[PROMO] "Escuridão Eterna - Turno da Noite em Quadrinhos"

Então, meus queridos #impressionautas estavam querendo uma promoção, né?

Olha só o que nossa editora parceira Novo Século está sorteando no Facebook: a versão em história em quadrinhos de "O Turno da Noite", escrito por André Vianco e ilustrado por Santtos.

Para concorrer, basta curtir a página da editora neste link aqui ó... Aproveitem e divulguem nas outras redes sociais em que vocês são cadastrados, ok?

Rock on, abração carioca, bjins e inté!
Equipe AIL

[PARCERIA] Editora Autores Associados


Boa tarde!!!

Hoje, trazemos para vocês uma ótima notícia: o A.I.L firmou parceria com a Editora Autores Associados!

Estamos muito felizes!!! E é lógico que não poderíamos deixar de compartilhar essa nova conquista com aqueles que estão sempre torcendo e acompanhando nosso querido blog! Que venham outras parcerias, pois estamos trabalhando, e muito, para isso.

Sobre a Editora

Autores Associados é uma empresa que está desde 1976 no mercado, produzindo e  comercializando livros relacionados à área educacionalTornou-se conhecida e, mais que isso, reconhecida por suas obras de educação educação física.
Em 2005, a Editora inovou sua linha editorial com a criação do selo Armazém do Ipê. Espaço que abarca as mais diversas áreas culturais. Além disso, investiu no selo de livros infantis, o Ciranda de Letras, e na criação de leiautes diferentes, com figuras ilustrativas, coloridas, entre outras mudanças significativas para a produção de livros.
O objetivo da Editora é trabalhar para o progresso social e essa preocupação é inerente ao processo de avaliação dos originais que passam pelo Conselho Editorial, composto porBernardete A. GattiCarlos Roberto Jamil Cury,Dermeval SavianiGilberta JannuzziMaria Aparecida MottaWalter Garcia e Flávio Baldy dos Reis, que assume o cargo de diretor executivo.
Como o próprio nome diz, a Editora Autores Associados valoriza muito o trabalho do autor (afinal, ele inicia toda a produção) e quer que você se torne um “autor associado”. Por esse motivo, antecipamos suas preocupações e investimos constantemente nas formas de distribuição, divulgação e aperfeiçoamento da obra.
Se você possui um original versando o tema educacional, ele pode fazer parte das seguintes coleções: Educação contemporâneaPolêmicas do nosso tempoMemória da educaçãoFormação de professores.
Caso seu trabalho não seja dessa área, ainda temos a coleçãoLinguagens e Sociedade ou mesmo o selo Armazém do Ipê que, como descrito anteriormente, comporta estudos sobre vários temas.
Em relação aos livros de ficção, a Editora, por enquanto, só edita os infantis, pois se enquadram em nosso selo Ciranda de Letras.
Aos autores de nossa Editora é possível a escolha de como receber os direitos autorais, uma das opções é por meio de livros, não só os do próprio autor, mas qualquer livro de nosso catálogo que já possui mais de 300 obras.
Em breve também disponibilizaremos o kit do autor na Internet, para acessar um espaço exclusivo.



Mais uma vez, agradecemos a confiança e credibilidade que a Editora Autores Associados está depositando no Apenas Impressões Literárias.  

Rock on, abração carioca, bjins e inté...! 
Equipe A.I.L 

[RESENHA] "O Dossiê Pelicano" de John Grisham

Sinopse: Dois ministros da Suprema Corte dos Estados Unidos são assassinados, um homossexual e o outro ranzinza, odiado por muitos e conhecido pelas suas ideias e pareceres dissonantes da opinião geral. Todavia, não há pistas de quem foi o autor e/ou mandante desse crime. Nem mesmo o FBI, a CIA ou outra Agência de Inteligência conseguem descobrir a motivação desses homicídios. É nesse momento que Darby Shaw, uma charmosa e inteligente estudante de Direito de Nova Orleans, pesquisa minuciosamente os muitos pareceres e processos da Suprema Corte, preparando um dossiê contendo as suas opiniões e estudos sobre os autores e as motivações desses crimes. Ela chega a uma surpreendente conclusão e, nas mãos erradas, as informações daquele documento significariam uma revolta na política do país. Assim, quando Darby vê que a sua vida corre perigo e tem apenas ao seu lado Gray Grantham, um jornalista, que passa a ajudá-la a tentar solucionar e tornar públicos os esquemas de corrupção e poder por completo.

Resenha: Para os amantes do gênero, quando o nome John Grisham é citado, logo ficamos à espera de uma narrativa eletrizante, cheia de suspenses, reviravoltas e a justiça sendo feita como realmente deveria ser. Vimos isso em "Tempo de Matar", já resenhado neste blog. E, de antemão, já digo que "O Dossiê Pelicano" segue a mesma linha. O que difere um romance do outro, neste caso, é que no livro-tema de hoje os eventos envolvem pessoas do alto escalão do Poder Judiciário... E não simples civis. 


