Cinebook #01: "Os Vingadores"

Cartaz nacional
Filme: "Os Vingadores" ("The Avengers", 2012, Marvel Studios / Paramount Pictures)
Direção: Joss Whedon
Elenco: Robert Downey Jr, Chris Evans, Mark Ruffalo, Chris Hemworth, Scarlett Johansson, Jeremy Renner, Tom Hiddleston e Samuel L. Jackson

Sinopse
: Após os eventos ocorridos nos filmes "Thor" e "Capitão América - O Primeiro Vingador", Loki está de volta e empreende um plano de invasão alienígena. Somente os maiores heróis da Terra (Homem de Ferro, Thor, Hulk, Capitão América, Viúva Negra e Gavião Arqueiro) podem detê-lo. Isso se conseguirem resolver problemas internos com a agência secreta SHIELD - sob o comando de Nick Fury - além da própria convivência em grupo, uma vez que sempre agiram sozinhos...

Resenha: Nunca fui um marvete (fã dos personagens da editora Marvel Comics). Nunca li uma história em quadrinhos dos Vingadores que me fizesse levar a sério esse grupo. Não gosto do Thor, nem do Homem de Ferro e muito menos do Gavião Arqueiro. Sempre odiei o mordomo Jarvis - que nos filmes virou uma inteligência artificial que "conversa" com Tony Stark de vez em quando - e a ideia de que um grupo de super-herois "mora" numa mansão. E talvez exatamente por isso sou indicado pra escrever sobre esse filme, uma vez que não estou comprometido emocionalmente com a obra original.

Bem, quando vimos a cena pós-créditos ao fim do primeiro "Homem de Ferro", com Nick Fury (Samuel L. Jackson) dizendo que queria convidar Tony Stark (Robert Downey Jr.) pra fazer parte do "Projeto Vingadores", muitos fãs de quadrinhos - eu incluso - deram pulos de alegria no cinema com a promessa dum filme com todos os "Maiores Heróis da Terra" (esse é o slogan "humilde" do grupo que até é dito no filme por Stark em dado momento de deboche).
Gavião Arqueiro (Jeremy Renner), Capitão América (Chris Evans)
e Viúva Negra (Scarlett Johnasson)

Passados todos esses anos e todos os filmes-solo de cada herói integrante do grupo - dos quais só achei que realmente valeram a pena "O Incrível Hulk" e o primeiro "Homem de Ferro" - a expectativa era muito alta e foi cumprida a contento para a grande maioria dos fãs das revistas originais. E esse é o grande problema do filme. Fala MUITO só para fãs de longa data e bem pouco para quem não conhece o gibi. Se vocês, caros leitores, não tiverem pelo menos assistido aos filmes do Homem de Ferro, O Incrível Hulk, Thor e Capitão América, vão, com toda certeza, ficar um tanto perdido com algumas falas e citações, sem saber sobre o que estão conversando.

O filme também tem um grave problema justamente em seu início. Embora comece com cenas de ação da SHIELD enfrentando o ataque de Loki em busca do artefato chamado Cubo Cósmico - que aqui é chamado inicialmente de "Thesseract" - que está em poder da agência liderada por Nick Fury, o desenvolvimento das cenas posteriores tornam o filme arastado demais em relação justamente aos diálogos e à apresentação de cada personagem. Não é dinâmico em momento algum e extremamente cansativo. E em algumas dessas apresentações, achamos que o filme vai decolar com aquelas cenas estilo "é agora!" mas nunca acontece realmente. Isso dura exatos 55 minutos de projeção até acontecer algo que valha nossa atenção...
"Não me leve a mal... Você até que bate bem...",
diz Tony Stark (Robert Downey Jr.) a Thor (Chris Hemworth)
Outra grande falha do filme é seu elenco. A começar por Mark Ruffalo, que interpreta Dr. Bruce Banner - o alterego do Hulk. Seu papel é o pior do filme e vemos seu esforço hercúleo para dar veracidade a seu espaço ali tentando fazer uma homenagem ao saudoso Bill Bixby (que interpretou o mesmo papel na antiga série de TV do personagem) em vão, fazendo-nos entender porque Edward Norton abandonou o papel... Até o seu figurino destoa de todos ali, fazendo-o parecer algo próximo de um mendigo ou alguém que está na fila da aposentadoria... E ele só tem UMA fala realmente bem elaborada o filme inteiro! Pra não desmerecê-lo completamente, Ruffalo "interpretou" também o Hulk através da tecnologia da captura de movimentos. Para os leigos: todos os movimentos do Gigante Verde no filme são do ator. E, isso sim, foi digno de nota!

Tirando Downey Jr (Homem de Ferro) - que é um excelente ator e somente numa cena se excedeu, deixando a interpretação um tanto over -, os outros são um tanto ofuscados por ele. Chris Evans (Capitão América) ainda não é o personagem que conhecemos nos quadrinhos e parece mais alguém que sobrevive e tenta fazer que os outros também o façam. Chris Hemworth (Thor) repete o mesmo do filme anterior com algumas falas melhores - e uma impagável sobre Loki. Aliás, Tom Hiddleston, que interpreta o vilão, fez justiça a seu personagem aqui porque o roteiro dele é bem melhor do que no filme "Thor", onde parecia encarnar um emo. Mas não tanto como estão dizendo por aí...

Scarlett Johansson (Viúva Negra) e Jeremy Renner (Gavião Arqueiro) justificam suas presenças no filme. Ela mais do que ele pois suas cenas são estonteantes, sexies e de muita atitude, fazendo jus a versão dos quadrinhos. Ele é aquele coadjuvante de luxo, que fala pouco, tem cenas de ação impossíveis - exatamente como o elfo Légolas de "O Senhor dos Anéis" embora sem o mesmo carisma - mas nada além disso. Mesmo Samuel L. Jackson desenvolve seu Nick Fury aqui um tanto burocrático demais...  

Mas, a despeito disso, o filme realmente diverte. Não só com as hilárias falas de Tony Stark - que É e SEMPRE VAI SER o Homem de Ferro numa acertada escolha de papel pra sua carreira - mas em TODOS os momentos em que o Hulk aparece. Se alguém queria um ÚNICO momento pra ir ao cinema, vá para ver o Hulk! Finalmente fizeram algo que justifica o personagem na tela...

Hulk ESMAAAAGA!!!

As cenas da batalha com os alienígenas do filme são muito interessantes embora a direção de fotografia seja fraca, comum, sem grandes ousadias e muito mais do mesmo. Não comprometem mas fazer o dever de casa ajuda de vez em quando...

Meu veredicto? Culpado! Quero ver um segundo filme, claro! Nunca ri tanto num filme de super-heróis! Nunca torci e gritei tanto numa sessão de cinema - que bom que não fui apenas eu pois todos torciam comigo e até algumas mulheres tiveram suspiros arrancados a cada aparição do Thor, hehehe... 

E não se esqueça: quando o filme acabar, ESPERE pois tem uma cena escondida que mostra que não acabou ali. Mas só os fãs mais antigos quadrinhos vão entender a grandiosidade do que é e de QUEM aparece. Se para reunir os heróis nesse filme foi necessário tudo o que vemos no terço final da história, imagine no próximo? Não será preciso nem especular... Então, reservem seus ingressos, comprem um baldão de pipoca e deleitem-se também com esse que não é, nem de longe, o melhor filme de super-heróis de todos os tempos (como estão alardeando por aí) mas, sem sombra de dúvida, é um dos mais divertidos...!

