Suzanne Collins

COM: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth 



Sinopse: Este é o segundo volume da trilogia Jogos Vorazes, baseada nos romances de Suzanne Collins. A saga relata a aventura de Katniss (Jennifer Lawrence), jovem escolhida para participar aos "jogos vorazes", espécie de reality show em que um adolescente de cada distrito de Panem, considerado como "tributo", deve lutar com os demais até que apenas um saia vivo. Neste segundo episódio da série, após a afronta de Katniss à organização dos jogos, ela deverá enfrentar a forte represália do governo local, lutando não apenas por sua vida, mas por toda a população de Panem.


Trailer:


Equipe A.I.L
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...