"É coisa de peixe grande... É briga de peixe grande"


Em "O Dossiê Pelicano", John Grisham nos apresenta o emaranhado de conspiração política que envolve o assassinato de dois Juízes. O primeiro - Abraham Rosenberg - é uma lenda viva no Supremo Tribunal. Sua postura no ofício o torna o homem mais odiado dos EUA. E, sem um motivo muito claro, ele é assassinado em sua casa, com três tiros na cabeça. Dando um giro na narrativa, o leitor se depara em um outro cenário: um clube gay. Nele está um homem assistindo um filme pornô - Glenn Jansen - o segundo juiz. Este é sumariamente executado por estrangulamento. 


O país não sabe o que está acontecendo...

Além de serem juízes da Suprema Corte e terem sido assassinados de forma cruel, sem chances de defesa, o que os dois têm em comum? O Presidente quer saber se há alguma operação ou grupo ligo ao caso. O FBI e a CIA não querem dar ou não têm as respostas.


Julia Roberts como Darby Shaw
E é em meio a este cenário que surge Darby Shaw, uma brilhante e entusiástica estudante de Direito de Tulane. Ela é aluna e amante do professor de Direito Constitucional, Thomas Callaham, que é um seguidor das idéias do Juiz Rosenberg. Ao saber dos assassinatos, Shaw inicia uma investigação por conta própria. E ela descobre, então, uma ligação entre os dois juízes mortos e um suspeito, que ela mesma não acredita muito que possa ser o verdadeiro culpado por tais crimes. Ela descobre também que os dois homens foram indicados pelo Presidente da República e que eles deveriam compartilhar de algum ideal. Mas sem muitas respostas concretas, Shaw guarda toda sua pesquisa (provas) numa pasta, dando a estes documentos o nome de Dossiê Pelicano.

Darby entrega esse dossiê ao seu amante que tem a intenção de escrever um livro sobre Rosenberg que foi a grande inspiração de sua vida. Este entrega o dossiê a um outro amigo e o documento acaba parando em mãos de pessoas que dão importância às conclusões de Darby. Dá-se, então, início a uma perseguição sofisticada que tem como objetivo eliminar Darby da face da Terra e, junto com ela, toda e qualquer tipo de prova. E Darby percebe isso quando seu namorado é morto por uma bomba que tinha sido colocada no carro dela.
 

A caçada foi declarada ... E Darby Shaw precisa de ajuda!


Darby Shaw e Gray Grantham (Denzel Washington)
Mais uma vez, a narrativa dá um giro e nos é apresentado Gray Grantham, um típico repórter ético que leva sua profissão à sério.  O mesmo trabalha no Washington Post e publica uma matéria em que expõe seu interesse pelos assassinatos simultâneos, e isto atrai a atenção de Darby e também dos mandantes dos crimes. Shaw procura o repórter e o convence de que o posicionamento do Governo em relação às mortes dos juízes é a maior farsa legal desde Watergate. Juntos, eles precisam desaparecer para se manterem vivos, enquanto buscam a verdade em torno do Dossiê Pelicano.

Esse, com certeza, é mais um thriller de John Grisham que deixa o leitor sem fôlego e com aquela vontade de não parar de ler até a última página. Sendo assim, para aqueles que curtem o gênero, deixo mais uma recomendação de leitura.

Adaptação para o cinema

O filme com o mesmo título do livro, foi lançado em 1993 dirigido por Alan J. Pakulacontou no elenco com:

Julia Roberts (Darby Shaw), Denzel Washington (Gary Grantham), Sam Shepard (Thomas Callahan), John Heard 
(Gavin Verheek), Tony Goldwyn (Fletcher Coal), James Sikking (Denton Voyles), William Atherton (Bob Gminski), Robert Culp (presidente), Stanley Tucci (Khamel), Hume Cronyn (Justice Rosenberg), John Lithgow (Smith Keen), Anthony Heald (Marty Velmano), Nicholas Woodeson (Stump), Stanley Anderson (Edwin Sneller) 

O filme é espetacular! Os eventos ocorrem de forma que fique tudo bem amarrado. Nenhum detalhe foge aos olhos do telespectador. Os fatos são apresentados de forma fácil de serem compreendidos - ao contrário do livro que a todo momento conta com a dedução do leitor. O filme teve como roteirista o próprio autor. Portanto, vale a pena conferir também!!!