Kal J. Moon é muito parecido com o Homem de Ferro. Não, ele não é bilionário, nem playboy, nunca foi adepto de filantropia, nem de longe é gênio e muito menos possui uma armadura legal pra disparar raios e voar por aí. Mas a arrogância e a barbicha são iguaizinhas...

Aquisições da Semana do Trabalhador!

Fala, galera!!! Como todo mundo está se preparando pra mais um feriadão - desta vez, do Dia do Trabalho -, aproveitei e comprei minha ordem de leitura, heheheh... Dá só uma olhada:

Aquisições da Semana do Trabalhador

- "Ex Machina - Ex Cathedra", de Brian K. Vaughan (roteiro)  & Tony Harris (arte), Ed. Panini - História em Quadrinhos;
- "Ultimate Marvel - Capitão América", de Jason Aaron (roteiro) & Ron Garney (arte), Ed. Panini - História em Quadrinhos;
- Marcadores: "Silêncio" (do romance de Becca Fitzpatrick, Ed. Intrínseca) e "O Melhor de Mim" (do best-seller de Nicholas Spark, Ed. Arqueiro);

Bem, por enquanto é "só" isso... Aguardem resenhas desses e de outros títulos!

E lembrem-se: Stay tuned on AIL! Divulguem essa ideia!

Abração carioca e até a próxima...

Resenha "Missa do Galo", de Machado de Assis

Título: Missa do Galo (Seguido dos contos: O Espelho, A Cartomante, O Caso da Vara, Pai Contra Mãe, Capítulo dos Chapéus)
Autor: Machado de Assis

Coleção 64 Páginas (Pocket) | Editora L&PM | R$ 5,00

Sinopse: Em "Missa do Galo", um homem e uma mulher tem uma longa conversa antes de se iniciar a tradicional missa cristã da véspera de Natal. Longa, interessante e intrigante.

Resenha: O que dizer de Machado de Assis? Ou melhor, o que não dizer? Muitos tem de obrigatoriamente ler seus livros de forma forçada e de maneira brusca durante o período escolar. Eu sempre achei que isto é muito errado pois deixa-se de aproveitar ou até mesmo entender a contento as reais intenções desse magnifíco autor. Considero-o o nosso equivalente a Shakespeare. Sendo ele próprio admirador dos textos do Bardo Inglês, com citações ali, inspirações diretas ou indiretas acolá, sua prosa assemelha-se por conta das ótimas descrições e ambientações, assim como os diálogos bem elaborados e fluentes como se pudessem ser ouvidos prontamente pelo leitor.

Eu já conhecia a grande maioria dos textos dessa pequena coletânea de contos por conta de outra publicada por uma editora diferente. Mas muito me surpreendeu ler outros contos que desconhecia pela falta de contato mais profundo com a obra do Bruxo do Cosme Velho. E por esse preço, vale a pena o investimento e mesmo a divulgação. Bem, vou ater-me ao conto principal e a alguns outros que destacarei.

Em "A Missa do Galo", o autor consegue, com maestria ímpar, elaborar uma trama insólita em que uma conversa simples e uma contagem regressiva torna-se, na cabeça de um homem, uma mistura de sentimentos e confusões, uma vez que ele mesmo não esteja entendendo o que está acontecendo e se está tendo mesmo uma simples conversa. Eu digo o seguinte: homem é previsível. Pronto, falei. E Sr. Nogueira - o protagonista dessa história - está em dúvida se está tendo apenas um diálogo com Conceição ou se ela, casada, está interessada em algo mais. Embora muitos tenham essa dúvida - e o texto é construído com essa intenção - fica um tanto claro o que acontece quando chega-se ao final. Mas a delícia é justamente acompanhar o "tormento" do tolo Sr. Nogueira. Ora tem certeza de que nada acontece, ora está em dúvida por conta de um ou outro gesto de Conceição. É um texto que, se adaptado para a TV, daria uma ótima comédia.

Outro conto a destacar é "A Cartomante", onde um casal debate sobre a mulher do título e o homem em questão resolve consultá-la somente para desmentir sua amada. Há, uma vez mais, um estudo sobre o comportamento machista, ainda atual, e as certezas masculinas transformadas em dúvidas através apenas de palavras femininas, provando, como todos devem saber, que as mulheres dominam toda e qualquer situação, se quiserem. O problema é que muitos dos textos de Machado terminam em tragédia assim como os de Shakespeare. E esse não é exceção.

Por último, mas não menos importante, destaco o sensacional "Pai Contra Mãe", onde um homem casado que levava a vida como "caçador de escravos fujões", passa por grandes dificuldades financeiras quando sua esposa engravida. Nada é simples para os protagonistas de Machado. Muitas vezes, os homens têm seus nomes no diminutivo justamente para agraciá-los com algum tipo de demérito, fraqueza, timidez ou qualquer outra coisa que possa torná-lo menor diante das circunstâncias e, claro, do domínio feminino. Candinho - o protagonista desse conto - é levado a enviar seu filho, quando nascer, à "Roda dos Enjeitados" (um convento onde são cuidadas as crianças que os pais não podem criar por dificuldades financeiras). Mas ele acredita que vai conseguir algum dinheiro, aquele "extra" que salvará o dia, para poder exercer o papel de pai - e de homem perante a sociedade.

Ele precisa provar que pode. E isso, não só naquela época como atualmente, é o grande dilema masculino. Muitas mulheres necessitam VER que o homem é capaz para acreditar que o quê ele diz dará certo. Mesmo estando ao seu lado durante muito tempo, mesmo conhecendo todas suas qualidades e defeitos, precisam do referencial visual para poderem continuar confiando. Existe, nesse texto, um embate moral e desesperador pro leitor. Sofrer o que esse homem sofre durante a trama é normal. Mas, por tratar-se de um conto, o que acontece próximo do fim da história é de fazer a pressão arterial de qualquer um subir imediatamente. Existe a chance de vencer. É a providência divina no corpo de uma mulher. Mas existe mais um dilema. O que escolher? A piedade ou o orgulho masculino? O humano ou o demasiado humano? Sinceramente, não tem como não pensar no que ele resolve fazer para resolver a questão se não se é pai ou mãe. O egoísmo é o maior problema da raça humana. Mas também providencia soluções que nunca cogitamos utilizar. Exceto quando passamos por determinadas e insólitas situações.

Livro recomendadíssimo pra quem gosta de ler durante as viagens em coletivos, espera de consultórios médicos ou em horário de almoço. Devemos começar a cultivar hábitos salutares como ler em horários distintos. Os músculos do cérebro precisam ser exercitados e começar por essa coleção é deveras indicado!

Trilha Sonora: "Rosa", de Pixinguinha, na voz de Marisa Monte



Kal J. Moon ainda está bestificado com a resolução de Candinho em "Pai Contra Mãe" mas entende que faria tudo igual dadas as circuntâncias...


Sobre o autor

Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908) nasceu no Rio de Janeiro, neto de escravos alforriados. Aos dois anos perdeu a irmã, aos dez, a mãe. Começou a trabalhar muito cedo. Foi tipógrafo, revisor e jornalista. Reconhecido ainda em vida, hoje seu nome é uma referência literária mundial.





