OpinAIL #02: Um Passeio pelo Mundo Bizarro do Nicholas Sparks


Guerra, amores de verão, abandonos, velhos doentes e os malditos pianos!

Um belo dia, comprei para minha mulher um livro chamado “Querido John”. O autor era um camarada do qual eu nunca tinha ouvido falar mas, como precisava comprar um romance, fui à prateleira do gênero e saquei o livro que tinha a maior e mais badalada propaganda dentre todas as opções.

Bem, a patroa adorou o livro e, pouco tempo depois, num aniversário ou coisa que o valha, pediu outro livro do tal Nicholas Sparks. Noutra oportunidade, pediu outro, depois outro... Até que o autor, em pouquíssimo tempo, passou de um ilustre desconhecido - ao menos para mim - a um dos autores que mais ocupam as prateleiras da nossa biblioteca pessoal. Só perde mesmo, por enquanto, para C. S. Lewis e J. R. R. Tolkien, autor este que reina absoluto pois são mais de 50 títulos entre os que são de autoria do próprio e aqueles, escritos por outros autores, sobre sua obra.

Revelo que nunca li nenhuma página do que Sparks já escreveu mas, para cada livro que presenteei minha esposa, tive que assistir ao filme baseado nele assim que ela terminava a leitura. Através destes longas-metragens, deu pra sacar qual era a do cara e por que ele é tão cultuado e lido, principalmente nos EUA...

Sparks escreve aquilo que os americanos - ou melhor dizendo, aquilo que as mulheres estadunidenses - querem ler. As tramas e os personagens de Mr. Sparks são tão clichês que beiram a bizarrice!  Em quase todos os filmes, temos algum personagem que enfrenta diferenças com um dos pais, gente doente, abandono, veteranos de guerra - em tempos de ocupação americana em solo estrangeiro e “Support US Troops”, criar personagens que voltaram da guerra é uma boa sacada - e um maldito piano...

Vejamos abaixo alguns exemplos:


- Em "Diário de uma Paixão" temos Noah, um garoto pobre que se apaixona por uma garota rica, chamada Allie. Ela acaba tendo uma treta com a mãe por conta da diferença social entre os dois e então abandona o rapaz. Alguns anos mais tarde, ambos estão doentes e Allie se revela uma pianista...

- Já em "Um Homem de Sorte", Logan é um neurótico de guerra que, obcecado por uma estranha, vai atrás dela e a encontra. No filme não é dito mas fiquei sabendo que no livro a avó da protagonista é uma velha doente. Desta vez é Logan que surpreende a todos tocando piano na igreja.

- O tal do "Querido John" é outro guerrilheiro perturbado pelos traumas no exterior. Ele não se dá bem com o pai, um velhaco doente. Arranja uma namorada, ela o larga pra lá, blablablá... Tudo ao som de um piano, que é o instrumento principal da trilha sonora incidental do filme.
- "A Última Música" reúne todos os clichês favoritos de Nicholas num único personagem. Steve Miller é um cara doente, abandonado pela mulher, em conflito com a filha e pianista!

Enfim, não posso julgar os livros. Como já disse, não os li. Acho que é por isso que tem uns três ou quatro livros desse cara na minha biblioteca, sem vinco na lombada. Intocados. Preciso urgentemente encontrar outro autor favorito pra minha mulher...!
Marlo George já foi lá e de volta outra vez. Mas da próxima vez que for ao "Mundo Sparks" talvez volte velho, doente e, por rebeldia, abandone a idéia de tocar piano de vez.
* Aviso: Toda e qualquer opinião emitida é de responsabilidade de seus autores e não expressa necessariamente a opinião do blog. Se não concordam, deixem seus comentários de forma educada e debatam o assunto como distintos membros da sociedade...