Bjins e inté (Mac Batista)

Trailer do Filme




==============>
John Ray Grisham Jr. (Jonesboro, Arkansas, 8 de fevereiro de 1955) é um escritor estadunidense. É o sexto escritor mais lido nos Estados Unidos da América, segundo a Publishers Weekly. É ex-político e advogado aposentado. Escrevia nas horas em que o seu trabalho lhe permitia e logo publicou seu primeiro livro, Tempo de Matar, em 1989. Seus livros giram sempre em torno de questões de advocacia e, geralmente, criticam nuances do sistema judiciário americano e das grandes firmas de direito.  Em 2006 figurou na Top 100 Celebrites da revista Forbes. Vive com sua esposa, Renée e suas duas crianças Ty e Shea. É o sexto escritor com mais livros vendidos na década de 2000, segundo a Nielsen BookScan. (Fonte:Wikipedia.org) <==============

[RESENHA] "A Última Legião" de Valerio Massimo Manfredi


Sinopse: Depois do grande sucesso da série Aléxandros, trilogia sobre Alexandre, o Grande, que está sendo adaptada para o cinema pelo cineasta Baz Luhrmann (do filme Moulin Rouge), o escritor italiano Valerio Massimo Manfredi lança agora um novo romance histórico: A última legião. Desta vez, a trama tem como pano de fundo os últimos dias do Império Romano.  Todo mundo conhece a lenda de Rei Arthur, mas ninguém sabe como tudo começou. Numa batalha devastadora, o antigo Império Romano é destruí­do por rebeldes e o único sobrevivente da dinastia de César é o pequeno Romulus, um garoto de 12 anos, que é capturado e exilado num verdadeira fortaleza. Lá, guiado pelo mago Ambrosinus, ele encontra uma misteriosa espada, que segundo a lenda dará força e poder í  pessoa que empunhá-la. Agora ele poderá retomar seu Império e, com a ajuda da íšltima Legião, reconquistar a tão sonhada liberdade de seu povo.

Resenha: Para aqueles que acompanham o A.I.L - desde sempre - sabem que eu gosto de fazer paralelos de fatos entre filmes e livros (quando isso acontece). É praticamente impossível não comparar a fidelidade dos fatos entre original e adaptação.  Com "A Última Legião" fiz o caminho inverso: vi o filme primeiro e li o livro depois (rssss)... Coisas da vida, fazer o que,né?! (rsss). O importante aqui é ressaltar que, tirando um fato aqui e outro acolá, o filme foi bastante fiel ao livro. E fiquei feliz com esta constatação.


Sendo assim, vamos ao que interessa porque sei que vocês querem mesmo é saber do que se trata este livro. Bem, em "A Última Legião" o leitor é apresentado a um cenário de decadência da Roma antiga, mas que ainda tem espaço e possui elementos que servem como embasamento para uma trama ser bem desenvolvida não deixando de fora o heroísmo, o amor e a esperança.

Voltamos no tempo, então, viajando até Roma de 476 a.C ... Século V.

O Imperador do Ocidente é Rômulo Augustus, um menino de apenas 13 anos que vive a vida de qualquer menino da sua idade e status social. No entanto, sua vida é sacudida e virada do avesso quando, por ordem do general germânico Odoacro, o tenente bárbaro Wulfila mata seus pais e o aprisiona.

E é obvio que a vida dele é poupada por questões políticas. Afinal, os bárbaros que já dominavam - neste período da História - uma boa parte do império, não queriam despertar a desconfiança do governo de Constantinopla. Menos ainda, a ira do povo e da Igreja. Mantido com prisioneiro na ilha de Capri, Rômulo tem como companheiro Ambrosinus, que também é conhecido como Ambrosine. Este desempenha o papel de mestre e protetor.

“Salva meu filho, salva o Imperador. Se ele morrer, Roma morre. E se Roma morrer... Tudo estará perdido!”.

O que Rômulo não sabe é que antes de morrer, seu pai (Orestes) pede ao seu homem  de confiança (Aurélio) que proteja o "herdeiro do trono". E são as palavras de Orestes que impulsionam Aureliano Ambrósio Ventídio, ou simplesmente Aurélio, líder guerreiro da legião Nova Invicta, a lutar por pela liberdade de Rômulo. 

E é neste ponto que o leitor começa a entender o significado do título do livro.

A Nova Invicta é a apresentada como a “última” das legiões que – em um passado glorioso do Império Romano – foi criada para defender este império, assegurando assim, a vida do soberano. Aurélio é um autêntico guerreiro romano e mantém-se fiel ao seu juramento feito à Orestes. Sua busca pelo futuro imperador de Roma é impulsionada pelo código de honra dos guerreiros romanos e pelo fato de sempre ter considerado Rômulo o verdadeiro César.

Apesar de ser uma missão ambiciosa, esta, torna-se quase impossível. Aurélio, a princípio, conta somente com a ajuda de Lívia Prisca, uma guerreira destemida por quem ele se apaixona. Mas antes de iniciar a busca pelo futuro imperador, ele precisa libertar os sobreviventes da Nova Invicta que foram escravizados por Odoacro. E este feito se revela ardoroso, penoso. Depois de um estratagema bem sucedido, a “Última Legião” ressurge.

“CAI IVL... CAES ENSIS CALIBVRNVS... Antes de Arthur, existiu Excalibur”.