Resenha: Falando sobre "A Pedra Encantada de Brisingamen" e "A Lua de Gomrath" (assim como sobre Boneland )

Há alguns anos que a Editora Salamandra lançou por aqui parte da bibliografia de Alan Garner (não, não é o gordinho do filme "Se beber, não case").
Longe de ser confundido com seu homônimo, Alan Garner é um autor inglês, nascido em 1934, que é bem pouco conhecido de nós brasileiros. Dentre os quatro títulos do autor que foram lançados no Brasil destacam-se: "A Pedra Encantada de Brisingamen" e "A Lua de Gomrath" (os outros títulos lançados foram "Elidor" e "A Maldição da Coruja"), uma saga em dois volumes, que contam a história de Susan e Collin, dois irmãos que são perseguidos por estranhas figuras na Borda de Alderley e que são salvos por Cadellin Argentesta, um mago que os leva para as profundezas das cavernas da Filadélfia, onde passam a enfrentar svarts, demônios entre outros perigos.

Os livros foram lançados por estas bandas em 2006, passaram despercebidos e, apesar de tradutoras de peso como as escritoras Ruth Rocha e Ana Maria Machado, continuam pouco conhecidos. Uma pena, pois Garner (que foi citado por estas duas obras no livro "O Senhor do Senhor dos Anéis" de Lin Carter, lançado pela Editora Record, como um dos legítimos herdeiros da fantasia de Tolkien) escreveu uma das mais incríveis aventuras da literatura de fantasia, um clássico inglês, buscando sua inspiração nos mitos nórdicos, celtas e nas suas reminiscências sobre sua infância. É um livro infantil? Sim, mas com tudo para agradar o mais exigente leitor de capa e espada, espada e magia, fantasia e etc...

Garner foi ainda reverenciado por autores como Neil Gaiman que considera sua obra "...uma coisa especial na medida em que foi inteligente e desafiador, com base no aqui e agora, em que verdadeiros lugares ingleses emergiram das sombras do folclore, e em que as pessoas viram-se andando, vivendo e lutando através dos sonhos e dos mito" e Philip Pullman (autor da trilogia His Dark Materials) que foi mais longe quando observou que "Garner é, indiscutivelmente, um grande escritor, o mais importante escritor britânico de fantasia desde Tolkien, e em muitos aspectos, melhor do que Tolkien, porque sua obra é mais profunda e mais verdadeira".

Desde a primeira publicação de "A Pedra Encantada de Brisingamen" e "A Lua de Gomrath" em 1957 e 1964, respectivamente, as obras foram adaptadas apenas para o rádio, pela BBC de Londres, e foi produzido um musical para o teatro baseado no primeiro livro. Mas nunca houve uma adaptação cinematográfica.

Porém, isto pode mudar, já que o autor acaba de anunciar que uma sequência das aventuras de Collin e Susan (prometida pelo a mesmo desde 1989) será publicada em agosto próximo com  o título de "Boneland". Neste novo livro Collin está mais velho e trabalha como professor universitário. Porém não consegue se lembrar de nada do que aconteceu com ele antes dos treze anos, portanto, de nada se lembra sobre suas aventuras com Susan e Cadellin Argentesta. Ele busca a ajuda de um terapeuta para desbloquear sua mente e descobre que sua irmã Susan, está perdida nas Pleiades, e parte em sua busca com o auxílio de um rádio telescópio. Enquanto isso, em um outro lugar, em um outro tempo, um personagem conhecido, até agora, apenas como "Observador" deve encontrar uma mulher misteriosa. Caso Collin e o "Observador" não encontrem as pessoas que buscam, o mundo caiará em uma noite de inverno sem fim, repleta de seres malignos. Será uma aventura baseada em conceitos de multiverso e que promete agradar.

Nicholas Lake, Editor Executivo da HarperCollins (editora que lançará o livro na Inglaterra) disse que o livro é "uma obra prima que servirá para reavaliarmos todas as obras anteriores. Há uma ligação com A pedra encantada de Brisingamen, mas também uma ligeira ligação com Thrusbitch", o que significa que une as obras anteriores de Garner em um único universo. "As pessoas estaram falando sobre estas obras ns próximos anos" completa Lake. Thursbitch é um outro livro de Alan Garner, para o público adulto.

Quem sabe, diante de tal previsão, um dos famigerados estúdios de Hollywood não se interessa e promove uma série de filmes baseados nos três livros, gerando uma nova franquia cinematográfica, que pode servir para divulgar a obra de Garner (ou enterrá-la de uma vez por todas).

Aguardo ansiosamente por este lançamento.

Rock on!
Marlo George

AIL recebe livro da promoção!!!

É como sempre dissemos, desde o princípio: "News, news... São sempre bem-vindas!!!".  Recebemos o prêmio que ganhamos na promoção do blog "As Meninas que Leem Livros".  Dá uma olhada na capa:

Capa do livro "Um Coração Cheio de Estrelas"
Estamos muito felizes com o resultado de mais um tijolinho nesta construção que é estabelecer o AIL como uma referência entre os blogs que falam de literatura, histórias em quadrinhos e afins. Aguardem em breve resenha deste e de outros livros, amiguinhos. Stay tuned on AIL!!!

Lançamentos e novidades #19: Orgulho e Preconceito

Edição de Luxo Bilíngue em Capa Dura

EDITORA LANDMARK PUBLICA “ORGULHO E PRECONCEITO”, A OBRA-PRIMA DE JANE AUSTEN EM EXCLUSIVA EDIÇÃO DE LUXO BILÍNGUE EM CAPA DURA.

Considerada a primeira romancista moderna da literatura inglesa, Jane Austen começou seu segundo romance, ORGULHO E PRECONCEITO, antes dos 21 anos de idade. Assim como em outras obras de Austen, o livro é escrito de forma satírica.

ORGULHO E PRECONCEITO pode ser considerado como especial porque transcende o preconceito causado pelas falsas primeiras impressões e adentra no psicológico, mostrando como o auto-conhecimento pode interferir nos julgamentos errôneos feitos a outras pessoas. A autora revela certas posturas de seus personagens em situações cotidianas que, muitas vezes, causam momentos cômicos aos leitores, dando um caráter mais leve e satírico ao livro. As emoções e sentimentos devem ser decifrados por quem decidir mergulhar na obra de Jane Austen, visto que se apresentam encobertos nas entrelinhas do texto. A escritora inglesa apresenta seu poder de expressar a discriminação de maneira sutil e perspicaz em ORGULHO E PRECONCEITO; capaz de transmitir mensagens complexas valendo-se de seu estilo a um tempo simples e espirituoso.

O principal assunto do livro é contemplado logo na frase inicial, quando a autora menciona que um homem solteiro e possuidor de grande fortuna deve ser o desejo de uma esposa. Com esta citação, Jane Austen faz três referências importantes: a autora declara que o foco da trama será os relacionamentos e os casamentos, dá um tom de humor à obra ao falar de maneira inteligente acerca de um tema comum, e prepara o leitor para a caçada de um marido em busca da esposa ideal e de uma mulher perseguindo pretendentes. O romance retrata a relação entre Elizabeth Bennet (Lizzy) e Fitzwilliam Darcy na Inglaterra rural do século XVIII. Lizzy possui outras quatro irmãs, nenhuma delas casadas, o que a Sra. Bennet, mãe de Lizzy, considera um absurdo.

Quando o Sr. Bingley, jovem bem sucedido, aluga uma mansão próxima da casa dos Bennet, a Sra. Bennet vê nele um possível marido para uma de suas filhas. Enquanto o Sr. Bingley é visto com bons olhos por todos, Darcy, por seu jeito frio, é mal falado. Lizzy, em particular, desgosta imensamente dele, por ele ter ferido seu orgulho na primeira vez em que se encontram. A recíproca não é verdadeira. Mesmo com uma má primeira impressão, Darcy realmente se encanta por Lizzy, sem que ela saiba do fato. A partir daí o livro mostra a evolução do relacionamento entre eles e os que os rodeiam, mostrando também, desse modo, a sociedade do final do século XVIII.

