[GIBI REVIEW]: Fábulas - Lendas no Exílio, de Bill Willingham

Capa da edição nacional
por James Jean
Título: Fábulas - Lendas no Exílio
Autores: Bill Willingham (criação e roteiro), Lan Medina (desenhos), Steve Leialoha & Craig Hamilton (arte-final) e Sherilyn van Valkenburgh (cores)
Histórias em Quadrinhos (Fantasia) | 132 páginas | Panini Comics

Resumo bobo da história: QUEM MATOU ROSA VERMELHA? Essa é a única pergunta que se escuta na Cidade das Fábulas, onde as lendas dos contos de fadas vivem ao lado dos nova-iorquinos. Mas somente Bigby Lobo, também conhecido como Lobo Mau, é capaz de encontrar a resposta para o mistério. E, ao lado de Branca de Neve, os dois são as únicas pessoas capazes de impedir que a comunidade entre em colapso devido ao choque de tão bárbaro crime!

Trecho: - Você se divorciou do seu príncipe há séculos. Não faz ideia de como é difícil manter um casamento durante tanto tempo.
              - Oa, queida. Não há motivo pa levar po lado peshoal.
              - Não levar pro lado pessoal? Depois de ela criticar claramente nossa vida de casados?
              - Não fiz nada disso.
              - E quem é ela pra criticar a vida pessoal de qualquer um, depois do que eu soube sobre a tal aventurazinha tórrida com aqueles sete anões?
(Discussão entre Bela, Fera e Branca de Neve)


Resenha: Se ao lerem a sinopse desta história vocês acharem um tanto "familiar" demais, fiquem tranquilos porque não é erro da Matrix... Além de ter havido uma redescoberta dos contos de fadas por meio de fenômenos de vendas como Harry Potter e derivados ou seriados de TV como os recentes "Grimm" e "Once Upon a Time", o cinema tem investido bastante no gênero, através de releituras diversas.
Capa edição especial
da primeira história por James Jean

Porém, nas histórias em quadrinhos, desde o ano de 2002, uma premissa muito parecida com isso vem sendo explorada por Bill Willingham e a série mensal "Fábulas". Com um texto esperto e punch de seriado de TV (hmmm...), o autor nos conta, neste primeiro volume, que as criaturas descritas nos contos de fadas não só existem na vida real como também vivem entre nós há muito tempo. Algumas, de visual mais humanóide - ou as que puderam pagar por um feitiço que as deixassem assim - num condomínio de luxo em Nova York. Outras, com visual animalesco - ou fantástico demais -, numa grande fazenda. Isso, enquanto aguardam o dia para travarem a batalha final contra "O Adversário" (pelas descrições, é exatamente quem vocês estão pensando!), responsável por expulsá-los de sua terra natal.
Porém, logo no início da história deste encadernado, sabemos que a irmã de Branca de Neve - sim, ela sempre teve uma e existem contos relatando suas aventuras embora muitos desconheçam este fato - foi assassinada, em seu apartamento neste condomínio, com requintes de crueldade. E um dos queridos personagens dos contos de fadas foi o responsável... Isso é tudo o que precisamos saber para "devorar", literalmente, esta inspirada história com ares das intrincadas tramas de Agatha Christie. Mesmo. Com direito até mesmo a um recurso recorrente de seus textos e tudo o mais!
 
Bigby Lobo e Branca de Neve:
ao estilo Bishop e Dunham!
Personagens igualmente cativantes mas completamente diferentes do que estamos acostumados comparecem nesse volume como Bigby Lobo - antes conhecido como Lobo Mau agora é o agente da segurança do condomínio "O Bosque Apartamentos de Luxo" (mas que posa de detetive particular, conduzindo as investigações ao lado de Branca de Neve, assistente de administração ao lado do "prefeito" Rei Cole) -, João (aquele, do pé de feijão, que namorou Rosa Vermelha durante um tempo e é um dos principais suspeitos), o pirata Barba Azul (também suspeito por ter namorado Rosa recentemente), Príncipe Encantado (agora falido, já foi casado com Branca de Neve e Cinderella, mas agora sobrevive enganando moças inocentes com seu charme para descolar um troco qualquer), dentre outros.

Pinóquio revoltado (com razão!)
e Cinderella desquitada...
Nossa surpresa acontece justamente por ver isso ocorrer com personagens que nunca esperaríamos algo do gênero (preste atenção em Pinóquio!). E a investigação prossegue com todos os clichês do gênero, reviravoltas e um final talvez nem um pouco surpreendente para quem já está acostumado a ler romances policiais mas sinceramente divertido para iniciar a descoberta deste admirável mundo novo...

A arte de Lan Medina é correta, sem sobressaltos ou ousadias artísticas. Porém seu storytelling é preciso e capta as emoções de cada integrante da trama como se eles fossem atores e não rabiscos saídos de fugaz imaginação. Suas mulheres são lindas porém não exageradas e muito menos beldades.

Outra capa original,
com a Bela e a Fera
 Algumas possuem uma saliente "barriguinha" - ou "estômago alto", chamem como quiserem -, conferindo uma humanidade e uma autenticidade, tornando a leitura ainda mais interessante de se acompanhar.

As ilustrações de capa pintadas pelo artísta plástico James Jean são verdadeiras obras de arte. Mas cuidado: como elas estão posicionadas antes do início de cada capítulo, evite olhá-las antes de ler pois algumas - principalmente a última - contém spoilers sobre a trama.

Ao final da história, somos apresentados a um texto em prosa escrito e ilustrado pelo próprio Willingham contando um pouco do passado de Bigby Lobo quando ainda era apenas um lobo malvado que comia criancinhas e porcos humanóides. Em suma: procure em sua livraria ou gibiteria favorita. Vale a pena cada página e o preço nem é alto. Divirtam-se pois foi para isso que foram criadas as histórias em quadrinhos e os adultos também tem esse direito de vez em quando...
Kal J. Moon é um sapo aguardando o beijo de uma princesa para voltar a ser humano e ter seu feitiço quebrado. Ele espera que isso aconteça logo. O inverno está chegando...

Trilha sonora: "Love Shack", The B-52's

0 comentários :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...