[RESENHA] "Crônicas do Mundo Emerso" de Licia Troisi | Por Mac Batista

Crônicas do Mundo Emerso
Licia Troisi| Editora Rocco| FANTASIA

Sinopse 1º livro: "A Garota da Terra do Vento" - Nihal é realmente estranha, no Mundo Emerso ninguém se parece com ela: grandes olhos violeta, orelhas pontudas, cabelos azuis. Ela foi criada por um ferreiro e vive em uma das torres de cidades da Terra do Vento, brincando de guerra com seus amigos que elegeu seu chefe para a sua sua força e agilidade. Mas tudo muda quando o Tirano, o déspota que já conquistou cinco das oito Terras que compõem o mundo Emerso, ataca a Terra do Vento. A Resistência dos Povos Livres é inútil, assim como as tentativas dos magos protegerem a cidade com magia. Nihal só tem uma escolha: tornar-se um verdadeira guerreira e defender os inocentes da escravidão do Tirano.

Sinopse 2º livro: "A Missão de Senar" - As aventuras da jovem guerreira Nihal, a última semi-elfo do Mundo emerso, e seu inseparável amigo mago Senar continua. Juntos eles lutam contra as foras do Tirano, determinado a conquistar as Terras Livres e escravizar todos os seus habitantes por magia. Agora Nihal é capturada por uma rede de mistérios, uma pedra que parece ter incriveis poderes. Enquanto isso, Senar parte em busca das Terras Submersas, um continente perdido há eras. Para encontrá-lo, Senar é forçado a embarcar em um navio pirata e lutar contra monstros marinhos
 
Sinopse 3º Livro: "O Talismã do Poder" - Nas Terras Lives a situação está chegando ao fim e o Tirano parece invencível. A Jovem guerreira Nihal, a última semi-elfo do Mundo Emerso, está viajando com o mago Senar em busca das oito pedras do talismã dos poderes infinitos, capaz de por um fim a guerra. Cada uma das oito Terras do Mundo Emerso esconde em um santuário uma das pedras, consagras aos espíritos naturais: água; luz; mar; tempo; fogo; terra; escuridão; e air. Se Nihal conseguir ir a todos os santuários e coletar as pedas do talismã, ela pode fazer um pedido aos espíritos e interromper qualquer forma de magia, incluindo as terríveis armas e exército do Tirano.

Resenha: O Mundo Emerso é dividido em oito terras e uma central. Cada um delas é representada por um elemento da natureza. E o mal é personificado pela figura maior conhecida como Tirano. A história é divida em três partes: A garota da terra do vento, a Missão de Senar e o Talismã do Poder. 

Em “Crônicas do Mundo Emerso: a garota da terra do vento”, vemos  Nihal, a última semi-elfo, lutando para se tornar um Cavaleiro de Dragão. E Senar para se tornar Conselheiro dos Magos. Ambos se tornam grandes amigos, ainda crianças, quando os dois estão aprendendo sobre as artes arcanas com Soana, tia de Nihal. 

Após a cidade de Salazar (Terra do Vento), lugar onde Nihal vive, ser massacrada pelo exército do Tirano, Nihal e Senar partem para Makrat (Terra do Sol). E assim inicia-se a trajetória de ambos os personagens. Neste livro,  os traços mais marcantes no enredo é o amadurecimento dos personagens centrais: Senar (o mago) e Nihal (a guerreira semi-elfo). E este processo não é nada fácil. Nihal é movida por dois ideais: vigança e o sonho de se tornar cavaleiro de dragão. E Senar apenas quer se tornar conselheiro dos magos.

No entanto, para ingressar e ser aceita na Academia da Ordem dos Cavaleiros de Dragão, Nihal precisa enfrentar o preconceito (de várias esferas), por partes dos integrantes da Ordem. Preconceito por ser mulher e semi-elfo. Preconceito por ser tida como a minoria e diferente do que é considerado aceitável naquela sociedade. 

Apesar disso, Nihal consegue provar o seu valor, tendo melhor desempenho do que muitos homens. Ela entra para a Academia, mas, ainda assim, não consegue ser aceita. Afinal, ela ainda continua sendo mulher e semi-elfa! Em contrapartida, Senar consegue, finalmente, se tornar um Conselheiro dos Magos, mas também sofre com as desconfianças dos membros do Conselho Real por ser jovem demais.

Palavras que descrevem este livro: preconceito e determinação.

Nihal
Já em Crônicas do Mundo Emerso: a missão de Senar, a narrativa é contada mais do ponto de vista de Senar do que Nihal.  O segundo livro narra a trajetória do Mago Senar em busca do Mundo Submerso para pedir auxílio às tropas do Mundo Emerso contra o Tirano.