Considerado a obra prima de Jane Austen, ORGULHO E PRECONCEITO ganhou diversas versões para o cinema e televisão, a mais recente em 2005, com interpretações de Keira Knightley e Matthew Macfadyen nos papéis principais. 

Lançamentos e novidades #18: O Retrato de Dorian Gray

Edição de Luxo Bilíngue em Capa Dura

EDITORA LANDMARK PUBLICA A VERSÃO ORIGINAL DE 1890 DE “O RETRATO DE DORIAN GRAY - THE PICTURE OF DORIAN GRAY” DE OSCAR WILDE EM EXCLUSIVA EDIÇÃO DE LUXO BILÍNGUE EM CAPA DURA.

Oscar Wilde, um dos maiores nomes da literatura do século 19, publicou inicialmente O RETRATO DE DORIAN GRAY no periódico norte-americano Lippincott’s Monthly Magazine, em 20 de junho de 1890. Esta versão original é o lançamento que a Editora Landmark promove junto aos seus leitores, em uma edição bilíngue com os 13 capítulos originais publicados pela revista norte-americana, sem as alterações posteriores de 1891, que a editora Inglesa Ward, Lock and Company exigiu para lançá-lo no mercado britânico.

Essas exigências e modificações deveriam suavizar a trama, abrandar a influência negativa de Lorde Henry e moderar o relacionamento de Gray com os demais personagens, constituindo assim uma segunda versão mais amena. Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade.

O desfecho da história é surpreendente, cujo segredo está n’O RETRATO DE DORIAN GRAY. O clássico despertou grande polêmica na Inglaterra vitoriana pelo comportamento indiferente, pelo Esteticismo como principal tema e pela dualidade do personagem principal, hedonista e conservador, que frequenta tranquilamente reuniões da alta sociedade inglesa após cometer inúmeros crimes e assassinatos.

Em 2009, as telas de cinema em todo mundo receberam uma nova versão de O RETRATO DE DORIAN GRAY, dirigido por Oliver Parker e estrelado por Ben Barnes (As Crônicas de Nárnia), o vencedor do Oscar de Melhor Ator em 2011 Colin Firth (O Discurso do Rei), Rachel Hurd-Wood (Perfume: A História de um Assassino) e Ben Chaplin (Além da Linha Vermelha) e lançada nas telas brasileiras em 2011 através da Europa Filmes.

A NOVA EDIÇÃO DE LUXO BILÍNGUE EM CAPA DURA

A nova edição de luxo bilíngue lançada pela Editora Landmark resgata a obra em sua forma original e oferece ao público a versão de 1890, mais densa, explícita e polêmica do romance de Wilde. 

Lançamentos e novidades #17: Bel-Ami de Guy de Maupassant

 Edição Bilíngue

O lançamento de “BEL-AMI” pela Editora Landmark apresenta pela primeira vez esta magnífica e importante obra-prima de Guy de Maupassant em uma inédita E EXCLUSIVA edição bilíngue de luxo, em capa dura, resgatando toda a magnificência de uma das maiores obras da literatura ocidental.

“BEL-AMI” é um romance realista escrito por Guy de Maupassant publicado em 1885 sob a forma de folhetim na revista literária “Gil Blas”. O romance explora a sociedade e as atitudes em relação à riqueza, ao poder e ao oportunismo, retratando a ascensão social de Georges Duroy, homem ambicioso e sedutor, além de arrivista e oportunista, lançado ao topo sociedade parisiense, graças à ajuda de suas amantes e do conluio entre a imprensa, as finanças e a política.

Maupassant descreve as ligações existentes entre o capitalismo, a política e a imprensa, além da influência feminina, privadas da vida pública da época. A obra se apresenta como uma pequena monografia da imprensa parisiense, onde Maupassant retrata implicitamente a sua própria experiência como jornalista. Assim a ascensão de Georges Duroy, OU “BEL-AMI”, pode ser comparada à própria ascensão de Maupassant. De fato, “BEL-AMI” é a descrição perfeita e inversa da vida de Guy de Maupassant, onde Georges Duroy representa o contrário do autor, conforme pode ser visto ao longo do romance. Através do personagem, o autor nos faz descobrir o mundo do jornalismo e da alta sociedade, sob a ótica dos escândalos políticos e financeiros.

Contrariamente ao seu primeiro romance, “Uma Vida”, onde o ritmo lento se ajusta perfeitamente à vida insuficiente da personagem principal, “BEL-AMI” retrata o agitado mundo parisiense no qual os personagens devem trilhar um caminho estreito. Agindo como um verdadeiro canalha, incerto e inconstante tanto nos domínios do amor quanto nos das ideias, Georges Duroy se vale de seu charme, do seu corpo e das mulheres para crescer social, política e financeiramente.

No início do romance, Duroy é apenas um jovem pobre do interior que busca fazer fortuna. Apesar de sua origem, a ambição de Georges Duroy faz com que ele tenha como propósito, ser um dos homens mais ricos e poderosos da França. A partir desse objetivo, ele utiliza o seu charme e boa aparência para seduzir as mulheres de políticos e homens influentes da capital francesa.

O romance, recheado de cenas sensuais, descreve Paris em detalhes: Ao longo do romance, Duroy frequenta locais famosos na cidade, como o cabaré Folies Bergère e o Bois de Boulogne, além das regiões campesinas em torno da capital francesa, e certas cenas se passam nas igrejas de Paris, como na Igreja da Trindade e na Igreja de Santa Madalena.

Georges Duroy explora as fraquezas das pessoas que o cercam em proveito próprio dentro de um processo pessoal de manipulação: Ele utiliza o sexo como uma arma para conseguir das amantes o que deseja, uma vez que Cada mulher que ele seduz serve para um propósito específico, seja profissional, financeiro ou até mesmo político. 

Lançamentos e novidades #16: O Morro dos Ventos Uivantes - Wuthering Heights

A Editora Landmark apresenta mais um dos grandes Clássicos da Literatura, em uma nova e inédita tradução para a Língua Portuguesa, em edição bilíngue, resgatando toda a profundidade e maestria do romance «O MORRO DOS VENTOS UIVANTES», de Emily Brontë.

«O MORRO DOS VENTOS UIVANTES»foi publicado em 1847 através do pseudônimo «Ellis Bell». Hoje considerado um dos grandes clássicos da literatura universal, caracteriza-se como uma grande história de amor amaldiçoado e de vingança, e visto como a mais intensa história de amor já escrita na língua inglesa, tendo recebido fortes críticas quando de sua publicação no século 19.

Um ano antes de seu lançamento, as três irmãs Brontë - Charlotte, Emily e Anne - haviam publicado uma coletânea de poemas sob o nome de «Currer, Ellis e Acton Bell». Nos círculos literários ingleses era crença generalizada que as «Irmãs Brontë» e os «Irmãos Bell» fossem as mesmas pessoas. No entanto, o simples crédito deu margem a controvérsias: qual das irmãs Brontë seria qual dos irmãos “Bell? Correntes de críticos afirmavam que os três pseudônimos pertenciam na realidade à Charlotte Brontë; outros sugeriam que os demais pseudônimos «Bell» não se relacionavam com nenhuma das irmãs, e se referiam a seu Irmão, Branwell. Críticos da época reagiram com indiferença a «O MORRO DOS VENTOS UIVANTES», comparando-a desfavoravelmente com «Jane Eyre», de Charlotte Brontë, enquanto outros achavam o livro excessivamente mórbido e violento. Finalmente, a reavaliação crítica gradual encabeçada pela própria Charlotte resultou no reconhecimento do gênio de Emily e na aceitação de «O MORRO DOS VENTOS UIVANTES» como uma obra-prima singular, representando um distanciamento radical da tradição vitoriana de romance, uma vez que - é fortemente influenciado pelo estilo de lorde Byron e Percy Shelley, em suas poesias, e pelo ar gótico e rebuscado de Horace Walpole (autor do primeiro romance gótico «O Castelo de Otranto») e por Mary Shelley (autora de «Frankenstein» e «O Último Homem»). 