Em contrapartida, a narrativa mostra um Rômulo conformado com o próprio destino. Não podemos esquecer que ele é novo demais, inexperiente demais. Mas essa perspectiva muda no dia em que ele encontra - em uma câmara secreta - a mítica espada perdida de Júlio César – a mesma que venceu Germanos, Galos, Sírios, Egípcios, Iberos e Numídios no passado. Nasce então uma sede de vingança, justiça e conquista por aquilo que lhe era de direito e que fora usurpado.

Dá-se início a uma lenda.

Vale ressaltar que “A Última Legião” personifica a reconstrução impressionante da Roma antiga. A rica descrição das batalhas, das cidades históricas, dos costumes e das tradições dá, ao leitor, a impressão de está ao lado de Aurélio, em sua cruzada, através do Império Romano. As profecias e lendas, tão populares na época, ganham vidas. Os personagens são apaixonantes e únicos. E como se não bastasse toda essa gama de fatos, detalhes e constatações, o desfecho do livro é surpreendente!

E vocês querem saber o por quê?!

Bem terão que ler o livro ou, se preferirem, assistir ao filme (rsss). Uma coisa eu posso garantir: vocês serão apresentados a uma das maiores lendas da história da humanidade! Contada e recontada por diversos pontos de vistas e perspectivas. 

Para muitos pode ser só mais uma história, em meio a muitas. 

'Pra' mim é a História! 

Portanto, recomendo a leitura e, se puderem, assistam ao filme também!

Bjins e inté (Mac Batista)

Adaptação para o cinema



O filme com o mesmo título do livro, foi lançado em 2007 e contou no elenco com: Colin Firth (Aurelius), Ben Kingsley (Ambrosinus / Merlin), Aishwarya Rai (Mira "Lívia"), Peter Mullan (Odoacer), Kevin McKidd (Wulfila), John Hannah (Nestor), Iain Glen (Orestes), Thomas Sangster (Romulus Augustus), Rupert Friend (Demetrius), Nonso Anozie (Batiatus), Owen Teale (Vatrenus), Alexander Siddig (Theodorus Andronikus), Robert Pugh (Kustennin), James Cosmo (Hrothgar).


As diferenças entre filme e romance é bem perceptível.Tanto que em seus créditos, podemos ver um aviso que diz que o filme é baseado "em partes" no livro (original).


No romance, Aurélio (vulgo Ambrosius Aurelinus Ventidius) é um oficial de baixa patente.  A Nova Invicta , é destruída muito cedo e só sobram três legionários (Aurélio, Vatrenus e Batiatus), uma mulher guerreira, chamada Lívia Prisca e dois gladiadores gregos (Demétrio e Orósio). 

No filme, Lívia é indiana e ganha o nome de Mira, Demétrio e Orósio são legionários. Demétrio continua sendo um personagem importante de apoio, enquanto Orósio se torna um personagem secundário na trama.



Trailer do filme


[AILNEWS] Adaptação de "Os Instrumentos Mortais" já tem data de estreia nos cinemas!!!

Site Oficial do Filme
Bom dia, queridos leitores!!!
Como já tinha sido anunciado aqui, a série "Os Instrumentos Mortais" será adaptada para o cinema.
Hoje, trazemos para vocês a notícia de que a adaptação do primeiro livro da série já tem data prevista para entrar em cartaz! 
Isso mesmo! O filme estreia no dia 23 de agosto de 2013! Portanto, comecem a contagem regressiva pois esse filme tem tudo para ser um grande sucesso. Esperamos que a adaptação faça jus ao livro!!!
Para mais informações sobre o filme e elenco, acessem o site oficial AQUI.
Rock on, abração carioca, bjins e inté...
Equipe A.I.L

[RESENHA] O Coletor de Almas, de Douglas MCT


Capa por Danilo Beyruth
 Título: O Coletor de Almas - As Viagens da Peregrina do Tempo e da Terra
Autor: Douglas MCT
Literatura Fantástica ("Dark Fantasy") Formato: 14 x 21 (brochura) |
146 páginas | Editora Gutenberg | 2012

Site oficial

Sinopse: Terra Oca é um mundo fantástico onde habitam personagens emprestados de contos nórdicos e etruscos mas desenvolvidos sob uma ótica particular e ambientados num cenário próprio, apocalíptico e épico, com bizarrias únicas. "O Coletor de Almas" conta paralelamente a história de três personagens a caminho de um sinistro desenlace: o fim do mundo. Larval tem a primordial função de manter o equilíbrio do mundo, alimentando Yggdrasil, a Árvore-Mãe, com a energia espectral das almas que coleta. Lisa é uma menina bruxa que conta com a ajuda de três grandes amigos para cumprir sua missão. Já o Ceifador é uma entidade sombria que vem, misteriosamente, colecionando cabeças de reis. Nem mesmo o encontro desses três personagens poderá ser capaz de impedir o trágico desfecho. Descubra um novo mundo, cheio de fantasia e elementos mágicos, com personagens que orbitam em redor da Árvore-Mãe, cada qual com seu propósito. E confira como esse mundo acaba: a graça está justamente em adivinhar quem sobrevive no final.

