Resenha [Maratona Nicholas Sparks] "Noites de Tormenta" de Nicholas Sparks

Olá, queridos leitores!!!
Trago para vocês a terceira resenha da "Maratona Nicholas Sparks" e espero que gostem e não deixem de comentar, hein!!! rsss


Noites de Tormenta
Nicholas Sparks| Ano: 2008| Editora Novo Conceito| ROMANCE

Sinopse: Aos 45 anos, Adrienne Willis repensa toda a sua vida quando o marido a abandona por uma mulher mais jovem. Com o coração partido e em busca de descanso ela segue para a pequena cidade de Rodanthe, na Carolina do Norte, para cuida da pousada de uma amiga, Quando uma tempestade terrível se aproxima, Adrienne começa a achar que sua fuga perfeita está arruinada - isso atá a chegada do novo hóspede, o Dr. Paul Flanner. Aos 54 anos, o médico chega a Rodanthe para repensar sua profissão e relação com a família. Agora, em meio à tempestade que os cerca, os dois seres feridos procurarão conforto um nos braços do outro - e esse único fim de semana despertará sentimentos que irão acompanhá-los pelo resto de suas vidas. O título desse livro foi mudado de O Sorriso das Estrelas para Noites de Tormenta depois do sucesso do filme, que agora compõe também a capa do livro.


Resenha: "Nunca é tarde demais para uma segunda chance.."


"Noites de Tormenta" conta a história de duas pessoas que se encontram em um fim de semana  e, por destino ou acaso,  se apaixonam perdidamente. Adrienne Willis, com 60 anos de idade, é a narradora principal  do livro. Esta só relembra da história com Paul,  depois de perceber que sua filha, Amanda, continua em depressão profunda, após perder seu marido há alguns meses. 


Adriene começa dizendo que sempre se achou uma boa esposa e mãe.  Ela escolheu  abrir mão de uma carreira promissora para se dedicar a sua família, preocupando-se com o bem estar de seus filhos e marido. Isto, no entanto, não impediu que seu casamento  desmoronasse por causa de uma traição e abandono pelo homem que ela tinha escolhido construir uma vida. E, apesar de ser uma mulher forte e madura, ela também é sensível e romântica, mas o trauma causado pela traição e separação a fizeram se distanciar de todas as possibilidades de ser realmente feliz... Até que ela conheceu Paul Flanner...



Este era um médico cirurgião "workaholic" . Por um lado ele era o profissional perfeito, de grande sucesso e reconhecimento. Paul sempre se via como alguém que jamais cometia erros, pois tudo que ele colocava as mãos dava certo. No entanto, como marido e pai, Paul sempre deixou muito a desejar. E isso fica evidente, quando sua esposa e filho - também médico - o abandonam. E para completar, o Dr.House, comete um erro médico, o que causa a morte de uma paciente. O quê era para ser um procedimento de rotina, torna-se um grande pesadelo em sua vida.

O mundo perfeito de Paul desmorona. E a imagem de perfeição, deixa de existir. E, sem os seus dois eixos de sustentação, Paul fica completamente perdido. Não tem mais família e a sua confiança como profissional fica abalada. Então, para consertar sua vida, ele resolve fazer duas coisas: a primeira é reconhecer que cometeu um erro e ter coragem de pedir perdão à família da paciente que morreu em suas mãos. E isso é uma árdua tarefa para Paul, pois de início ele só quer persuadir o marido da paciente, que o está processando, a desistir do caso.


A segunda é conseguir o perdão de seu filho e assim poder assumir o papel de um verdadeiro pai. Então, Paul viaja para Rodanthe - cidade costeira da Carolina do Norte. Ele se hospeda na pousada em que Adrienne está trabalhando, temporariamente.  


"Fui lá para encerrar um capítulo da minha vida, esperando que isso me ajudasse a encontrar meu caminho. Mas era você, eu acho, que eu estava procurando...todo esse tempo"


E é durante esta estadia que Paul e Adrienne se aproximam e, conseqüentemente, se apaixonam. Afinal, eles tinham muitas coisas em comum! Adrienne vivia atormentada pelo fim de seu casamento e era alvo constante da revolta de seus filhos, principalmente de sua filha mais velha, Amanda. Esta situação a fazia pensar que não tinha nenhuma serventia como mulher e, particularmente, como mãe.  


Logo nas primeiras páginas, percebi com admiração a forma como Nicholas Sparks consegue transmitir, com tamanha sensibilidade, a história de duas pessoas que  passam por experiências traumáticas e suas constantes dialéticas, sem  que tudo pareça clichê ou caricato. Os personagens são bem construídos, na medida certa. E o fato de não colocar um casal jovem como protagonista, nos mostra  que todos estão (mesmo os mais experientes) sujeitos a passarem pelas mesmas situações. E que nunca é tarde demais para amar. Legal ver como,  através do amor,  Paul e Adrienne conseguem ter coragem para exorcizar os fantasmas que tanto os atormentam. E, principalmente, a transformação que este amor traz para suas vidas. Acima de tudo, nos mostra como não devemos desistir quando as coisas ficam difíceis.