«O MORRO DOS VENTOS UIVANTES» possui características ímpares diante de seus contemporâneos: enquanto outros se baseavam em ações complexas, geralmente tortuosas, sua estrutura dramática é resultado do choque de vontades, através de uma rica mistura de romantismo e realismo, transbordando de paixão, turbulência e misticismo. «O MORRO DOS VENTOS UIVANTES» já foi adaptado mais de vinte vezes para o cinema, rádio e televisão. A versão de William Wyler de 1939, estrelada por Merle Oberon como Cathy e Laurence Olivier como Heathcliff, é considerado um dos grandes clássicos do cinema até os dias de hoje, indicado para sete categorias da mais importante premiação do cinema e vencedora do prêmio por sua fotografia; as versões mais recentes são as de 1992, estrelada por Juliette Binoche e Ralph Fiennes, e a de 2011, estrelada por Kaya Scodelario e James Howson.

Lançamentos e novidades #15: Editora Landmark

Editora Landmark publica "PERSUASÃO", de Jane Austen em exclusiva edição de luxo bilíngue em capa dura

A Editora Landmark, especializada em grandes clássicos bilíngues da Literatura, lança nova edição de suas obras em edições de luxo bilíngues, em capa dura, a preços acessíveis ao público. "BEL-AMI”, de Guy de Maupassant, “O RETRATO DE DORIAN GRAY”, de Oscar Wilde, “ORGULHO E PRECONCEITO” e “PERSUASÃO”, de Jane Austen são os primeiros lançamentos.

"PERSUASÃO" é o último romance completo escrito por Jane Austen, sendo publicado postumamente em 1818. Jane Austen começou a escrever "PERSUASÃO" após ter terminado de escrever "Emma", e concluído-o em agosto de 1816. A obra costuma ser associada a outro de seus romances, "A Abadia de Northanger", não somente pelo fato dos dois livros terem sido originalmente publicados em um único volume, mas também por estarem ambas as histórias situadas na cidade de Bath, balneário onde Jane Austen viveu entre os anos de 1801 e 1805.

A trama de "PERSUASÃO" gira em torno dos amores de Anne Elliot que se apaixona pelo pobre, porém ambicioso jovem oficial da marinha, capitão Frederick Wentworth. A família de Anne não concorda com esta relação e a persuade a romper o relacionamento amoroso. Anos após, Anne reencontra Frederick, agora cortejando sua amiga e vizinha, Louisa Musgrove.

"PERSUASÃO" é amplamente apreciado como uma simpática história de amor, de trama simples, bem elaborada, sendo original por diversos motivos, mas principalmente pelo fato de ser uma das poucas histórias da escritora que não apresenta a heroína em sua plena juventude. O romance também é um apanágio ao homem de iniciativa, retratado através do personagem do capitão Frederick Wentworth que parte de uma origem humilde e que alcança influência e posição social pela força de seus méritos pessoais.

"PERSUASÃO" representa a fase mais amadurecida de Jane Austen, que consegue manter um distanciamento com relação ao tom satírico de seus romances anteriores. Por meio da análise do caráter da protagonista, Jane Austen já demonstra ao leitor seu amplo conhecimento sobre a complexidade do comportamento humano. A escritora encontrou uma técnica tão apropriada para descrever a personalidade de seus personagens que conseguiu influenciar diversos roteiristas e diretores da sétima arte.

Edição de luxo bilíngue em capa dura português / inglês
2012 ° Literatura inglesa: romance
16cm X 23cm ° 208 páginas
ISBN 978-85-8070-017-6 Preço sugerido de capa: R$ 28,00


Bjins e inté, Mac.

Lançamentos e novidades #14: Editora Leya

Lançamento de coletânea de contos editados por George R.R. Martin

Por Lidiany CS
quarta-feira, 18 de abril de 2012


Com lançamento previso para 25 de maio, a coleção com 16 histórias fantásticas estará disponível no próximo mês, sendo trazida pelo novo selo editorial que a LeYa criou recentemente voltado para o genêro da literatura fantástica, "Fantasy – Casa da Palavra".

Ruas Estranhas é uma coletânea de contos editado por George R. R. Martin, com 496 páginas e os contos são focados na fantasia urbana escritos por grandes nomes da literatura como Diana Gabaldon, Conn Iggulden e Charlaine Harris, autora da coleção de livros  sobre as aventuras de Sookie Stackhouse ( The Southern Vampire Mysteries) em que se baseia a premiada série da HBO, True Blood. Conn Iggulden é uma grande revelação da ficção histórica britânica bastante reconhecido pela coleção de livros que, reconstitui a vida do imperador Júlio César e frequentemente comparado a seu compatriota Bernard Cornwell.

Os contos foram editados por George R. R. Martin, mas não fazem parte da saga "As Crônicas de Gelo e Fogo".



O livro já está em pré-venda na Saraiva por R$ 31,90.

SINOPSE:

Ruas estranhas é uma coleção de 16 histórias fantásticas urbanas onde os editores George R. R. Martin e Gardner Dozois reúnem grandes nomes da literatura como Charlaine Harris da série True Blood, Conn Iggulden, Glen Cook, Patricia Briggs, Diana Gabaldon e outros autores de destaque. Nessas histórias nascidas da imaginação de escritores vencedores dos prêmios mais importantes do gênero, eles exploram mundos de vampiros sedutores, lobisomens assustadores, espíritos que ajudam humanos a solucionar mistérios, demônios, zumbis e outras criaturas que habitam nossos pesadelos.
Cuidado! O perigo está ao final de cada esquina.

Indicado por Marlo George.

Lançamentos e novidades #13: Companhia das Letras

Vito Bruschini (Tradução de Federico Carotti)| Companhia das Letras| Ano 2012.
Este livro se inscreve na melhor tradição dos romances de máfia, abrangendo um período que vai de 1919 a 1943, Vito Bruschini traça um painel da história e das tensões sociais que prepararam o surgimento da Cosa Nostra. A figura do príncipe Ferdinando Licata está no centro da trama, que começa num vilarejo da Sicília e se desloca para as ruas de Nova York. Conhecido como U Patri, “O Pai”, Licata é um grande latifundiário da região, temido e respeitado por todos. Ameaçado pela ascensão dos fascistas na Itália, ele se vê forçado a ir para os Estados Unidos, onde dará início a uma das organizações criminosas mais conhecidas do mundo. Personagens fictícios e gente real, como o famoso Lucky Luciano, são trabalhados habilmente nesta trama de intrigas em que não faltam os ingredientes indispensáveis ao gênero — suspense, violência, paixões e revelações inesperadas.