Trecho:
- Tu sabes que nada mais será como antes, não é? - perguntou, como se não a tivesse ouvido
- Sinto que sim. Não sei até onde isso é bom.
- Mudança é diferente de evolução. Mas ambas são necessárias, não sabemos se são boas ou más. O problema é o fim.


Resenha: Tudo tem rótulo hoje em dia. É necessário. Especialistas em determinados assuntos precisam disso para estarem acima de nós, meros mortais. E, por isso mesmo, temos os assim chamados "gêneros literários". E, atualmente, eles se subdividem tal qual "gremlins" em dia de temporal.

Confesso que estranhei quando ouvi falar em "dark fantasy". Não vinha à minha mente ideia alguma do que poderia ser e como poderia existir um gênero assim. Mas foi só pesquisar um pouco e descobrir que muito da literatura mundial, da cultura pop e, pasmem, do folclore havia algum expoente desse "novo" gênero literário. Mas se você já leu H. P. Lovecraft, Robert E. Howard, alguma história em quadrinhos do personagem Hellboy (criação de Mike Mignola, que chegou a virar filme e desenho animado) ou mesmo algum episódio dos seriados Além da Imaginação, Arquivo X, Fringe ou animes como Yuyu Hakushô, HellSing ou Death Note sabe o que é "dark fantasy", em maior ou menor intensidade...

Tenho de dizer que este foi um dos livros mais difíceis que já li. Principalmente por conta da narrativa construída sob o esquema de trama principal com muitos subenredos. Vários personagens, cada um com sua função já determinada, tal qual um ato de Shakespeare - não estou comparando o autor com o bardo inglês mas sim seu recurso literário, ok? -, em que tudo parece ser milimetricamente arquitetado com o intuito de encaixar-se no final. E a iminente sensação de que o fim está próximo. E ele vem mesmo, trazendo a costumeira destruição e fazendo-nos lamentar por termos de presenciar ao que já sabíamos que ia ocorrer desde o começo.

No texto da orelha deste livro diz que "a linguagem dos quadrinhos também tem influência sobre esta obra" e a afirmativa é correta. Senti-me lendo mesmo uma história em quadrinhos. Quer dizer, minto. Senti-me lendo um roteiro de um desenho animado japonês, vendo a movimentação de cada personagem, seus gestuais, a compleição de seus corpos durante as lutas - sim, muitas delas! - enquanto a história se desenvolvia sem pressa alguma - para depois começar a ser costurada cuidadosamente até seu desfecho.

Embora a trama de "O Coletor de Almas" tenha vários personagens carismáticos - e eu não saberia classificá-los entre "heróis" ou "vilões" pois acredito que todos eles são mais como "antagonistas" do que qualquer outra coisa - como o coletor de almas Larval e seu companheiro Bog, a capitã Freya, o cristo distorcido Yeshu (ótima sacada!) ou mesmo sua aprendiz Miliz, uma criança vampira, acabei apegando-me a Lisa, a criança bruxa. Até porque grande parte da trama é movida por sua presença - ou ausência.

E mesmo que a história revisite parte da cultura nórdica ou etrusca, sinto uma "brasilidade" muito forte no texto e em alguns personagens, embora imagino que isso tenha sido orgânico e nada intencional...

O projeto gráfico da obra é impecável e merece os elogios. Desde a escolha do papel Pólen Bold 90g, de tom um tanto amarelado - dando-nos a impressão de que encontramos um caderno de manuscritos há muito esquecido - até as fontes utilizadas nos títulos dos capítulos, agregando valor ao que geralmente é tratado como simples produto. Outro destaque é a belíssima ilustração de capa e contracapa, de autoria do quadrinhista Danilo Beyruth (Necronauta).

O único porém da edição - mas que não é nenhum demérito e que isso fique bem claro -, a meu ver, é que eu gostaria que houvessem ilustrações das cenas mais importantes entre alguns capítulos, no melhor estilo da saudosa "Coleção Vagalume" (lembro-me com carinho das ilustrações de Jayme Leão nos livros de autoria do grande Marcos Rey e me ajudavam a visualizar aquilo que eu não havia entendido na leitura num primeiro momento). Digo isto visando criar um atrativo a uma grande parte do público que tem desistido substancialmente, a cada dia, da literatura em si: a faixa etária de 13 aos 17 anos. Como o livro pode ganhar outras tiragens, fica a dica...

Leia sem medo. Ou melhor, leia e sinta apreensão, nojo e muito, muito medo. Mas garanto que não será nenhum fim do mundo.

Kal J. Moon não sobreviveria muito tempo na Terra Oca. Possivelmente seria um bardo azarado, um esquilo consertador ou o cavalo do rei chamado "Pé-de-Pano"...