"Quanto maior o amor, maior a tragédia quando acaba. Esses dois elementos sempre andam juntos" 


Acredito que nunca serei capaz de traduzir em palavras a beleza desta história comovente. Sendo assim, é preferível que vocês leiam o livro e preparem os lencinhos, porque é impossível não se sensibilizar. E, depois, tirem suas próprias conclusões. Afinal, este livro - além de ter como pano de fundo uma história de amor - ele passa a mensagem de que todos são capazes de recomeçar do zero, basta ter muita, mas muita força de vontade. E que o amor (principalmente o amor próprio) sempre é fundamental para que as pessoas possam transpor barreiras.  


E falar em "transpor barreiras", ressalto, também, que a clássica alusão ao "felizes para sempre", comum nas fábulas, é mostrada de uma forma diferente, neste livro. A felicidade existe! E ela se perpetua... No entanto, o autor deixa bem claro que existem muitas formas de felicidade! E que esta felicidade é fruto (conseqüência) de nossas escolhas.


"O fato de poder olhar para o passado e perceber que não mudaria muita coisa, fazia com que o sono fosse bem melhor nos dias de hoje"


Enfim, recomendo o livro para aqueles que curtem o gênero. E, como uma boa "suspeita" , digo que, a cada livro de Nicholas Sparks, me identifico mais com seus romances e, consequentemente, torno-me mais admiradora deste autor.


Adaptação para o cinema

Capa Dvd
Nights in Rodanthe (brNoites de Tormenta /ptO Sorriso das Estrelas)  foi adaptado para os cinemas em 2008, com o título "Noites de Tormenta". O filme foi realizado por George C. Wolfe e produzido por Denise DiNovi, para a Warner Bros. Pictures. E contou, no elenco, com:
  • Diane Lane - Adrienne Willis
  • Richard Gere - Dr. Paul Flanner
  • James Franco - Dr. Mark Flanner
  • Scott Glenn - Robert Torrelson
  • Christopher Meloni - Jack Willis
  • Viola Davis - Jean
  • Pablo Schreiber - Charlie Torrelson
  • Charlie Tahan - Danny Willis
Como sempre, não devemos comparar livro com filme, mesmo sabendo que isto é inevitável (rsss). Tanto que o fiz!!! (rssss). E continuarei fazendo com todos os filmes oriundos de livros (fatíssimo). 


Digo isso, porque neste caso, o livro é muito mais completo que o filme!  E o principal motivo já estamos cansados de saber, né?! O tal do "time" entre livro e filme é completamente diferente. Eu sei! Para os detalhistas de plantão isso é  quase um crime!!! Concordo plenamente... Enfim, seguem abaixo algumas diferenças que encontrei no filme:


- Adrienne tem apenas dois filhos.
- Os fatos sobre a infância de Paul e Adrienne não são contados
- E o restante da história de Paul e Adrienne também é omitida
- A história de Paul é contada através de alguns flashbacks.
- No final do filme, Adrienne conta sua história para a filha, que ainda é adolescente.


Apesar de ter gostado do filme, pois transmite a mesma emoção que o livro, alguns detalhes (talvez importantes) não são mostrados. Em contrapartida, o filme dá vida a fotografia do livro. Por isso, acho que também vale a pena assisti-lo.


A cena final  de Adrienne conversando com o filho de Paul, tanto no filme quanto no livro, é memorável!!!


Trailer do filme:

 


Não deixem de conferir outras resenhas referente a obra de Nicholas Sparks:
Bjins e inté, Mac Batista



5 comentários :

  1. Hmmm... Não sou fã desse tipo de literatura pq... Bem, não entremos em detalhes... Mas tenho ficado bem curioso pra saber o que realmente atrai o público aos livros de Mr. Spark... (KJM)

    ResponderExcluir
  2. Pois é KJM vc já disse em outras resenhas que não é chegado a esse tipo de literatura..rssss...Mas se na vida real faltam homens vivendo "o romance" que seja, pelo menos, no imaginário...Acho que é por isso que Nicholas Sparks faz tanto sucesso entre a mulherada...E, digo mais, conheço homens que curtem NS e não são gays!!!(rssss)Entao, voltamos à atinga questão do "gosto"...rsss bjins e inté, Mac.

    ResponderExcluir
  3. Oi Mac!
    Desculpe a demora,mas cá estou.Ultimamente ando correndo para não ser atropelada,hahaha.Ah,adorei a "pequena discussão" entre vc e o Kal,adoro vcs.
    Bem, finalmente indo ao que interessa,EU AMO O SPARKS e tb conheço muitos homens que gostam da leitura tb e NÃO SÃO GAYS,viu Kal.Brincadeirinha,menos a parte que eu amo o Sparks.Noites de Tormenta é um belíssimo romance e sua ressenha,Mac,não deixou a desejar nem por um momento sequer.
    Bjos Fabi
    http://roubando-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Fabi!!!
    Obrigada pelas palavras. Sou suspeita quando o assunto é Nicholas Sparks rssss...E em relação ao Kal...a gente quebra o pau mesmo, mas se adora tb!!! kkkkkk legal, não?! bjins, querida, e volte sempre!!! Mac.

    ResponderExcluir
  5. ^O^ Hahahah!!! Mac é muito querida por minha pessoa... A gente não concorda em tudo - por isso "quebramos o pau" - mas nos respeitamos a ponto de podermos conviver com isso... E esqueci de dizer que sua resenha, linda, dá a maior vontade de ler essa história... Mesmo quem não é fã deste tipo de literatura... (KJM)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...