HHhH 
Laurent Binet (Tradução de Paulo Neves)| Companhia das Letras| Ano 2012.
Himmlers Hirn heibt Heydrich: O cérebr0 de Himmler se chama Heydrich. Por si só, a sentença corrente entre os membros da SS permite vislumbrar os horrores vividos pela extinta Tchecoslováquia durante a ocupação nazista. Nomeado pelo Fürer o “protetor” da Boêmia-Morávia (atual República Tcheca), Reinhardt Heydrich — exímio violinista, devotado pai de família e implacável chefe da Gestapo — recebeu a tarefa de administrar com mão de ferro o território incorporado ao III Reich.  Ele logo se tornou um misto de vice-rei e ditador, com absoluto poder de vida e de morte sobre todos os tchecos. Prisões em massa, torturas e execuções sumárias passaram a integrar o cotidiano dos habitantes da capital, que apelidaram seu novo senhor de “o carrasco de Praga”. Neste livro híbrido de romance e relato histórico, premiado com o GOncourt de 2010, Laurent Binet reconstitui a trajetória dos heróis que organizaram o atentado fatal contra Heydrich em plena luz do dia numa rua de Praga, em maio de 1942.

Héctor Abad (Tradução de Sérgio Molina e Rubia Prates Goldoni)| Companhia das Letras| Ano 2012.
Qual a receita do amor feliz? E da solidão feliz? Existe remédio para a culpa, para o medo da velhice, para a angústia sem nome? Como lidar com os desejos de grávida, com os desejos proibidos, com a falta de desejo? Há uma fórmula para recuperar o brilho no olhar e as cores do rosto? Héctor Abad dá aqui respostas insólitas, comoventes e divertidas para essas e muitas outras questões sobre os grandes males existenciais e as minúsculas mazelas cotidianas. Fala diretamente à mulher, cochichando como um bom irmão ou amigo do peito, mas convida o homem a ouvir por trás da porta. Tudo em textos breves e inclassificáveis, que ora se aparentam com receitas de cozinha, ora com conselhos sentimentais e simpatias, ora com o aforismo filosófico, o tratado de costumes…Um saboroso pot-pourri temperado com nonsense e poesia, com fortes poderes de consolação.

Stendhal (Tradução de Rosa Freire d’Aguiar)| Companhia das Letras| Ano 2012.
Escrito em inacreditáveis 53 dias, no final de 1838, narra as descenturas de Fabrice del Dongo, um jovem vibrante, idealista e imaturo que decide se unir ao exército de Napoleão Bonaparte. O notável tratamento dado por Stendhal à batalha de Waterloo, por onde o protagonista vagueira sem saber que está no meio de um acontecimento importante, entusiasmou nomes como Tolstói (que assume a influência do romance sobre o seu Guerra e paz), Ernest Hemingway e conterrâneo Honoré de Balzac. Esta edição inclui introdução do jornalista literário britânico John Sturrock, que contextualiza o romance na conturbada biografia de Marie-Henri Beyle, verdadeiro nome do autor francês.


Sérgio Buarque de Holanda| Companhia das Letras| Ano 2012.
O crítico, historiador e sociólogo paulista Sérgio Buarque de Holanda é um dos maiores intelectuais brasileiros no século XX. Autor de obras capitais, alguns de seus conceitos se tornaram modelos clássicos de interpretação de nossa história. Entre eles se destaca o do “homem cordial”, presente em Raízes do Brasil (1936), seu primeiro livro. Aqui o autor investiga as origens de uma forma de sociabilidade brasileira, mais afeita aos contatos informais e à negação das esferas públicas de convívio. Crítico, ele mostra como a “cordialidade” leva a uma relação problemática entre instâncias públicas e privadas. Este volume reúne, além de “O homem cordial”, outros momentos altos da produção intelectual de Sérgio Buarque de Holanda: “O poder pessoal” (da coleção História geral da civilização brasileira), “Experiência e fantasia” (de Visão do Paraíso, “Poesia e crítica” (de O espírito e a letra) e a”Botica da natureza” (de Caminhos e fronteiras). O conjunto é uma excelente introdução ao pensamento do autor, ou a oportunidade de voltar a esses textos fundamentais, que aliam o rigor metodológico do grande historiador e crítico à fluência narrativa do metre da língua.

Lançamentos e novidades #12: Editora ID

Bom dia, queridos leitores!!!

Hoje trago para vocês os lançamentos da Editora ID e espero que gostem!

Blue Bloods 3 - Revelações 
Melissa de La Cruz| Editora ID| Ano: 2012| SOBRENATURAL
Sinopse: O legado do sangue da jovem Schuyler Van Alen acaba de ser colocado em xeque: a vampira mestiça é de fato uma Blue Blood ou por suas veias corre o sangue de um Silver Blood – espécie mais terrível dos vampiros, que está empenhada em destruir seus irmãos de sangue azul? Enquanto a controvérsia se desenrola, Schuyler é deixada desamparada na mansão dos Force, aprisionada sob o mesmo teto de sua terrível rival, Mimi Force, e de sua paixão proibida, Jack Force, atualizando uma disputa que se repete em várias vidas. Mas quando um antigo local de poder é ameaçado no Rio de Janeiro, os Blue Bloods precisam de Schuyler ao seu lado. Os riscos são altos e a batalha é sangrenta; e, envolvida nisso tudo, Schuyler fica dividida entre o dever e a paixão, o amor e a liberdade. Terceiro volume da trilogia.


Inside Girl - Problemas no Paraíso
J. Minter|Editora ID| Ano: 2012| TEEN

Depois de um semestre em que rolou como água entrando pelo ralo, Flan está mais que precisando de umas férias na praia. Calor, chalé especial para ficar só com as amigas, garotos malhados... um verdadeiro paraíso! Mas quando Flan descobre que sua arqui-inimiga, Kennedy, vai tomar smoothies de manga na mesma praia que ela, suas férias de sonho ficam mais com cara de pesadelo. Finalmente Flan sabe por que teve de fugir de sua escola particular para estudar no Stuyvesant. Este é o terceiro volume da série Inside Girl que deveria se chamar “De férias com o inimigo”!

 

Monster High - Diário Sinistro
Lisi Harrison|Editora ID| Ano: 2012| SOBRENATURAL/TEEN

Entre as páginas de um diário IRADO, Frankie, Melody, Cleo, Lala e Blue contam segredos reais de beleza, dão dicas fashion para ficar linda de morrer, passam ideias de customização de roupas e acessórios para assustar e arrasar... e muito, muito mais.


 Bjins e inté, Mac.

Lançamentos e novidades #11: Editora Essência

Olá, queridos leitores!!!
Trago para vocês mais lançamentos literários. So que, agora, são da Editora Essência. 
Espero que gostem.


O Canalha
Carly Phillips| Editora Essência| MISTÉRIO

Sinopse: Este livro fala os irmãos Chandler são os homens mais sensuais e cobiçados da pequena cidade de Yorkshire Falls. Chase, o mais velho deles, é solteiro - convicto - e sonha em alavancar sua carreira como jornalista.  Em uma viagem a Washington para realizar uma grande matéria, ele se envolve com Sloane Carlisle, uma linda jovem, mas que guarda um segredo que pode colocar os dois em perigo. De repente, o cara que sempre desconsiderou a possibilidade de um casamento, percebe que está se apaixonando. Será que o canalha mais cobiçado da cidade vai se transformar no marido mais sexy do mundo?! 