Assista aqui ao Book Trailer de "O Coletor de Almas"

Sobre o autor

  
 
Douglas MCT
Douglas MCT
nasceu em 1983 na cidade de Socorro (interior de São Paulo) e atualmente reside na capital. Cursou Criação e Produção Audiovisual, trabalhou por uma década como designer gráfico e no momento atua como redator e roteirista de games, histórias em quadrinhos, desenhos animados, filmes e seriados. Suas primeiras histórias foram premiadas com o Mapa Cultural Paulista em 2001 e 2003. Foi roteirista nas HQs da Turma da Mônica e nas animações da Galera Animal. Também é autor da série fantástica Necrópolis, que foi relançada recentemente durante a Bienal do Livro de São Paulo 2012.

[AILNEWS] O A.I.L está participando do Book Tour "Cordeluna" de Elia Barceló


Boa dia, queridos leitores!!!


O A.I.L está participando de mais um Book Tour, organizado pelo blog: Bookaholic

Desta vez, é sobre o livro "Cordeluna", de Elia Barceló.

Sinopse: Mil anos atrás, uma história de amor foi interrompida pela desgraça e uma maldição. Um poder tão maligno que tinha conseguido dominar seus espíritos geração após geração. E enquanto isso, os apaixonados esperam... condenados a se reencontrar e voltar a se perder por culpa do ciúme e do ódio. O cavaleiro e a dama. O guerreiro e a donzela. Até que talvez um dia, talvez em nossa época, séculos depois, um poder superior e benigno consiga pôr um fim ao malefício. Apaixonante novela que combina história e fantasia, amor e maldade, bruxaria e religião, criada pela escritora Élia Barceló, conhecida como a “Dama Negra” da literatura espanhola, ganhadora em duas oportunidades do Prêmio Edebé de Romance Juvenil. A história se passa na Idade Média e é muito bem retratada no livro, que destaca costumes e valores da época. As sangrentas guerras entre muçulmanos e cristãos pela expansão e posse de seus domínios. No posfácio, a editora explica os diferentes períodos da História e descreve a fascinante personalidade de El Cid.

Para aqueles que quiserem saber um pouco mais sobre o livro, cliquem aqui.

Estamos felizes pela confiança depositada em nosso blog e ansiosos para começarmos a leitura.

Rock on, abração carioca, bjins e inté...
Equipe A.I.L

[5 PERGUNTAS] AIL entrevista Marcelo Cassaro & Erica Horita [ATUALIZADO]

Arte da capa da 1ª edição
por Erica Horita
Um roteirista. Uma desenhista. Um universo de aventuras e magia. Um outro país. E nada mais será o mesmo. Sim, estamos falando de Marcelo Cassaro, eterno criador da saga Holy Avenger, e de Erica Horita, criadora de Ethora. Eles tiraram um tostão de seu tempo para ter uma conversa rápida com nosso blog e contar sobre a carreira, "crowndfunding" - muito em voga atualmente - e sua mais nova empreitada em mangá: "Hero Party" (revista que será lançada em outubro nos EUA).

Cinco perguntas e um objetivo: tudo ao mesmo tempo agora! Sente-se, tome um suco de manga (sacaram?) e aproveitem a estadia... Hey, ho, let's go!!!

Para saber mais sobre o projeto, clique aqui no site oficial.
Para colaborar, clique aqui.


[ATUALIZAÇÃO] O autor Marcelo Cassaro informou via Twitter que a  iniciativa crowdfunding de "Hero Party" alcançou o valor estipulado e ultrapassou-o! E conforme anunciado nas regras: "Caso as doações excedam a meta original, esse orçamento será destinado a futuras edições de Hero Party, ao pagamento pelo trabalho dos artistas, e despesas adicionais. Além disso, se a meta original for ultrapassada em $7,000 ou mais, haverá uma edição de luxo com capa dura e extras para doadores que contribuíram com $100 ou mais". Como faltam ainda 19 dias para o término do prazo, as colaborações ainda podem ser realizadas no link acima, ok?
[FIM DA ATUALIZAÇÃO]

1) Quando vocês decidiram encarar o desenho e a arte de contar histórias através de quadros, balões e expressões como profissão?
Erica Horita: Sempre gostei de desenhar, desde pequena! Mas o desejo de desenhar quadrinhos veio quando eu comecei a ler mangás antigos de minha mãe e mais tarde depois de conhecer artistas nacionais, tais como Erica Awano, Gislene Mayumi, Daniel HDR, Marcelo Cassaro, entre outros. Eles me inspiraram e me ajudaram muito!