12 comentários :

  1. Eu rolei de rir mas... Me deu a maior vontade de ver esses filmes só pra ver se vc está realmente certo... E parece que "O Diário de uma Paixão" é o favorito de muitas pq é uma das resenhas mais acessadas aqui no AIL (está em segundo lugar - por enquanto)... (KJM)

    ResponderExcluir
  2. Eu não rolei de rir, não ¬¬ kkkkk...Sempre digo que, para formar qualquer tipo de opinião referente a filmes adaptados de livros, é necessário que leiamos tais livros...assim a paradinha fica mais redondinha...rssss...Portanto, queridos leitores (kkkkkkk) leiam os livros, vejam os filmes e depois compartilhem suas opiniões que serão muito benvindas...rsss..bjinss, Mac.

    ResponderExcluir
  3. Kal J Moon...acredito muito que você, algum dia, verá tais filmes ¬¬...kkkkk acha que engana quem, hein?!! rsssss

    ResponderExcluir
  4. Claro q verei... E chorarei muito depois, hehehe!!! (KJM)

    ResponderExcluir
  5. Duvido!!! kkkkk você já expressou aqui que não é chegado as histórias do NS, tá?! kkkkkk mentir é feio...enganar os leitores é pior ainda, hein!!! kkkkkk

    ResponderExcluir
  6. Credo!Que maldade com o Sparks Marlo,concordo totalmente com a Mac e só para terminar ADORO O SPARKS.
    Bjos Fabi
    http://roubando-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Marlo George15 junho, 2012

    Enquanto uns riem e outros não, eu fico mesmo é com cara de babaca assistindo estes filmes. Você põe o DVD no deck e já sabe o que vem. Não importa o diretor, o roteirista, o ator (esses então, ai, ai, ai)... o problema já foi detectado, é o tal do Sparks. O cara é obcecado por velho doente e piano, mesmo. Não tem essa...

    Pra não dizer que eu sou ranzinza, achei que o velho que faz o Noah (e que foi regular durante a maior parte do filme, culpa do diretor, com certeza), mostrou que manda bem na cena em que a Allie perde novamente a memória, após eles dançarem pelo quarto do asilo. Foi a única coisa que gostei. Nem mesmo as meninas malvadas salvaram a pátria...

    Discordo do que foi dito, de que para formar uma opinião redonda de uma obra cinematográfica adaptada deve-se ler a fonte. Acho que são duas visões diferentes da mesma história, em duas mídias diferentes. Dá pra formar uma opinião consistente sobre uma história só assistindo o filme. Desde que, é claro, não se compare a fonte com a adaptação. Penso (e reafirmo) que um filme pode até desmotivar a leitura (mas já falei isto por aqui).

    Porém concordo com você, quando diz que o KJM ainda vai assistir os filmes e chorar. Provavelmente de raiva, se bem o conheço. Apesar de ultimamente ele ter demonstrado certa fragilidade e um gosto musical um tanto quanto "gay" no Facebook.

    P.S. Vou acabar sendo expulso deste blog... -_-

    ResponderExcluir
  8. Caramba, eu tô lascado mesmo... Uma me chama de mentiroso e o outro... Expulso do blog? Vc tem fãs acalorados por aqui... Não vai se livrar de nós tão cedo, hehehe... (KJM)

    ResponderExcluir
  9. Eu, sinceramente. adoro os livros do Nicholas Sparks. Eu sei que TODOS eles são clichês, românticos demais e sempre me fazem chorar, mas eu gosto.

    Em relação aos filmes dele eu só vi "Um amor para recordar" que, curiosamente, foi um dos livros que eu não li. Então não poderia fazer uma boa comparação!

    Adorei o post! Parabéns!

    ResponderExcluir
  10. Que bom que gostou, Déia... A gente pensou que o Marlo seria chicoteado pelas fãs de Sparks, hehehe!!! Volte sempre! (KJM)

    ResponderExcluir
  11. Também dei risadas com o post haha Falou exatamente o que eu pensava sobre o Nicholas Sparks. Via todo o sucesso dele, tantos livros publicados e sempre nos tops. Resolvi comprar um para conferir mas não me convenceu a ler outro. Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Jaqueline! Tudo bom? Eu só vi um filme (Um Amor pra Recordar) e achei bom. Mas não li nenhum livro, portanto, não posso opinar... Mas diga aí - para fúria das "sparkslets" que ficaram defendendo MS por aqui - qual foi o livro que vc leu dele e não gostou? Abração carioca... (KJM)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...