 

Conselhos Amorosos de Emily Brontë
Anne Donovan| Editora Essência|DRAMA

Sinopse: Neste livro, Fiona, tem como modelo para a vida a escritora Emily Brontë, que a emociona desde que era criança. Tão profunda e reflexiva quanto a sua ídola, Fiona conta a sua passagem da infância para a vida adulta como uma garota de família simples em Glasgow, na Escócia. Entre suas irmãs gêmeas irritantes, seus primeiros casos Amorosos, a morte de sua mãe, e uma série de acontecimentos que poderiam se passar com todos nós, Fiona, uma sobrevivente nata, encontra na vida de Emily e da família Brontë a inspiração para se tornar uma grande mulher.



O Livro Secreto do Banheiro Feminino
Jo Barrett| Editora Essência|COMÉDIA

Sinopse: O toalete feminino mais parece a ante-sala de um consultório de terapia e daí muitos terem confortáveis poltronas. Não existe melhor espaço para decidir se aquele cara que acabou de sentar à sua mesa no bar vale uma noite de sexo ou se essa idéia só passou pela sua cabeça porque você já bebeu demais. E como resolver esse dilema se suas amigas não estiverem perto para dar algum conselho? O Livro Secreto do Banheiro Feminino pode ser lido como um guia para homens curiosos, evidentemente excluídos da brincadeira. Mas é, essencialmente, um romance cheio de humor, um retrato das balzaquianas dos tempos modernos. 


Laços do Espírito - Academia de Vampiros
Richelle Mead| Editora Essência|ROMANCE SOBRENATURAL

Sinopse: Neste livro, depois de uma longa e dolorosa viagem à Sibéria, terra natal de seu amado Dimitri, Rose Hathaway voltou à escola e reencontrou sua melhor amiga, Lissa. A formatura se aproxima, e elas mal podem esperar pela vida que vão ter além dos portões da São Vladimir. No entanto, o coração de Rose dói cada vez que se lembra do fracasso na Rússia em salvar Dimitri e do que precisará enfrentar. Sua jornada inclui libertar o perigoso Victor Dashkov da prisão de segurança máxima e encontrar Robert Doru, o único que possui informações para resgatar Belikov das terríveis profundezas de sua condição de Strigoi. Correndo contra o tempo e em meio a sentenças de morte e declarações de amor, Rose, que prometeu a Lissa que a levaria junto, acredita existir apenas uma chance, até porque Dimitri continua sua perseguição para matá-la.

Bjins e inté, Mac.

Lançamentos e novidades #10: Editora Intrínseca

Bom dia, queridos leitores!!!
Hoje trago para vocês os recentes lançamentos da Editora Intrínseca. 
Espero que gostem!!

Deslembrança
Cat Patrick | Editora Intríseca| Ano: 2012| ROMANCE                 

Sinopse: Quando London Lane recosta a cabeça no travesseiro à noite e dorme, cada mínimo detalhe do dia que passou desaparece de sua memória. Pela manhã, restam-lhe apenas lembranças do futuro: pessoas e acontecimentos que ainda estão por vir. Para conseguir manter uma rotina minimamente normal, London escreve bilhetes para si própria e recorre à sempre fiel melhor amiga. Já acostumada a tudo isso, ela tenta encarar a perda de memória mais como uma fatalidade do que como uma limitação. As coisas começam a se complicar com a chegada de um garoto novo no colégio, Luke Henry. Os dois se apaixonam e começam a namorar, mas misteriosamente London não consegue enxergá-lo no seu futuro. Dessa forma, todo dia é como se o conhecesse pela primeira vez. Quando conturbadas imagens de um funeral invadem sua mente, London percebe que é hora de começar a decifrar passado esquecido, para conseguir mudar o futuro que a assombra. Sem saber de quem é o funeral, ela vai acabar esbarrando em segredos da família que seriam melhor não serem revelados.


O Segredo de Jasper Jones
Craig Silvey | Editora Intríseca| Ano: 2012| DRAMA / ROMANCE


Sinopse: Numa noite quente de verão, no final de 1965, Charlie Bucktin é acordado por batidas insistentes na janela de seu quarto. O visitante é Jasper Jones, um pária na pequena cidade de Corrigan. Rebelde e solitário, Jasper encarna a imagem do perigo e do mistério para Charlie. Portanto, quando Jasper implora sua ajuda, Charlie o acompanha furtivamente pela noite, apavorado mas desesperado para impressionar. Jasper conduz Charlie até uma clareira secreta no mato, e é ali que o garoto testemunha a terrível descoberta de Jasper.Carregando o pesado fardo daquele segredo, Charlie precisa enfrentar uma cidade desconfiada, dominada pelo pavor. No escaldante verão em que tudo acontece, ele discute com sua impetuosa mãe, apaixona-se nervosamente e luta para manter a integridade de seu fervoroso melhor amigo, Jeffrey Lu. E, na vã tentativa de reparar o que havia se quebrado, aprende a diferença entre mito e realidade, entende por que mentiras bem-intencionadas são como uma maldição e descobre que a verdade é algo difícil de se reconhecer, e ainda mais difícil de se manter no coração.



Mathilda Savitch 
Victor Lodato| Editora Intríseca| Ano: 2012| DRAMA
Sinopse: Mathilda Savitch tem conflitos que extrapolam as dores comuns da adolescência: sua irmã mais velha foi brutalmente assassinada, jogada na frente de um trem por um desconhecido. Com os pais enlutados pela tragédia familiar e pela angústia de uma nação em guerra contra o terrorismo, Mathilda decide usar a maldade para chocá-los e tirá-los do estado catatônico. Eleito o melhor livro de 2009 pelo The Christian Science Monitor, pela Booklist e pelo The Globe and Mail, o romance de formação Mathilda Savith marca a estreia do poeta e dramaturgo Victor Lodato na literatura e retrata, de maneira impressionante, a vulnerabilidade e a aparente ousadia adolescente. Medo é algo que não existe para Mathilda Savitch: ela encara coisas que a maioria das pessoas prefere nem mencionar. Assim, inicia uma investigação que expõe tudo o que a irmã possuía de mais secreto - e-mails, cadernos, qualquer coisa que sua determinação e astúcia consigam encontrar - no momento em que todos a seu redor querem apenas esquecer a dor. No entanto, o que ela não sabe é que precisará arriscar muito, e deixar para trás tudo o que ama, a fim de descobrir a verdade. Vivendo em um mundo inventado, Mathilda reflete sobre temas como culpa, amor, família, lealdade, gênero, sexualidade e sobre quanto é possível conhecer outra pessoa. Qualquer pessoa. Lodato escolhe as palavras com extremo cuidado e, por meio de uma linguagem surpreendente, confere às observações de Mathilda o caráter de um poema épico finamente construído, cujos tema e imagens formam um complexo mapa de sua vida interior.

Bjins e inté, Mac.

Lançamentos e novidades #09: Editora Autêntica

Olá, queridos leitores!!!
Trago para vocês lançamentos da Editora Autêntica. Espero que gostem!!!
 


O Avô mais louco do mundo
Roy Berocay | Editora Autêntica|Ano: 2012

Sinopse: O avô Felipe era magro, careca, tinha uma cara engraçada e vivia na praia, numa casa que ele mesmo construíra. Diziam que era meio louco, porque fumava muito, escutava o dia inteiro uma música esquisita para um avô e estava sempre inventando máquinas que não funcionavam. Além disso, como leitor de livros policiais, bancava o detetive e adorava buscar soluções para todo tipo de problema. Como seus pais iam viajar durante quinze dias, foi com o avô que Marcos teve de ficar ? e foi com ele que viveu uma grande aventura ao encontrar estranhas manchas no mar… e também conhecer Gabriela.