Página já finalizada
(arte de Erica Horita)
Marcelo Cassaro: Desde muito cedo, eu lia quadrinhos. Primeiro, Turma da Mônica e Disney, mais tarde super-heróis, até aprender inglês e começar a ler mangás publicados nos EUA. Lembrando agora, é estranho, mas acho que nunca pensei em fazer outra coisa - desenhar quadrinhos parecia natural. Nenhuma outra carreira nunca me passou pela cabeça. Claro que acabei me envolvendo com trabalhos parecidos, como redação e animação, mas quadrinhos sempre foi o que eu mais quis fazer.
2) Por que aderir, nesse momento, ao "crowdfunding"?
Cassaro: Foi ideia da Horita, pergunte a ela, heh! Mas comecei a acompanhar alguns projetos e estou impressionado com os resultados. Valia a pena tentar.

Horita: Este é um projeto independente. O 'crowdfunding' é uma maneira rápida e simples para arrecadar fundos para impressão e outros gastos. Ótimo também para divulgar seu projeto à comunidade.


3) Acredita que este "movimento" seja o futuro bem presente da auto-publicação no Brasil e no mundo?

Horita: Eu acredito que sim. É uma opção para quem está pensando em publicar independentemente e não possui fundos para o projeto. Espero que esse movimento cresça e dê oportunidade para mais artistas.

Cassaro: Ainda entendo pouco do assunto. Mas parece uma forma a excelente de levar projetos diretamente às pessoas que gostariam de vê-los realizados, sem interferência ou mediação da indústria.
Página já finalizada
(arte de Erica Horita)
4) Podem nos contar um pouco sobre a história e os personagens de 'Hero Party'?

Horita: 'Hero Party' é uma história de fantasia estilo RPG criada pelo Marcelo Cassaro, que já tem muita experiência no ramo!  A idéia é ter uma história simples e divertida que possa ser lida por pessoas de qualquer idade. Acredito que o Marcelo possa contar um pouco mais sobre a história e os personagens!

Cassaro: É uma brincadeira com os arquétipos básicos dos grupos de RPG, tanto de mesa quanto online. No jogo, um grupo de heróis sem uma composição equilibrada desses tipos fica em desvantagem. Então, no mundo de Hero Party, essa formação foi transformada em lei: as entradas conhecidas das masmorras são lacradas e vigiadas, e apenas equipes certificadas pela coroa podem entrar. Para ser certificado — ou seja, ser um 'Hero Party' —, um grupo precisa ter membros em todos os papéis principais: Defender, Healer, Striker e Wizard.



5) Por que direcionar este produto específico pro exterior ao invés do Brasil? Tem algum motivo específico?

Horita: Eu moro atualmente nos EUA e a intenção é de lançar o quadrinho durante o NYCC (New York Comic Con) em outubro deste ano. Estaremos enviando uma versão PDF em português para todos os doadores do Brasil e quem sabe, futuramente, lançar um encadernado no Brasil. :)

Cassaro: Para atingir um maior número de leitores, claro. E também por ser algo inédito, sem ligação com Tormenta e outros trabalhos nossos publicados aqui. Mas a história terá versão em português também...


Na ordem: um gigante, Binder, Brigandine, Faye e uma gênio

Marcelo Cassaro
Sobre os autores

Marcelo Cassaro
começou sua carreira em 1985 como assistente de animação. Em 1989, trabalhou na Editora Abril Jovem como roteirista e desenhista em diversos títulos de histórias em quadrinhos. Foi roteirista e editor da lendária revista Holy Avenger, série de fantasia em quadrinhos publicada por 40 números (e alguns especiais ambientados no mesmo universo), a mais longeva até hoje no mercado nacional e que existe um projeto de adaptação para animação com os personagens da saga. Também trabalhou em Victory, o primeiro título criado no Brasil e publicado nos Estados Unidos. Criou também o cenário de campanha RPG medieval-fantástico 'Tormenta'. Recentemente, escreve roteiros de Turma da Mônica Jovem (publicado no Brasil pela Editora Panini).


Erica Horita




Erica Horita
começou
desenhando e distribuindo suas próprias histórias em quadrinhos em convenções por todo o Brasil, ganhando muitos prêmios tanto locais quanto nacionais. Estudou Design Gráfico e abriu sua própria editora, publicando e distribuindo Ethora, uma série em estilo mangá que durou 08 edições. Ela também trabalhou como artista freelancer em várias editoras internacionais. Horita também fez muitas ilustrações baseadas em 'Tormenta'.


[AILNEWS] Primeiro livro da franquia Assassin's Creed - "A Cruzada Secreta" - já está a venda no Brasil

imagem
por Geinrendour, fonte GameVicio, em 31 Jul. 2012

Com o sucesso espantoso de vendas de "Renascença" e "Irmandade", segundo e terceiro livros da franquia Assassin's Creed, a Ubisoft, em parceria com a Editora Record, também lança no país o primeiríssimo livro da marca.

"A Cruzada Secreta" acompanha a história do primeiro jogo da franquia, assim como o seu primeiro protagonista, Altair. O livro pode ser encontrado por preços que variam de R$25 a R$30 e você já pode adquiri-lo em diversas livrarias pelo Brasil. 


