[RESENHA] "Radiante - Série Riley Bloom" de Alyson Noël

RadianteSinopse: Algum tempo após o acidente de carro que a matou, Riley Bloom deixou sua irmã Ever no mundo que conhecemos e atravessou a ponte da vida após a morte até um lugar chamado Aqui, onde o tempo é sempre Agora. Riley reencontrou os pais - também vítimas do desastre - e Buttercup, o cão da família. Todos estavam se adaptando a uma morte boa e tranquila, até que ela foi chamada perante o Conselho e um segredo lhe foi revelado: a pós-vida não significa simplesmente uma eternidade de lazer. Riley tem tarefas a realizar. Ela é designada como Apanhadora de Almas. E Bodhi, um garoto diferente, que ela não consegue decifrar muito bem, é seu guia. Riley, Bodhi e Buttercup voltam à Terra para sua primeira tarefa: fazer o Menino Radiante, que há anos assombra um castelo na Inglaterra, atravessar a ponte. Muitos Apanhadores de Almas já tentaram convencê-lo e não obtiveram sucesso. Mas isso foi antes que o menino conhecesse Riley...

Resenha:                                        
 “A maioria das pessoas acha que a morte é o fim.

O fim da vida – dos bons tempos -, o fim de… Bem, praticamente tudo.

Mas essas pessoas estão enganadas.

Completamente enganadas.

Eu sei muito bem. Faz quase um ano que morri.”


Riley Bloom é uma típica garota de 12 anos com ambições, sonhos, desejos e manias. Gosta de saber sobre a vida das celebridades, sempre está com o "look" da moda. Esta é uma vida perfeita para uma menina irrequieta, tagarela e - na boa - um pouco irritante (rssss) como a Riley. Tudo transcorre na mais perfeita harmonia até que ela, após um acidente de carro, se vê em um mundo completamente novo, onde não existem barreiras para imaginação.

O "Aqui e Agora" é como todos chamam o mundo em que Riley vive atualmente. Ela não está satisfeita - para falar a verdade, está furiosa por ter morrido tão jovem - e não consegue adaptar-se com as estranhezas do "Aqui" onde tudo acontece "Agora". E as coisas começam a piorar para Riley quando ela é convocada pelo Conselho Celestial. Este tem a missão direcioná-la ao ofício que ela vai desempenhar pelo resto de sua estadia nesse novo mundo.

Riley tenta de todas as formas ser convincente, simpática, um anjo de candura (longos cabelos loiros cacheados e olhos azuis) aos Conselheiros e acha que está "causando"... Até que ela se depara com um telão digno de um pop star, onde ela vê toda a sua curta "emocionante" vida passar e ser analisada pelo Conselho. Um verdadeiro "BBB Celestial"!!! O que nos faz questionar se o tal "julgamento final" seria assim...! Se for, então, vai um conselho: não inventem, mintam ou omitam nada porque o Conselho sempre sabe... de tuuuudoooo!!! (rsss)

E é com essa constatação e muita vergonha que Riley percebe como a sua curta vida foi tão fútil. Ela não fez nada de útil que pudesse se orgulhar. Até mesmo nos momentos em que ela achava que estava certa, o Conselho provou o contrário. Sem nenhuma justificativa que pudesse amenizar sua situação, Riley vê-se nomeada a "Apanhadora de Almas" que tem como função convencer os espíritos - que ainda estão na Terra - a atravessarem a "ponte" e encontrarem o seu devido lugar no plano celestial. 

Sem alternativas, Riley aceita a missão. Ela acha que consegue tirar tudo de letra! Sabem aquela velha mania adolescente de achar que sabe tudo?! Então, é exatamente assim que Riley se sente diante de seu novo ofício!!! Coitada...! Todo o seu treinamento passa a ser na prática. No entanto, sua missão - que era para ser muito fácil - torna-se completamente complicada, difícil e terrivelmente assustadora quando ela percebe que a sua primeira tarefa é nada mais nada menos que o lendário "Garoto Radiante"!!!

Eis o resumão do livro.

E, eis o meu veredicto...


Primeiro: preciso ser verdadeira - como sempre faço nas minhas resenhas - ao dizer que a narrativa não é empolgante. E até mesmo nos momentos em que o leitor acha que a coisa vai começar a andar... A "parada" não acontece!!! Aí, fica realmente difícil dedicar tempo à uma série de quatro volumes. 

Segundo: por incrível que pareça, o que salva a trama é o carismático cão labrador de Riley, chamado Buttercup, que não é chato e pedante como a sua dona (Arf, falei...! Muito sincera nessa hora... u.u ). E, também, não posso esquecer de Bodhi, o instrutor de Riley, que deveria ganhar o Oscar por ter tanta paciência com esta garota-mimada-de-12-anos!!!

Terceiro e último: por incrível que pareça², a série alcançou um sucesso estrondoso! Não sei se é devido ao "boom" de Os Imortais - também de autoria de Alyson Noël - que é um paralelo a Riley Bloom (pois conta o que aconteceu com a irmã de Riley, após o acidente) ou se é o fator "Teen na área: acha tudo muito bom, tudo muito lindo..."

Sinceramente, espero que os próximos livros sejam mais interessantes e que a Riley esteja menos irritante (rssss).

Bjins e inté! (Mac Batista)

============>
Para saber mais sobre: "Radiante", "Luminoso", "Terra dos Sonhos" e "Murmúrio"... Clique aqui.

============>
Foto -Alyson Noël
Alison Nöel
Alyson Nöel - Foi criada em Orange County, onde frequentou a Richard Nixon Elementary School por dois anos. Viveu em Mykonos, na Grécia, depois de sair do ensino médio. Depois, ela se mudou para Manhattan, Nova Iorque, onde trabalhou como assistente de vôo numa grande companhia aérea. Ela vive agora em Laguna Beach, Califórnia. Ela teve vários empregos, como babá, balconista da loja de departamento de vendas, assistente administrativo, gerente de escritório, fabricante de joalharia, pintora de t-shirt , recepcionista do Hotel Front Desk, assistente de vôo e agora é uma escritora. Ela passou a maior parte de seu tempo livre viajando e ficando longe do estilo de vida suburbano. Ela foi inspirada a se tornar uma escritora depois de ler "Are You There God? It's Me, Margaret" por Judy Blume na sexta série. Seu primeiro livro foi o romance para jovens adultos Faking 19, que explora o estilo de vida dos adolescentes de hoje.
<============

Fonte: Skoob.com.br

3 comentários :

  1. Já consigo ouvir a chamada: "Uma menina levada da breca aprontando todas no céu... Conheça as aventuras de Ruby Bloom em mais um sucesso do cinema: Radiante!"

    (Deus me livre e guarde!)

    ResponderExcluir
  2. Sabe que achei a mesma coisa que você? o Buttercup é o melhor personagem do livro kkkkk
    Fiquei tão irritada quando ela dizia os "nããão", ou os "hmmm", ou os "bem". Eu contei!! Deram 47 "bem" hahaha Fiz questão!

    Gostei da resenha rsrs
    Bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Daniela, tudo bem?!
      Que bom que não fui a única a ter essa impressão kkkkk Buttercup é fofo demais...gostei muito dele eheheh..e é o que disse na resenha, espero - sinceramente - que os outros volumes sejam realmente interessantes. Volte sempre que desejar.
      Bjins e inté (Mac Batista)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...