Cherinho de Talco
Aline Abreu | Editora Autêntica|Ano: 2012

Sinopse: “Aposto que você não gostaria de se chamar Hermengarda. E se tivesse esse destino, ia torcer muito pra que um apelido bem charmoso pegasse em você. Aposto.” Quem fala é uma menina que escapou de ter o mesmo nome que a bisavó. Assim ela começa a contar a história que você vai ler neste livro. Uma história bonita, emocionada, na qual a menina descobre a ternura e o perfume que podem existir em um nome.




Olho D'água - O caminho dos sonhos
Roni Wasiry Guará | Editora Autêntica|Ano: 2012

Sinopse: A Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) – seção brasileira do International Board on Books for Young People (IBBY), cuja missão é divulgar livros de qualidade para crianças e jovens –, reconhecendo o trabalho inédito da escrita literária criada por indígenas para esse público, e como uma ação de fortalecimento da nova década dos povos indígenas (2005-2015) proclamada pela UNESCO, criou, em 2004, em parceria com o Instituto Indígena Brasileiro para Propriedade Intelectual (INBRAPI), por meio do Núcleo de Escritores e Artistas Indígenas (NEArIn) o Concurso Tamoios de Textos de Escritores Indígenas. A obra Olho d’água – o caminho dos sonhos, de Roni Wasiry Guará –, do povo indígena Maraguá, do Baixo Amazonas, é a vencedora do 8º Concurso Tamoios de Textos de Escritores Indígenas. A Autêntica Editora, unindo-se a essa ação inovadora, publica o texto vencedor, possibilitando que este, transformado em livro, possa ser lido por mais pessoas.

 Bjns e inté, Mac.

Resenha [Maratona Hot] "Lords of Satyr 02 - Raine" de Elizabeth Amber


Olá, queridos leitores!!!

Trago para vocês mais uma resenha referente a Maratona Hot, promovida pelo blog Leitura Hot. Espero que gostem!!!

Lords of Satyr 02: Raine
Elizabeth Amber| Editora Kensington Aphrodisia|Ano: 2008| FANTASIA


Sinopse:O irmão do meio, Raine, é sensual e estóico. Marcado por ter tomado uma esposa que não pode aceitar suas necessidades carnais, ele não quer se casar novamente. Mas o dever exige que ele cumpra sua promessa de se casar com a segunda filha do Rei Feydon, Jordan...O leal sátiro começa sua busca que o conduz da Toscana à romântica Veneza, onde a bela noiva o espera, sem saber das delicias passionais que a aguardam. Raine é cuidadoso em não revelar sua poderosa sexualidade de sátiro, por medo de afastar mais uma mulher. Mas, sem que ele saiba, Jordan não é uma mulher comum e nasceu com um insaciável apetite para o amor. E conforme o coração de Raine começa a derreter por ela, como ele será capaz de esconder sua verdadeira natureza quando Jordan parece querê-lo tão impetuosamente?

Alguns meses atrás, um pergaminho marcado por perturbadora magia de OutroMundo chegou à propriedade Satyr no MundoTerra. Escrita pelo rei Feydon ela dizia....

Propriedade Satyr, Toscana, Itália
Setembro 1823.

“Lords de Satyr, Filhos de Baco,
Seja de seu conhecimento que estou em meu leito de morte e nada mais pode ser feito. Enquanto minha hora se aproxima, o peso das indiscrições passadas me assombram. E preciso me confessar. Há dezenove primaveras atrás, eu procriei três filhas com três mulheres humanas de alto nascimento em seu mundo. Eu semeie minhas sementes enquanto as mulheres dormiam, deixando-as sem saber de minha visita noturna. Minhas três filhas adultas estão agora vulneráveis e devem ser protegidas de Forças que querem feri-las. É meu último pedido que vocês decidam que é seu dever casar com elas e as trazerem para sua proteção. Vocês devem procurá-las nas sociedades de Roma, Veneza e Paris. Esse é o meu Desejo.”

Resenha: Este livro conta a história de Raine, o filho do meio. Este já foi casado e, em seguida, abandonado pela esposa quando esta descobriu sua verdadeira natureza. Tal decepção e humilhação fez com que Raine se fechasse para o mundo e tudo que o mesmo poderia lhe oferecer. E sua vida se resumia apenas em trabalho! Ele achava que era feliz assim ou que, pelo menos, ficaria livre de todas as tristezas que o  mundo poderia lhe reservar. No entanto, a carta do Rei Feydon fez que sua vida desse um guinada e para melhor, eu acho!!! (rssss). Assim, com tal imposição, Raine parte para Veneza em busca de Jordan. Ele ainda não a conhecia, mas graças a certos poderes de sátiros não teria tanta dificuldade em encontra-la, convencê-la a casar-se com ele. No entanto, ela seria uma esposa que ele não desejava! Pelo menos, foi isso que ele pensou até ver Jordan pela primeira vez.

Jordan estava para completar 19 anos. E, como todos os anos, desde dos 13, ela era obrigada a passar esta data com o Dr.Salerno, sendo exposta a inúmeras humilhações das quais ela nunca conseguiu escapar. Tudo por causa de um grande segredo que ela e sua família escondiam. Uma aberração para humanidade e um caso de estudo para os cientístas. Jordan era conhecida como "La Maschera". Nome que lhe foi dado devido a máscara que usava para esconder sua verdadeira identidade e, consequentemente, sua família. Ela era obrigada a se mostrar como homem para o mundo, apesar de se sentir mulher. E tudo isso estava ligado aos acontecimentos do dia de seu nascimento e a tradição que só o filho homem poderia herdar a fortuna de sua família. Particularmente, as cenas de humilhações de Jordan são horríveis. Mas tais cenas fazem parte do contexto que Elizabeth Amber nos retrata. Acho que não conseguiríamos entender a totalidade da história se tais humilhações não ocorressem.

Em meio a isso, Raine a conhece, em mais uma das sessões de humilhações públicas, e a trata como ela sempre sonhou. O cavalheirismo e as pequenas gentilezas de Raine (protegê-la da chuva com o corpo, abrir as portas para que ela passe primeiro) faz com que Jordan  se sinta especial e feminina. Confesso que fiquei encantada por Raine! No entanto, como todo bom folhetim (rsss), nem tudo são flores. Raine e Jordan precisam juntos enfrentar um perigo que ronda suas vidas, vindos do mundo em que vivem e, principalmente, do ElseWorld.

Apesar do contexto hot, acredito que este seja o melhor livro da série, em termos de romance. A história entre Jordan e Raine é realmente muito bonita e tocante. No entanto,  o que não falta são cenas para lá de hot (que são a marca da autora rssss). Ambos foram magoados por aqueles que deveriam amá-los e respeitá-los e não possuem nenhuma expectativa em relação ao amor, aparentemente. E, conforme vão se conhecendo, percebem que vale a pena ter esperança e acreditar. Também me fez acreditar que existe alguém neste mundo de cão que preencherá todas as lacunas existentes em nossa vida (uhu).

A lição, neste livro, é que por mais diferentes que sejamos, no fundo, todos somos iguais e temos as mesmas necessidades. E vai além enfantizando o fato de que podemos não aceitar aquilo que nos é diferente, mas temos a obrigação de respeitar! 

Agora se vocês querem saber como tudo termina... Terão que ler o livro (ho-ho). Acredito que a série, ainda, não foi lançada no Brasil, mas eu a tenho em ebook. Para aqueles que se interessarem é só pedir por email, blz?!

Como disse na resenha de "Nicholas", li este livro e os demais. Gostei e recomendo!!! 
Boa leitura...
Bjins e inté, Mac.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...