Os livros da franquia já venderam mais de duzentas mil cópias pelo território, além de manterem-se por diversas semanas nas listas dos livros mais vendidos do país e terem encabeçado o primeiro lugar por várias vezes nas categorias de "ficção". 
 
imagem
A Ubisoft liberou o primeiro capítulo para os que desejam ler uma prévia da obra. Você pode lê-la clicando aqui. 

Da Redação

por Geinrendour 
Indicado por Mac Batista & André Quirino

[LANÇAMENTOS & NOVIDADES #34] Editora Novo Século

FEBRE DE SANGUE (BLOODFEVER) - SÉRIE DARKFEVER   KAREN MARIE MONING

DURANTE SÉCULOS O REINO SOMBRIO DOS FAE COEXISTE COM O DOS HUMANOS. AGORA A BARREIRA ENTRE OS DOIS ESTÁ CAINDO, E MAC É A ÚNICA “COISA” ENTRE ELES. A vida comum de MacKayla Lane passou por uma transformação completa quando ela aterrissou na Irlanda e foi arrastada para um terrível mundo de feitiçaria e segredos ancestrais. Em sua luta para continuar viva, Mac precisa encontrar o Sinsar Dubh – um livro de um milhão de anos, contendo a magia mais negra imaginável, a chave para o controle total dos mundos dos Fae e dos Homens. Perseguida por Fae assassinos e cercada por figuras misteriosas nas quais ela sabe que não pode confiar, Mac encontra-se dividida entre dois pretendentes letais e irresistíveis: V’Lane, um Fae insaciável que pode transformar a excitação sexual de qualquer mulher em uma obsessão, e o sempre inescrutável Jericho Barrons, um homem tão sedutor quanto misterioso.




AMEAÇA CONTINUA, A - CAÇADORES DE ZUMBIS 2    JOHN KLOEPFER


CÉÉÉREBROS! Zack, seu melhor amigo Clarke, Rice e a rainha do ensino médio Madison Miller sobreviveram à noite dos mortos-vivos... Mas o pesadelo está longe de acabar! A irmã de Clark foi transformada em zumbi, e seus pais talvez estejam perdidos para sempre. Rice descobriu a fonte da epidemia, e carrega consigo as valiosas amostras mortais. Madison, maníaca por uma bebida natureba de ginko-biloba, pode ser a chave para a descoberta da cura zumbi. Ozzie, o mais novo caçador de zumbis, é um mestre no nunchaku e na arte de derrotar todo tipo de monstros, e está sempre pronto para arrebentar com qualquer morto-vivo que apareça pela frente! O país inteiro – de seus pais ao presidente – conta com eles. Os caçadores de zumbis serão capazes de salvar a nação dos nojentos e desmiolados comedores de cérebro?



SIMPLESMENTE MORTO   PETER JAMES

Michael Harrison tinha tudo: boa aparência, charme, espírito de liderança, ótimo senso de humor e agora também Ashley, sua noiva. Mas depois de uma festa com um grupo de amigos, algumas noites antes de seu casamento, Michael se vê preso em um caixão. Com ele, nada além de uma lanterna, uma revista velha, um walkie-talkie e um canudo para respirar. Tudo deveria ser apenas brincadeira – Michael estava levando o troco pelas pegadinhas que sempre fizera com seus amigos –, pelo menos até eles morrerem bêbados em um acidente de carro, alguns momentos após deixarem Michael completamente sozinho e enterrado vivo. O detetive-superintendente Grace – ele próprio lidando com a dor de perder sua mulher – é conduzido ao caso quando Ashley reporta o desaparecimento de Michael. Suspeitas são levantadas quando o único amigo de Michael que não estava presente na despedida de solteiro se recusa a cooperar, e a fidelidade de Ashley – sem mencionar seu misterioso passado – é algo que o detetive deve agora responder. “O melhor thriller de Peter James... Fascinante... Intenso... Um quebra-cabeça complexo, de roer as unhas.” The Times.


SEREIAS – O SEGREDO DAS ÁGUAS   MIRELLA FERRAZ

“Então fiquem em silêncio e apurem seus ouvidos, pois podem ser agraciados com um canto vindo das ondas... por um canto de sereia...” Neste romance encantador, urdido a sal e água, é narrada a emocionante história de Coral, uma garota de aparência exótica, que nasceu envolta em mistérios sobrenaturais e com um estranho fascínio pela água. Poderá ela, com a ajuda do apaixonado Marcelo, desvendar todos os enigmas que cercam a sua vida? Conseguirá sua mãe, Marina, afastá-la de um destino que, para ela, parece apavorante, mas que constantemente se revela inexorável? Qual preço você estaria disposto a pagar para ajudar seu grande amor? Com uma narrativa dinâmica e empolgante, o leitor viajará pelo mundo de uma das mais fascinantes figuras lendárias, e presentes, de todos os tempos: a sereia. E verá que, muitas vezes, as lendas são mais reais  e estão bem mais próximas de nós  do que imaginamos. Venha desvendar o que se esconde nos mares...





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...