Por um lado, as batalhas da jovem semi-elfo Nihal que luta contra seus demônios interiores   estão presentes a maior parte do livro (que para falar a verdade é a parte mais chata da história!!!). Não é que ela seja insuportável, não estou dizendo isto. Há quem diga que Nihal é muito mimada e infantil. Eu discordo. Nihal é uma menina de 15 anos que perdeu tudo que tinha e teve que,  de uma para outra, virar adulta, apesar de toda dor e sofrimento. Até aí tudo bem...é compreensível, mas sofrimento em demasia tem limites,né?! Nihal passa a maior parte do livro em suas dialéticas, queixando-se de suas perdas e rogando por vigança  que, por diversas vezes,  nos faz perder a paciência. Além de se sentir magoada pelo suposto "abandono" de Senar.

Por outro lado, temos Senar que com todo os seu carisma, empenho e desempenho consegue finalmente dar cabo de sua missão. Ele percebe, então, que existe uma nova possibilidade de vida, além daquela que ele foi treinado a ter. E em meio a isso descobre um novo sentimento que, aos pouco, vai ficando claro (e diria óbvio kkk) para ele e, também, os leitores. Impossível não ficarmos comovidos e cativados com os questionamentos de Senar, lembrando que ele é um típico jovem de 18 anos com a responsabilidade de um ancião.

Também testemunhamos as batalhas, no Mundo Emerso, sangrentas e épicas (descritas com tantos detalhes que parece que estamos fazendo parte destas). As mesmas nos fazem lembrar o épico-histórico "O Senhor dos Anéis", mas não chega aos pés deste (rssss). Mesmo assim, ficamos com o coração apertado com as perdas inevitáveis. E sofremos com todos os personagens, principalmente, com Nihal e Senar.

Palavras que movimentam o livro: paixão, perda e sofrimento.

E, finalmente, em Crônicas do Mundo Emerso: O Poder do Talismã Nihal reencontra Senar (que retorna do Mundo Submerso com as tropas aliadas em auxílio do Mundo Emerso). No entanto, ambos, agora, têm uma nova missão: encontrar o talismã que trará fim ao poder do Tirano. Bem, se eu soubesse como tudo terminaria não teria lido nem o primeiro volume (rssss).

Digo isso, porque o terceiro livro, que era para fechar a trilogia com chave de ouro, deixou muito a desejar. A busca pelo talismã é cansativa do início ao fim. E quando pensamos que haverá "aquela reviravolta"...Ela até acontece, mas é tão sem graça que não ajuda, em nada, o "time" da narrativa. 

E o que esperar da história entre Nihal e Senar??? Simplesmente NADA. O romance entre eles foi mal desenvolvido, corrido e não cativou em nada os leitores. Por mais que quiséssemos, a autora nos "deixou de mãos atadas". Uma pena! A impressão, neste livro, é que Troisi quis terminar, o mais rápido possível, a história e atropelou muitas coisas importantes. E assim impossibilitou que o desfecho final fosse em grande estilo.

Em suma, a trilogia Crônicas do Mundo Emerso,  apesar da tentativa de Licia Troisi não é uma obra em excelência. No entanto, serve para algumas horas de distração, sem que o leitor tenha muitas expectativas...é claro. Basta, agora, torcermos para que a próxima trilogia "As Guerras do Mundo Emerso" seja melhor do que a primeira. 

Bjins e inté, (Mac Batista)

Licia Troisi nasceu em Roma, em 25 de novembro de 1980. Começou a escrever as Crônicas do Mundo Emerso aos 23 anos, pouco depois de se graduar em Astrofísica. Apaixonada pelo gênero de fantasia, mas sempre sentindo falta de uma personagem com a qual pudesse se identificar, resolveu exercitar o gosto pela escrita e pela literatura e criar sua própria história, dando vida à protagonista feminina que tanto queria ver nos livros. Assim nasceu a jovem Nihal, heroína de A garota da Terra do Vento, A missão de Senar e O Talismã do Poder - trilogia que compõe a série Crônicas do Mundo Emerso, publicada no Brasil pela Editora Rocco. A seita dos assassinos e As duas guerreiras são os dois primeiros volumes da nova saga, As Guerras do Mundo Emerso, lançada em 2009 também pela Rocco.

2 comentários :

  1. Oi Mac!
    O post está incrível,destes muitas informações sobre a obra.Pena que o romance entre os personagens não foi bem desenvolvido pela autora,para mim um bom livro tem que ter uma pitada de romance.
    Bjos Fabi
    http://roubando-livros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Fabi, tudo bem?!
    Que bom que vc gostou das informações. E concordo com o que vc disse. Realmente é um pena que o romance entre os personagenes centrais não foi bem aproveitado.
    Obrigada pela visita, querida!!!
    Bjinss, Mac.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...